Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Romã: Aceita um copo do suco ou uma mordida na casca?


Por: Ana Paula de Sá Pinto

A romã é uma fruta que é muito utilizada na medicina popular mundial para Diarreia,Disenteria, Inflamações na garganta e etc. Devido a este grande interesse popular, pesquisas foram desenvolvidas e vem destacando a romã como uma fruta que apresenta diversas substâncias polifenólicas que vão ser responsáveis por essas atividades. E ainda mais, através dessas pesquisas, descobriram que a romã possui atividade sob o Câncer de Próstata e sob doenças relacionadas ao coração como a Hipertensão, Aterosclerose e Aumento de LDL, podendo ser utilizada no tratamento dessas doenças.

Essas substâncias polifenólicas que conferem essas atividades a romã estão presentes principalmente no suco e na casca desta fruta. Então, que substâncias polifenólicas são essas? O que escolher o suco ou a casca? Com tantas atividades importantes será que esta fruta não apresenta toxicidade?

Quer saber mais sobre esta fruta....


3 comentários:

  1. Apesar de não ser uma das frutas mais populares no território brasileiro, a Romã (Punica granatum L.) é citada em várias tradições e estudos foram encontrados sobre suas propriedades. Pode-se citar: (1) seu potencial antimicrobiano (Jiménez Misas et al), (2) sua atividade hipoglicêmica, por redução da absorção intestinal de glicose (Pereira), (3) sua ação antioxidante, reduzindo a peroxidação de lipídios no plasma e em lipoproteínas isoladas, diminuindo a suscetibilidade, a agregação e a retenção de LDL (Aviram et al.), (4) sua atividade anti-neoplásica, pela elevada presença de polifenóis em suco fermentado. Além disso, a romã ainda apresenta vitamina C, A e E.
    Pode-se observar o consumo do chá a base de casca de romã, com finalidade antimicrobiana. Apesar de poucos estudos nessa área, suspeita-se dessa propriedade presente predominantemente na casca da fruta – no qual estão presentes taninos elágicos e derivados de ácido gálico, flavonoídes glicosilados e antocianinas, por exemplo.
    Outro uso da Romã é com o suco feito com as sementes: utilizado na fabricação de xarope de granadina, usado em condimentos e licores (aplicação industrial).
    Além de suas propriedades comprovadas cientificamente e seus usos populares, a romã é um fruto com reduzido valor calórico, podendo ser consumido por pessoas em dieta com restrição de calorias.

    ResponderExcluir
  2. O uso de plantas medicinais com finalidades fitoterápicas estão evoluindo e seu emprego, valor e aceitação tem aumentado significativamente a cada ano, principalmente por apresentam baixo custo e fácil acesso. Dentre as plantas com propriedades fitoterápicas encontra-se a romã. Além das propriedades terapêuticas já citadas, pode-se acrescentar ainda propriedades quimioprotetoras. Estudos provaram que produtos derivados de romã, como suco, extrato e óleo podem ser úteis contra danos induzidos por radiação UV-B.


    AFAQ, F. et al. Central nervous system activity of acute administration of ethanol extract of Punica granatum L. seeds in mice. Experimental Dermatology, v.46, n.12, p.811 - 816, dec, 2008.
    PARK, H.M.MS. Extract of Punica granatum inhibits skin photoaging induced by UV-B irradiation. International Journal of Dermatology Blackwell Science, v.49, n.3, p.276 -282, mar, 2010.
    VALADARES, M.C et al. Assessment of mutagenic and antimutagenic effects of Punica granatum in mice. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, v.46, n.1, p. 121 - 127, 2010.

    ResponderExcluir
  3. Estudos demonstram que a forma em que a romã será ingerida não faz diferença, ela pode ser ingerida em forma de suco, chá, direto na casca ou até fazendo molhos com ela. A romã é uma fruta muito versátil para ser consumida. Estudos mostram que a ingestão diária do suco com casca, sementes e a polpa ajuda a controlar a pressão arterial, reduzir o colesterol ruim e prevenir o câncer de mama e de próstata. Ela é composta por vitaminas do complexo B, que auxiliam a circulação; vitamina A, que deixa a pele bonita e ajuda a visão; vitamina C, que beneficia o sistema imunológico e contém ácido fólico, que melhora a saúde cardiovascular. Cientistas americanos também constataram que o uso frequente da romã previne a ocorrência do Acidente Vascular Cerebral, o AVC e combate a osteoporose. Para essas situações, deve-se consumir por dia no mínimo 300ml de suco de romã.

    Mariana Gonzalez Juste Andrade DRE:112104413

    ResponderExcluir