Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Resveratrol: Substância que prolonga a juventude... será?



De fato segundo estudos o resveratrol é capaz de retardar o envelhecimento e ainda capaz de prevenir diversas doenças no organismo! Porém existe um certo limite para as promessas expostas pelas propagandas.
O resveratrol é uma substância encontrada na casca de uvas vermelhas e também em vários derivados, como em vinhos. Apresenta propriedades antiinflamatórias e antioxidates e alguns estudos indicam que o resveratrol é capaz de prolongar a longevidade em até 40% se consumido diariamente, além também de melhorar o aspecto da pele, prevenir rugas, combater o colesterol e apresenta propriedades cardioprotetoras.
Como é complicado para as pessoas comprarem ou comerem regularmente as quantidades de uvas ou até mesmo tomarem a quantidade de vinho adequada para se obter o resultado esperado, hoje já é possível encontrar o resveratrol em cápsulas, onde são vendidos em farmácias de manipulação e drogarias. Até que ponto podemos substituir os benefícios que a uva pode nos proporcionar, simplesmente fazendo o uso de cápsulas que dizem apresentar as mesmas substâncias encontradas nas frutas? Será que a quantidade de resveratrol encontrada nas cápsulas correspondem com o que poderíamos obter ingerindo a própria fruta?

Investigadores descobriram como aumentar os efeitos de um antioxidante existente na casca da uva e no vinho, e colocaram-no no mercado em forma de cápsulas, com a promessa de que estas cápsulas retardam os efeitos do envelhecimento. De acordo com essas pesquisas seria muito mais vantajoso o consumo de cápsulas de resveratrol, do que a própria ingestão de frutas ou até mesmo de vinhos, já que a quantidade seria insuficiente, ou relativamente bem menor.
Pois são 45 quilos de uvas ou 33 garrafas de vinho tinto numa única cápsula, que promete rejuvenescer a pele e regenerar todos os órgãos.
Porém sabemos que apesar das comprovações científicas a respeito das funções do resveratrol, ela não é uma substância mágica, portanto não é permitido fazer propragandas enganosas dizendo que ao consumirem as cápsulas contendo resveratrol, iremos permanecer jovens por mais tempo.
O resveratrol é uma fitoalexina produzido por diversas plantas como Kojo-kon (Polygunum cuspidatum), Kashuwu (Polygunum multiflorum), eucalipto, amendoim, amora e também está presente em uvas (Vitis vinifera e Vitis labrusca). Na uva esta fitoalexina é sintetizada na casca como resposta ao stress causado por ataque fúngico (Botrytis cinerea, Plasmopora vitcula), dano mecânico ou por irradiação de luz ultravioleta. Este é sintetizado naturalmente na planta sob duas formas isômeras: trans-resveratrol (trans-3,5,4'-trihidroxiestilbeno) e cis-resveratrol (cis-3,5,4'-trihidroxiestilbeno). O isômero transresveratrol é convertido para cis-resveratrol em presença da luz visível, pois esta forma é mais estável. Existem muitos estudos do metabolismo e efeitos fisiológicos das diferentes formas de resveratrol, mas a biodisponibilidade não foi ainda bem estudada.

O isômero trans-resveratrol tem reconhecidas atividades biológicas, e algumas delas são de uso terapêutico, tais como ação antiinflamatória, inibição da enzima lipo-xigenase e ação anticarcinogênica . A presença do composto resveratrol (4,3’,5’-trihidroxiestilbeno), em seus isômeros (trans e cis), foi determinada nos diferentes tipos de sucos de uva produzidos no Brasil.
O suco de uva é uma fonte alternativa de resveratrol para os abstêmios, pois a concentração de transresveratrol nos sucos de uva elaborados no Brasil de acordo com estudos varia de 0,19 a 0,90mg.L-1 de suco de uva.
O resveratrol pode ser encontrado no vinho tinto entre cerca de 0,2 e 5,8 mg por litro, dependendo da variedade da fruta, enquanto que no vinho branco tem muito menos, vez que o vinho tinto é fermentado com a casca da uva, permitindo que o resveratrol seja mais absorvido, enquanto que o vinho branco é fermentado depois da retirada da parte externa.
Também foram encontrado quantidades de resveratrol em amendoins, contendo cerca de metade da concentração de resveratrol encontrado nos vinhos tintos.
Já os suplementos, as cápsulas variam em grau de pureza, que podem conter cerca de 50 a 99 % de resveratrol.

Atividade do resveratrol

O resveratrol tem atividade antioxidante através da inibição da atividade dioxigenase da lipoxigenase, pode também atuar de modo similar ao estrogênio e substituir parcialmente este estrogênio nos tratamentos pós-menopausa. Outros estudos indicam que, a atividade antiinflamatória do resveratrol é explicada pela inibição da transcrição e atividade da ciclooxigenase (COX-1 e COX-2), inibindo também a síntese de tromboxinas, portanto atuando como anticoagulante.
O resveratrol atua sobre o câncer em diversas maneiras, uma destas é a inibição da cascata do ácido araquidônico, esta rota metabólica pode induzir a gênese de tumores . Outra via é pela inibição da proteína C quinase, um mediador chave na promoção dos tumores, ação que poderia explicar o seu efeito quimiopreventivo. Estudos indicam que o resveratrol pode induzir a apoptose, morte programada de células, atuando como um agente antiproliferativo de alguns tipos de tumores.
Um estudo realizado por um professor da Faculdade de Química André Souto, que levou a uma patente da PUCRS, encontrou grande concentração da molécula na raiz de uma hortaliça chamada azeda. Ela possui cem vezes mais resveratrol do que o suco de uva ou o vinho.

Legislação

Conforme a legislação brasileira, o suco integral é obtido da uva através de processos tecnológicos adequados, não fermentado, sem adição de açúcares e na sua concentração natural. O suco reprocessado é obtido pela diluição de um suco concentrado e/ou desidratado, até a sua concentração natural. As diferenças nas médias dos polifenóis totais dos sucos estão relacionadas aos diferentes processamentos empregados pela indústria, isso implica que as concentrações de resveratrol encontrado nos sucos vão variar de acordo com os diferentes processos de produção dos sucos.
Nos EUA, suplementos alimentares que contém resveratrol já são vendidos ,o que não ocorre no Brasil por uma diferença na legislação, pois os suplementos alimentares no País têm de passar por testes clínicos, enquanto nos EUA basta provar que não têm toxicidade.



Estudo em obesos

Um estudo publicado na revista Cell Metabolism demonstrou que a suplementação de cápsulas contendo resveratrol induziu alterações metabólicas em pacientes obesos, semelhante aos efeitos da restrição calórica.
Os pesquisadores realizaram um estudo randomizado, duplo-cego, cruzado e controlado por placebo com onze homens obesos. Os participantes foram designados a receber 150 mg/dia de resveratrol, durante 30 dias e, ao término desse período, foi dado um intervalo de mais 30 dias para receber o placebo por mais 30 dias. Os indivíduos foram avaliados no início e no final de cada período de suplementação. Diversos parâmetros foram medidos, incluindo índice de massa corporal, gasto energético de repouso, pressão arterial, além de biomarcadores do metabolismo energético.
A suplementação de resveratrol reduziu significativamente (p = 0,007) a taxa metabólica de repouso, efeito semelhante ao que ocorre quando há restrição calórica. Por outro lado, os pesquisadores verificaram que houve aumento do metabolismo mitocondrial no músculo, o que implica no aumento da queima de calorias, por meio da ativação das proteínas AMPK (adenosina monofosfato quinase), SIRT1 (sirtuina 1) e PGC-1alfa (co-ativador 1 alfa do receptor ativado por proliferador do peroxissoma).
As concentrações plasmáticas de glicose e insulina foram menores após a suplementação de resveratrol (p = 0,05 e p = 0,04, respectivamente), sugerindo uma melhora da sensibilidade à insulina. O resveratrol também reduziu as concentrações de triglicérides plasmáticos (p = 0,03). Além disso, foi capaz de diminuir o acúmulo de lipídios no fígado e diminuiu os níveis de alanina–aminotransferase (ALT), com consequente melhora da função hepática (p < 0,005).
Os marcadores de inflamação sistêmica, incluindo interleucina 6 (IL-6) e fator de necrose tumoral alfa (TNF-alfa), foram menores após suplementação de resveratrol, mas apenas o TNF-alfa foi estatisticamente significativo (p = 0,04). Outro efeito importante foi a redução significativa da pressão arterial sistólica em aproximadamente 5 mmHg (p < 0,05).
Os pesquisadores também avaliaram o perfil de expressão dos genes antes e após a suplementação de resveratrol. Foi utilizada a técnica de microarranjos de DNA em biópsias do músculo, em que 469 genes foram alterados pelo resveratrol, dos quais 219 foram aumentados e 250 foram reduzidos. Dentre esses genes, houve aumento na expressão dos genes relacionados com a fosforilação oxidativa mitocondrial, enquanto que os genes relacionados com inflamação foram reduzidos.
“O trabalho demonstrou, pela primeira vez, os efeitos benéficos do resveratrol em 30 dias de suplementação sobre o perfil metabólico de homens obesos. Embora a maioria dos efeitos tenha sido modesto, eles foram muito consistentes, apontando para adaptações metabólicas benéficas. Além disso, não houve nenhum evento adverso com a suplementação”, argumentam os autores.
“Portanto, o resveratrol foi seguro e bem tolerado na concentração testada. Mas eles alegam que precisam fazer novos estudos , eles devem investigar os efeitos em longo prazo da suplementação de resveratrol, a fim de estabelecer se maiores doses podem melhorar ainda mais as alterações metabólicas associadas com a obesidade”, concluem.



Referência(s)

Timmers S, Konings E, Bilet L, Houtkooper RH, Weijer T, et al. Calorie Restriction-like Effects of 30 Days of Resveratrol Supplementation on Energy Metabolism and Metabolic Profile in Obese Humans. Cell Metabolism. 2011; 14(5):612-622.

http://www.nutricaoemfoco.com.br/pt-br/site.php?secao=ndown-artcient-funci&pub=3216
http://www.ceres.ufv.br/ceres/revistas/V57N001P08607.pdf
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-20612005000300008
http://www.ufcg.edu.br/prt_ufcg/assessoria_imprensa/mostra_noticia.php?codigo=7436
http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/resveratrol.html

12 comentários:

  1. Além dos benefícios citados acima,o resveratrol por ser uma substância antioxidante também é capaz de diminuir danos causados ao cérebro pela ação de radicais livres.A ação de radicais livres no cérebro pode levar à quebra da fita de DNA gerando extensas mutações as quais descaracterizam a função original da célula ou levam à morte.Em condições fisiológicas existe um equilíbrio entre a geração e a eliminação de radicais livres pelo sistema de defesa antioxidante.Nas situações patológicas a produção de radicais livres torna-se superior a sua eliminação devido ao mau funcionamento dos sistemas antioxidantes de defesa do organismo.A morte de células cerebrais pode ocasionar doenças neurodegenerativas como a doença de Alzheimer e a doença de Parkinson.
    Demonstrou-se em estudos,que o resveratrol foi capaz de reduzir espécies reativas de oxigênio produzidas pela proteína patológica beta-amilóide encontrada em cérebros de pacientes com Alzheimer.O resveratrol também impediu a redução dos níveis da glutationa,peptídeo que detoxifica espécies reativas de oxigênio e que está naturalmente presente no organismo humano.
    Dessa forma, o resveratrol se mostra como uma molécula promissora.E pode ser uma importante ferramenta no futuro para a medicina na prevenção ou até mesmo para o tratamento de doenças neurodegenerativas que atualmente não possuem cura.Para isso,é importante que o resveratrol seja alvo de mais estudos e pesquisas científicas.

    Bibliografia:

    Disponível em: acesso:28/03/12
    Disponível em: acesso:01/04/12
    Disponível em:
    acesso:01/04/12

    Glaucia Thompson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://www.cristihttp://www.cristinasales.pt/Arquivo/science/ScienceNews_18.htmlnasales.pt/Arquivo/science/ScienceNews_18.html acesso:28/03/12

      http://www.revistaneurociencias.com.br/edicoes/2001/RN%2009%2002/Pages%20from%20RN%2009%2002-5.pdf acesso:01/04/12

      http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/11105/000606282.pdf?sequence=1 acesso: 01/04/12

      Glaucia Thompson

      Excluir
    2. Good sharing, you may already know that Resveratrol can improve your heart, your afteries, your weight and your skin. I would like share a good resveratrol supplement which is Vineatrol Mixed Resveratrol, it has six different molecules of Resveratrol for a supplement of unmatched potency. Just 100mg of Vineatrol Mixed Resveratrol offers you more benefits than 100 glasses of red wine and has 20 times the potency of ordinary trans-Resveratrol supplements. Read more at:
      http://kidbuxblog.com/trigger-your-longevity-gene-with-resveratrol/

      Excluir
  2. O resveratrol é um composto polifenólico, não-flavonóide, que pertence à classe dos estilbenos. Esta molécula existe sob as formas isoméricas trans e cis, sendo a forma trans a mais biodisponível, biologicamente ativa e capaz de exercer efeitos benéficos à saúde. Além disso, existem derivados glicosilados e sulfatados do resveratrol que também possuem atividade biológica importante sobre uma variedade de modelos experimentais. Entre as fontes alimentares que fornecem um aporte significativo deste composto bioativo estão: as uvas, nas quais o resveratrol está presente principalmente nas cascas (50-100 ug/g), e o vinho tinto, que contém aproximadamente 1,5-3mg de resveratrol por litro. Este composto também pode ser encontrado, porém em quantidades inferiores, em outros alimentos como frutas vermelhas e oleaginosas.
    Tanto o trans-resveratrol como o cis-resveratrol são encontrados nos alimentos na forma glicosilada. A glicosilação é uma modificação que previne a oxidação enzimática da molécula, preservando sua atividade biológica, além de aumentar a estabilidade e a biodisponibilidade. Para ser absorvido pelos tecidos, o resveratrol sofre a ação de glicosidases, que removem o açúcar da sua estrutura, e no interior dos tecidos, o composto énovamente conjugado a açúcares ou grupamentos sulfatos. A formação de conjugados torna a molécula mais hidrofílica, facilitando seu transporte pela corrente sanguínea e também sua excreção. Assim como outros polifenóis, o resveratrol não pode ser armazenado pelos tecidos, por isto é necessária a ingestão frequente dos alimentos fonte deste composto.
    Além da atividade antioxidante, diversas outras funções têm sido atribuídas ao resveratrol, como efeito cardioprotetor, que leva a inúmeras respostas celulares, incluindo a redução da oxidação da lipoproteína de baixa densidade (LDL), o que previne a aterosclerose; indução da resposta anti-inflamatória, reduzindo agregação plaquetária; inibição da replicação de vírus como herpes e influenza; neuroproteção; e prevenção do desenvolvimento de vários tipos de câncer.
    Diversos estudos científicos têm mostrado efeitos promissores do resveratrol sobre processos que ocorrem durante as principais fases da carcinogênese, sugerindo que este composto seja capaz de atuar como agente quimiopreventivo e quimioterápico. Assim como outros polifenóis, este composto atua como um importante antioxidante celular e seus efeitos são dependentes da concentração utilizada e do tipo de célula. Outro importante mecanismo de ação do resveratrol está na modulação da ativação de carcinógenos e de enzimas destoxificadoras por este composto.. Por outro lado, este composto estimula a expressão de enzimas de fase II, como a glutationa S-transferase, glutationa peroxidase e NADPH quinona oxidoredutase, que possuem atividade antioxidante/destoxificadora.

    ResponderExcluir
  3. Anna Claudia Silva (110082623)31 de outubro de 2014 22:37

    O Resveratrol é também o maior ativador da enzima SIRT1 de origem natural que atualmente conhecido. Para entender a importância dessa enzima, precisamos lembrar que o DNA tem sua estrutura formada por fitas de DNA enoveladas em proteínas denominadas histonas. As mudanças pós-traducionais que ocorrem nessa enzima (metilação e acetilação, por exemplo) são de fundamental importância para o metabolismo humano uma vez que interferem na transcrição do material genético.
    Quando sofrem acetilação em seus resíduos de lisina, a carga presente na molécula é neutralizada e a fibra de cromatina passa a uma conformação mais relaxada que permite o acesso do maquinário de transcrição. Quando essa proteína é desacetilada, no entanto, a carga positiva volta e ela passa pra um estado de maior tensão estrutural e consequentemente impede o acesso do maquinário de transcrição.
    A SIRT1 faz parte da família de enzimas que desacetila essas proteínas e sua ativação leva ao impedimento da transcrição genética. Esse mecanismo de ação acaba por fazer com que essa molécula não atue apenas em uma situação específica, mas que esteja envolvida em diversas condições do metabolismo humano, influenciando metabolismo de gorduras, secreção de insulina, envelhecimento além de causar cardio e neuroproteção. Alguns estudos mais recentes já comprovaram inclusive uma importante ação de combate a células tumorais por inibição de diversas fases do ciclo celular, os grandes problemas são que a biodisponilidade dessa molécula é muito baixa e seu metabolismo extremamente rápido, o que complica seu uso como fármaco.
    A busca por moléculas similares ao resveratrol tem ganho grande destaque na comunidade científica, bem como estudos nas mais diversas áreas de utilização.

    ResponderExcluir
  4. Natasha Christina Newton23 de abril de 2016 19:00

    Além das propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e anti-angiogênicas mencionadas anteriormente, um estudo publicado na revista Nature mostrou que o resveratrol ,in vivo (utilizando ratos machos na meia-idade), previne a disfunção do humor e de memória relacionadas com o avanço da idade. Isso porque o resveratrol aumenta a neurogênese no hipocampo e microvasculatura da região, além de reduzir a ativação de células da glia, que são células que fornecem ao neurônio suporte estrutural, além de manter condições locais para a função neuronal, sendo sua proliferação associada à lesão do sistema nervoso central. O hipocampo é uma região de cérebro vital para o aprendizado, memória e humor, nessa região. Especificamente, disfunções no giro denteado do hipocampo são observadas em idades avançadas, estando associado à problemas de memória e humor. Assim, o aumento da plasticidade neuronal e o maior aporte de oxigênio e nutrientes aos neurônios, pelo aumento da microvasculatura, melhora a função de memória e humor em ratos de meia-idade,que receberam o resveratrol. Além disso, o resveratrol é capaz de atravessar a barreira hemato-encefálica,sendo importante o entendimento a nível celular e molecular do resveratrol no sistema nervoso central.
    Referência bibliográfica: Kodali,M., et al.(2015).Resveratrol Prevents Age-Related Memory and Mood Dysfunction with Increased Hippocampal Neurogenesis and Microvasculature, and Reduced Glial Activation. Scientific Reports.6 p.

    ResponderExcluir
  5. Qual marca que vende o produto é mais confiável ?

    ResponderExcluir
  6. Qual marca que vende o produto é mais confiável ?

    ResponderExcluir