Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Colagen Plus: Benefícios Reais?


Colagen Plus é um produto dito a base de colágeno. Entretanto sua composição, como mencionado no rótulo, é de proteínas hidrolisadas. E então? Podemos dizer que realmente estamos aumentando a quantidade de colágeno em nosso organismo e que teremos todos os benefícios que esse proporciona, como emagrecimento, pele mais saudável e etc ao consumir esse suplemento? Proteínas hidrolisadas nada mais são que aminoácidos que, passando pelo sistema gastrintestinal serão absorvidos e assim chegarão a nossa corrente sanguínea e lá poderão dar origem a qualquer proteína, podendo ou não ser colágeno. Qualquer alimento proteico que ingerirmos terá suas proteínas hidrolisadas por enzimas como as pepsinas liberadas em nosso estômago e as tripsinas liberadas pelo pâncreas no duodeno. Essa hidrólise levará a liberação de aminoácidos que serão absorvidos em nosso intestino delgado e por fim chegarão a corrente sanguínea da mesma forma. Agora eu lhe pergunto: Qual a relação dessas proteínas com o colágeno? Quais os benefícios do colágeno? Qual a vantagem de se consumir cápsulas de proteínas hidrolisadas em relação às proteínas provenientes de uma dieta proteica? Existe realmente algum benefício na utilização de suplementos proteicos tais como "Colagen Plus"?


A molécula de colágeno é formada pela união de cadeias proteicas por rotas bioquímicas em nosso organismo. Ou seja, a formação de colágeno depende da capacidade de nossas enzimas captarem determinados aminoácidos produzidos em nosso próprio organismo, ou derivados de uma alimentação proteica ( no caso dos aminoácidos essenciais que não somos capazes de produzir ), uni-los formando proteínas específicas (moléculas protéicas alongadas: são três cadeias de aminoácidos, presos como elos de uma corrente, que se enrolam uma às outras formando uma tripla hélice), que associadas poderão formas o colágeno.
Dando sequência a esse processo as moléculas de colágeno uma vez se unem formando fibras muito finas, as fibrilas, visíveis apenas sob microscópio eletrônico. As fibrilas se unem novamente, formando as fibras visíveis no microscópio óptico. O conjunto acaba adquirindo o aspecto de uma corda trançada por fibras finas dispostas em espiral. É uma estrutura tão firme que o colágeno mais forte do nosso corpo resiste mais a tensões do que um fio de aço. E aí está a estrutura que esperamos ter em nosso organismo, capaz de nos trazer tantos benefícios e evitar doenças.
Até aí temos que depende de nosso organismo a formação do colágeno. Mas você deve estar se perguntando: "E se eu já ingerisse proteínas hidrolisadas, isso não facilitaria aa formação de colágeno?". Quando ingerimos proteínas de qualquer fonte proteica essas são hidrolisadas, ainda em nosso sistema gastrointestinal, por enzimas como as pepsinas gerando aminoácidos. Esses aminoácidos são absorvidos em nosso intestino e chegam a nossa corrente sanguínea. Daí para frente eles vão seguir o caminho que nosso organismo "achar" necessário, não teremos mais controle se queremos que esses aminoácidos formem proteínas que gerarão colágeno ou proteínas que farão parte das menbranas celulares por exemplo.
Assim, ingerir proteína hidrolisada, aminoácidos essenciais, apresenta o mesmo efeito que ingerir QUALQUER alimento proteico, inclusive porque, o excesso de proteínas ingerido nem será aproveitado, sendo eliminado pelo sistema excretor.

11 comentários:

  1. A Anvisa caracteriza esse tipo de produto como “Alimentos Com Alegações de Propriedades Funcionais e ou de Saúde” porém, essas propriedades funcionais do consumo dessas proteínas hidrolisadas ainda não foram comprovadas. No site da Agência, encontramos a seguinte declaração: “...o uso das alegações listadas em qualquer alimento só será permitido após aprovação da Anvisa.“, então, só após a comprovação científica pode-se utilizar essas propriedades como benefícios ao utilizá-los. Mas, ao contrário do que vemos todos os dias, existem propagandas em sites, reportagens em revistas e blogs sobre as propriedades funcionais desses produtos. De fato não está sendo usado no rótulo do produto, mas há melhor propaganda do que matérias em revistas que pregam o bem estar e a beleza? Será que o certo não seria apenas liberar a comercialização do produto quando sua eficácia for realmente comprovada e não apenas uma suposição?

    ResponderExcluir
  2. Quando envelhecemos, nossa pele perde elasticidade e firmeza, em parte, pela diminuição da produção de colágeno. Esta diminuição ocorre por danos causados ao DNA ao longo dos anos. Portanto, ingerir colágeno em nada vai reverter o processo, já que ( mesmo que o preparado já não fosse hidrolisado) as peptidases do estomago o hidrolisariam. Esta hidrólise é muito importante para a absorsao dos aminoácidos, já que o tamanho máximo de peptídeo que é possível absorver são 3 aminoácido (transportador tripeptido). Desta forma, o DNA danificado da pessoa, será transcrito em uma quantidade diminuta de RNAm de colágeno, que será traduzido em uma pequena quantidade de colágeno, independentemente da quantidade desta proteína que foi ingerida.
    Os aminoácido presentes no preparado, serão então desta forma, usados para sintetizar outras proteínas necessárias ao funcionamento do corpo( não necessariamente colágeno). Ou seja, a probabilidade do colágeno presente neste preparado vir a ser colágeno de fato é a de mesma de qualquer outra fonte de proteína que o individuo utilize.
    Ademais, no código de defesa no consumidor diz:
    º É enganosa qualquer modalidade de informação ou comunicação de caráter publicitário, inteira ou parcialmente falsa, ou, por qualquer outro modo, mesmo por omissão, capaz de induzir em erro o consumidor a respeito da natureza, características, qualidade, quantidade, propriedades, origem, preço e quaisquer outros dados sobre produtos e serviços.
    Sendo assim poderíamos dizer que o texto presente no preparado é plenamente capaz de induzir o consumidor a erro e que ele atribui ao alimento uma característica que ele não possui, ou que ainda não foi cientificamente comprovada. Portanto, assim pode ser dito, que este fabricante faz propaganda enganosa.

    ResponderExcluir
  3. Existe um estudo que sugere que a alimentação de colágeno consegue melhorar a pele em comparação a alimentação de proteínas normais. É certo que este estudo feito em ratos nao se pode extrapolar resultados em humanos e nao possui alta evidência. Mas o estudos feitos com essas moléculas não segue a lógica, praticamente todos os encontrados (msm de baixo nível) sugerem uma melhora na pele com a suplementação de colágeno. http://farmacotrofia.blogspot.com.br/2013/05/v-behaviorurldefaultvmlo_17.html
    Meu blog possui as referencias científicas as quais citei aqui.

    ResponderExcluir
  4. Minhas unhas estavam fracas, descamando e tão moles, que eu chegava a sentir dor, daí comecei a sentir dores nos ombros e pescoço e procurei um ortopedista, que depois de muitas perguntas e várias radiografias, receitou 600mg de colágeno encapsuladas por dia.Hoje, um ano depois, minhas unhas estão fortíssimas, a partir do terceiro mês de tratamento sumiram as dores nos ombros e pescoço. Se não foi o colágeno, então foi um milagre.

    ResponderExcluir
  5. Anna Claudia Silva (110082623)31 de outubro de 2014 10:02

    Na realidade, a ingestão de colágeno proveniente da alimentação traz uma série de dificuldades que foram superadas com a hidrólise da proteína. O que acontece na maioria das vezes é que, por ser uma proteína muito grande, o colágeno acaba não sendo eficientemente degradado pelas enzimas do trato gastro intestinal humano levando a formação de peptídeos com 150 KDa aproximadamente que não conseguem ser absorvidos no intestino e acabam sendo eliminados.
    O colágeno hidrolizado de boa qualidade é produzido através da hidrólise enzimática da proteína que leva à formação de pequenos peptídeos (em torno de 3KDa) que são facilmente absorvidos pelo TGI humano e que acabam sendo direcionados para tendões e pele por serem "microtijolos" de colágeno ao invés de aminoácidos soltos, inclusive algumas marcas de colágeno hidrolisado no mercado contém ainda glucosaminaglicanas em sua composição, outra importante substância na formação de cartilagem e amplamente utilizada no tratamento de artrites e artroses.
    Alguns estudos clínicos mostram inclusive demonstram a eficácia do tratamento com o colágeno hidrolisado. Um estudo realizado em Tókio mostrou uma melhora de 91% na resistência da pele de mulheres entre 40 e 60 anos que tomaram 10 g por dia da proteína hidrolisada.Além disso, um estudo realizado por Posstlethwaite no fim da década de 70 mostrou que esses pequenos peptídeos obtidos através do colágeno hidrolisado são capazes de estimular a atividade de fibroblastos que são os responsáveis pela síntese de novas fibras de colágeno.
    Com isso, podemos sim dizer que existe um respaldo no uso terapêutico e mesmo estético dessa proteína hidrolisada e que seu consumo, inclusive quando associado a glucosamina, pode levar a melhora na formação de colágeno e diminuição dos problemas associados à sua perda que é natural em idades mais avançadas.

    ResponderExcluir
  6. Ingrid de Jesus Magdalena DRE11131864529 de março de 2015 15:19

    Como foi dito no post " excesso de proteínas ingerido nem será aproveitado, sendo eliminado pelo sistema excretor".
    Entretanto, devemos lembrar que como parte desse sistema excretor, os rins eliminam os produtos do metabolismo da proteína (como uréia, amônia, dentre outros resíduos nitrogenados), seu consumo elevado pode aumentar a taxa de filtração glomerular, causando aumento da pressão dentro dos glomérulos. Isso pode fazer com que a função renal seja prejudicada progressivamente. Além disso, também pode haver sobrecarga do fígado, por ser o órgão responsável pela metabolização de aminoácidos.
    Além disso, a ingestão de altas concentrações de proteínas limita a ingestão de outros nutrientes essenciais.
    Por fim, o consumo em excesso de proteína causa amento da excreção de cálcio e, portanto, diminui a utilização desse mineral.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ingrid,Boa tarde!
      Seu comentário é interessante, mas você usa muito o verbo poder. "Pode aumentar a taxa de filtlração..." Pode fazer com que a função renal seja prejudicada..." Pode haver sobrecarga do fígado..." só no final vc parece mais taxativa "limita a ingestão de outros nutrientes..." causa aumento da excreção de cálcio..." Afinal, o acontece de verdade, ou que pode acontecer?
      Abraço.

      Excluir
  7. Boa noite ,como posso ingerir o colagen alguém pode mi ajudar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se for em pó, uma a duas colheres diárias, misturado no iogurte, chá, leite ou até mesmo café. Se for em cápsulas, de 2 a 3 por dia, com os mesmos alimentos citados ou ágjua. Venho tomando colágeno a cerca de um mês e percebi sensíveis melhoras no aspecto geral de minha pele, cabelo e unhas. Estou muito satisfeito. Recomendo.

      Excluir
  8. Renan de Oliveira Vieira DRE 110180154
    A ingestão de alimentos enriquecidos com colágeno hidrolisado, pode trazer alguns benefícios. Os hidrolisados de colágeno são utilizados mundialmente, e com sucesso, para melhorar o crescimento de unhas e cabelos, além de contribuir para a beleza da pele.
    O colágeno hidrolisado contém os aminoácidos essenciais glicina e prolina em concentração 20 vezes maior do que outras proteínas. Ambos são componentes importantes do tecido conjuntivo e asseguram sua consistência e elasticidade
    Com apenas 10g de gelatina por dia, obtém-se o fornecimento ideal desses aminoácidos tão importantes. Comparando: se queremos ingerir a mesma quantidade de glicina contida em 10g de gelatina, teremos que beber, por exemplo, 3 litros de leite, comer 160g de carne. No caso da prolina, os números correspondentes são 0,4 litros de leite ou 110g de carne.

    ResponderExcluir
  9. Letícia Biancamano Pina24 de abril de 2016 10:50

    A abordagem do tema é de extrema importância, pois o mercado de suplementos alimentares se encontra saturado de produtos à base de colágeno. Alguns suplementos são vendidos na forma da proteína colágeno em que será hidrolisada ainda no trato gastrointestinal e será absorvida como aminoácidos, atingindo o mesmo estágio que o proposto pela matéria.
    Essa temática ainda se torna mais importante, pois sabe-se que a partir dos 50 anos de idade, há uma redução drástica na produção de colágeno no corpo, o que gera sintomas de deficiência de colágeno como: diminuição da espessura dos fios de cabelo; aumento da flacidez e perda de elasticidade da pele; surgimento de rugas e de linhas de expressão; aparecimento de estrias; pele fina e desidratada; diminuição da densidade dos ossos como nos casos de osteopenia e osteoporose, por exemplo, e enfraquecimento das articulações e dos ligamentos.
    O colágeno é uma proteína que tem como principal função estruturar, sustentar tecidos e é um componente de pele, ossos, cartilagem, entre outros.
    Os principais aminoácidos que formam o colágeno são lisina, glicina, prolina e hidroxiprolina. Possui mais 17 aminoácidos em sua composição, porém em menor quantidade.
    Dependendo do local do corpo, diferentes tipos de colágeno são produzidos: tipo I ao tipo XIV. Por exemplo, o colágeno tipo II faz parte da cartilagem hialina, já o colágeno tipo VII faz parte de ancoragem de fibrilas em epiderme e derme.
    Para que haja produção de colágeno no organismo, são necessários: lisina, glicina, prolina, hidroxiprolina, vitaminas: C, E, piridoxina, betacaroteno, ácido pantotênico, biotina e minerais como manganês, selênio, cromo, cobre, zinco e silício.
    Além disso, a necessidade do corpo dita qual colágeno será produzido.
    Ingerir micronutrientes como aminoácidos (proteína hidrolisada) não poderá aumentar a produção de colágeno, pois ainda faltarão vitaminas e minerais.
    Dessa forma, conclui-se que se no suplemento de colágeno houver acréscimo de outros fatores necessários à produção de colágeno (além de aminoácidos) ou se a pessoa estiver saudável (com níveis padrões de vitaminas e minerais) e a mesma ingerir colágeno hidrolisado, poderá haver aumento da produção de colágeno conforme necessidade do corpo (tanto em produzir mais/menos a proteína quanto o tipo de colágeno a ser produzido).
    Referência
    Colágeno e Firmeza da pele, acessado em 22/04/2016, disponível em< http://www.vanessalobato.com/2009/06/colageno-sera-que-auxilia-na-firmeza-da.html
    Pra que serve o colágeno, acessado em 23/04/2016, disponível em< http://www.tuasaude.com/colageno/>

    ResponderExcluir