Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Análise do prazo de validade de Macarrão Instantâneo


Por Natalia Mantuano e Renan Gianoti

Damos o nome de prazo de validade para o tempo de duração de um produto antes de ser considerado inadequado para venda ou consumo. Contudo, não existe uma legislação adequada no Brasil para que este prazo seja determinado corretamente. Em alguns países, os produtos trazem em suas embalagens uma data que propõem até quando o produto estará na sua melhor condição para consumo, ao invés de uma data estipulando de fato a validade.
Neste estudo, temos como objetivo analisar os prazos de validade de diferentes marcas de Macarrão Instantâneo encontradas no mercado. Devido à necessidade atual de otimizarmos o nosso tempo, o macarrão instantâneo tem se mostrado uma forma rápida e prática de alimentação sendo cada vez mais consumido pela população e por isso, foi usado como nosso objeto de estudo.

As marcas NISSIN, BOM PREÇO e PANCO, foram escolhidas aleatoriamente como material de análise. Todas as embalagens foram verificadas interna e externamente e, o que foi verificado, foi a ausência da data de fabricação nos três produtos, apresentando apenas a data do prazo de validade. Além disso, nenhuma marca apresentou recomendações de uso após a cocção do produto e instruções de armazenamento.

Segundo o estudo feio pela ANVISA, o macarrão instantâneo, é o alimento com maior quantidade de sódio encontrada dentre os produtos industrializados mais consumidos no Brasil. Em média, um pacote de 85 g, preparado com tempero, chega a ter 2.721mg da substância, mais do que o recomendado para um dia inteiro – o limite diário para o consumo de sódio é de 2.400mg por pessoa, de acordo com o Ministério da Saúde.

Mineral presente no sal, o sódio em excesso é apontado pelos médicos como o principal vilão da pressão alta, doença que tem relação direta com problemas como o AVC (acidente vascular cerebral) e infartos. O fato que devemos destacar é que nos alimentos industrializados, a substância é usada para aumentar o prazo de validade. Dentre os macarrões instantâneos analisados, o fabricado pela Nissin foi o que apresentou maior concentração de sódio em comparação aos outros (2.400mg, 2.200mg e 2.200mg, respectivamente)

Outro detalhe importante a ser destacado foi a ausência da data do prazo de validade e de fabricação no sachê de tempero que acompanha o macarrão instantâneo. Por ser um produto fabricado separadamente, e com outros compoentes, deveria apresentar o seu próprio prazo de validade, independente do prazo do macarrão instantâneo.

Dessa forma, podemos concluir que há uma enorme negligência com o consumidor no que diz respeito a informações sobre o produto, afinal, é de enorme importância saber quando o produto foi fabricado para ter a opção de escolha na hora da compra. Como o prazo de validade desses produtos são grandes (cerca de 6 meses) esse dado foi omitido para que exista maior aceitação do consumidor, que verifica apenas se o produto está dentro do prazo de validade. Agora, cabe aos orgãos reguladores responsáveis verificarem estas ocorrências para garantir a qualidade do produto que o consumidor está levando para sua casa.

2 comentários:

  1. O tema abordado neste trabalho foi de grande importância, apesar de não ser amplamente estudado, uma vez que aborda um alimento que é extremamente prático e assim, comum no cotidiano de muitas pessoas, que necessitam de rapidez no momento de sua alimentação.
    O mais interessante foi a abordagem da quantidade de sal contida no miojo, pois nos dias atuais, uma das doenças mais comum é a hipertensão, cujo principal vilão é o sódio e de acordo com este trabalho, este esta presente em maior quantidade que a recomendada para o consumo diário. Portanto este alimento deveria ter um maior controle das autoridades de saúde a fim de melhorar a qualidade de vida e reduzir doenças em geral, principalmente no que tange as doenças do sistema circulatório, que segundo estudos é maior causa de mortalidade no Brasil.

    ResponderExcluir
  2. O trabalho acima discorreu de uma forma completa sobre o macarrão instantâneo, mostrando seus principais componentes e a influência destes para os efeitos gerados no organismo.
    Segundo, o que foi relatado no trabalho “o macarrão instantâneo, é o alimento com maior quantidade de sódio encontrada dentre os produtos industrializados mais consumidos no Brasil. Em média, um pacote de 85 g, preparado com tempero, chega a ter 2.721mg da substância, mais do que o recomendado para um dia inteiro – o limite diário para o consumo de sódio é de 2.400mg por pessoa, de acordo com o Ministério da Saúde”. Esse excesso é apontado pelos médicos como o principal vilão da pressão alta, doença que tem relação direta com problemas como o AVC (acidente vascular cerebral) e infartos.
    Isso pode ser considerado um fator preocupante, segundo AQUINO(2002), por causa do alto consumo de massas alimentícias, principalmente, uma forte tendência no aumento do consumo de macarrão instantâneo entre a população infantil. Além disso, segundo dados da Associação Brasileira de Indústrias da Alimentação (ABIA,1997), macarrão instantâneo é um dos setores na indústria de alimentos de maior registro de crescimento.
    Em relação ao uso desse produto industrializado, parece haver uma grande influência da propaganda, veiculada principalmente pela televisão, visto que os produtos mais utilizados aparecem com grande freqüência nos comerciais. O trabalho de Novotny (1995) cita a influência da publicidade sobre a confiança que as mães depositam no produto apresentado.
    Esse trabalho e os artigos citados mostraram a importância de rever alimentação da população e também demonstraram que um produto rápido de ser preparado para consumo pode gerar sérios problemas de saúde daqui alguns anos.


    Referências bibliográficas:

    [ABIA], Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação. Consumo de alimentos em novo patamar. São Paulo; 1997;
    Aquino, R.C. Alimentos industrializados na dieta das crianças do município de São Paulo. Rev Saúde Pública São Paulo, v.366, p.655-60,2002;
    Novotny R, Kiefer E, Mor J, Thiele M. Nativity and infant feeding patterns among filipino women in Hawaii. Ecol of Food Nutr 33: 263-72,1995.

    ResponderExcluir