Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Guaraná - O elixir da longevidade e seus perigos.



O guaraná é amplamente utilizado na medicina tradicional brasileira. É popular pelo seu efeito estimulante, pela melhora na capacidade cognitiva e do desempenho físico. Além disso ajuda no emagrecimento e tem propriedades antioxidantes.

O consumo dessa droga no Brasil é muito difundido, devido à facilidade de acesso, baixo custo e à cultura. Os meios de comunicação, principalmente a internet, contribuem para a divulgação dos diversos benefícios oferecidos por essa droga vegetal, porém, dificilmente abordam os perigos relacionados ao seu uso.

Estudos recentes mostram os riscos de superdosagem e de contaminação do produto final.

O guaraná, Paullinia cupana Kunth, é uma planta da família Sapindaceae, originária da região Amazônica. É amplamente utilizado na medicina tradicional brasileira. É popular pelo seu efeito estimulante, pela melhora na capacidade cognitiva e do desempenho físico.

Dentre os principais constituintes químicos do guaraná encontram-se as metilxantinas (cafeína, teofilina e teobromina) e os taninos condensados, sendo as principais a catequina e a epicatequina.


As metilxantinas presentes no guaraná, principalmente a cafeína, são responsáveis pelas inúmeras propriedades relacionadas ao guaraná. Emagrecedor e estimulante do sistema nervoso central, o guaraná, que tem uma ampla gama de propriedades farmacológicas, também é utilizado em associação a outros fármacos no manejo da dor de cabeça e da enxaqueca. Além disso, estudos mostram que a ocorre redução de peso pelo aumento do tempo de esvaziamento gástrico, prolongado a sensação de saciedade.

A teobromina tem ação diurética e a teofilina tem efeito broncodilatador. As substâncias catéquicas presentes no guaraná demonstram atividade antioxidante, antiviral, bactericida.

A quantidade de cafeína no guaraná em pó pode variar de acordo com a procedência da matéria-prima (região de plantio), o método de cultivo, presença de contaminantes químicos e métodos de secagem.
Estudos mostram que as quantidades de cafeína nas amostras de guaraná em pó variam tanto entre marcas quanto entre lotes de uma mesma marca. As diferenças apresentadas, possivelmente, se devem à procedência e processo a que a matéria-prima foi submetida.

Empresas varejistas muitas vezes adquirem o pó de diferentes fornecedores e o embalam sob uma determinada marca comercial. Dessa forma, o produto final pode ser resultante de uma mistura de sementes oriundas de diferentes regiões produtoras do País.

O consumo de guaraná no Brasil é muito difundido, devido à facilidade de acesso, baixo custo e à cultura. Os meios de comunicação, principalmente a internet contribuem para a divulgação dos diversos benefícios oferecidos por essa droga vegetal, porém, dificilmente abordam os perigos relacionados ao seu uso.

Segundo a tabela nutricional da TACO, o guaraná deve apresentar umidade de 73,9%, PTN 0,7%p/p, lipídios 3,7%p/p, carboidratos 21,5%p/p, fibras 1,7%p/p, cinzas 0,3%p/p e cálcio 22%p/p.

Considerando-se que a dose máxima recomendada de guaraná é de aproximadamente 1g, conclui-se que as concentrações encontradas de nutrientes no guaraná não são capazes de contribuir para atingir a dose diária recomendada (DDR).


Ao comparar os níveis médios de cafeína presentes no guaraná com aqueles determinados no café, verifica-se que as amostras de guaraná apresentam teor aproximadamente 3 vezes maior. Dessa forma, o indivíduo consumidor freqüente de guaraná, independente de ingerir conjuntamente outras fontes de cafeína na dieta, terá maiores chances de desenvolver sintomas característicos do “cafeinismo”- o que pode causar ansiedade, irritabilidade, tremores, inquietação, perda de apetite e palpitações no coração.

Outra importante questão a ser abordada é a presença de Hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs). Eles representam uma importante classe de carcinógenos químicos. Durante o processamento das sementes para a obtenção dos produtos, a matéria-prima passa pelas etapas de secagem, torrefação e, em alguns casos, a defumação, processos estes que podem dar origem aos HPAs.
Um risco relacionado ao consumo exagerado do guaraná é a interação da cafeína com barbitúricos, diminuindo seu efeito sedativo. A presença de altas concentrações de taninos também pode influenciar na absorção de nutrientes, como o ferro, podendo ocasionar anemia.

O guaraná em pó, assim como outros produtos naturais é considerado pela população em geral, como isento de efeitos adversos. Entretanto, como foi abordado, apesar de apresentar diversas atividades benéficas, o guaraná pode causar riscos à saúde. Por isso, são importantes as medidas de intervenção e de controle de qualidade para minimizar contaminações durante o processamento para obtenção do produto final.

Além disso, o uso do guaraná deve ser criterioso, uma vez que existem controvérsias quanto à dose segura recomendada de cafeína.



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Ashihara H, Crozier A. Caffeine: a well known but little mentioned compound in plant science. Trends Plant Sci. 2001; 6(9):407-13.

Camargo MCR, Toledo MCF. Teor de cafeína em cafés brasileiros. Ciênc Tecnol Aliment. 1998

Tfouni, S. A.V.; Camargo, M. C. E.; Vitorino, S. H. P. Contribution of guaraná powder (Paullinia cupana) as a source of caffeine in the diet, 2006

Bara, M. T. F.; Ribeiro, P. A. M.; Arantes, M. C. B.; Determinação do teor de princípios ativos em matérias-primas
vegetais

Sousa, S. A.; Alves, S. F.; de Paula, J. A. M.; Paula, J.R.; Bara, M.T.F.; Determinação de taninos e metilxantinas no guaraná em pó
(Paullinia cupana Kunth, Sapindaceae) por cromatografia
líquida de alta eficiência

Camargo, M.C.R.; Tfouni, S.A.V.; Vitorino, S.H.P.; Detemination of
polycyclic aromatic hydrocarbons (PAHS) in guaraná powder (Paullinia cupana)

4 comentários:

  1. Jéssica Domingos7 de abril de 2012 16:09

    O pó de guaraná se for consumido muito como estimulante, também pode causar comprometimento do sono, por que seus efeitos duram aproximadamente seis horas, o ideal é que seja consumido pela manhã, mas a maioria dos indivíduos consomem este produto à noite, principalmente estudantes, quando o sono noturno é perturbado o indivíduo passa a consumir pela manhã, em busca de um vigor não recuperado à noite, assim tal atitude propicia um quadro de dependência física e psicológica, apresentando sintomas como irritabilidade e dor de cabeça quando não há o consumo do guaraná. O comprometimento do sono pode levar também à causar deslizes mentais e físicos além de doenças mortais como a obesidade, diabetes e doenças do coração. E o consumo freqüente do produto também leva a desidratação e dificuldade de absorção de ferro no organismo.
    Referências bibliográficas :
    http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u412014.

    http://www.informacaonutricional.net/nutricao/guarana-em-po/
    http://www.anvisa.gov.br/alimentos/comissoes/novos_alimentos.htm

    ResponderExcluir
  2. O guaraná em pó traz uma série de benefícios para saúde humana e atua inclusive no combate ao câncer. Segundo pesquisadores da UFSM (Universidade Federal de Santa Maria) o guaraná em pó apresenta propriedades antitumorais que preservam a saúde do organismo e diminuem as chances de aparecimento de tumores cancerígenos. A pesquisa foi realizada na cidade amazonense de Maués (considerada Terra do guaraná), em parceria com a Universidade Aberta da Terceira Idade. O que chama a atenção é que 1% dos cerca de 50 mil habitantes tem mais de 80 anos, quando a média nacional de octogenários é de 0,5%. Os pesquisadores constataram que em Maués há menos obesidade, hipertensão, doenças cardíacas e câncer.

    ResponderExcluir
  3. Realmente o que posso no momento dizer é que o consumo do Guaraná Pó pode ser um grande aliado em questões como combater a fadiga e ou dar aquele gás para algumas necessidades e que precisa ser consumido com cautela e certamente os resultados serão bem melhore.

    ResponderExcluir