Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Mirtilo: fruto da juventude?





   Em uma sociedade em que a alimentação é cada vez menos saudável (excesso de açúcar, sal e aditivos artificiais) e os cuidados da saúde baseiam-se essencialmente em produtos farmacêuticos, é preciso reencontrar-se com nossa vasta agricultura biológica. Hoje em dia, tornam-se cada vez mais famosos os poderes medicinais e curativos de certos alimentos, há muito tempo esquecidos e pouco utilizados. Um desses alimentos é o mirtilo, conhecido como “fruto da juventude” ou “rei dos antioxidantes”. No entanto, quais são suas propriedades para que ele promova juventude? Isso é verdade ou lenda? Ele apresenta mesmo um teor tão alto de antioxidantes para que seja conhecido como o rei destes? Quais são os outros benefícios que esse fruto pode promover? Existe alguma contra-indicação em seu consumo?                
    O mirtilo não é apenas uma fruta saborosa. Pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) comprovaram que o mirtilo produzido no Brasil tem as mesmas características do blueberry - a versão original da fruta, cultivada nos Estados Unidos e na Europa - e possui a mesma quantidade de pigmentos antocianos. É este pigmento que age de maneira benéfica no nosso organismo: combate os radicais livres, é antiinflamatório, melhora a circulação e reduz o colesterol ruim.
  P
esquisas recentes sugerem que compostos presentes em mirtilos, conhecidos como flavonoides, são capazes de melhorar não só a memória, mas também o aprendizado e as funções cognitivas em geral, como compreensão verbal e habilidade numérica. Além disso, estudos que comparam hábitos alimentares com funções cognitivas em adultos sugerem que o consumo de flavonóides pode ajudar a desacelerar o declínio das funções mentais que geralmente acompanham o envelhecimento e até proteger de doenças como Alzheimer e Parkinson.

   Antioxidantes poderosos, os flavonoides ajudam a regular o fluxo sanguíneo e a pressão arterial e protegem as células de danos provocados por radicais livres que se formam no corpo durante a metabolização e são potencializados pelos efeitos da poluição, da fumaça de cigarro e da radiação. Por isso, os  pesquisadores investigaram, durante décadas, o potencial desses compostos para melhorar a imunidade, prevenir câncer e reduzir processos inflamatórios.
  Outro benefício comprovado do mirtilo está ligado à saúde dos olhos. Estudos científicos têm mostrado que o mirtilo previne doenças relacionadas à visão, como catarata e glaucoma, melhorando a capacidade de leitura e o foco da visão. Os antocianos presentes no mirtilo têm a capacidade de reverter ou evitar o problema, prolongando a capacidade visual.
  O mirtilo é assim, uma planta medicinal, cujas propriedades podem ser usadas para o tratamento de diversas doenças, e da qual se podem aproveitar quase todas as partes da planta: flores, folhas, fruto e raízes. Existem, no entanto, algumas contra indicações: devido ao alto teor em taninos não devem ser consumidos durante mais de 3 meses, nem frutos nem folhas, podendo causar irritação do estômago e intestinos, sobretudo se existirem problemas de gastrites ou úlceras.
   Agora, com o conhecimento sobre o mirtilo, a próxima ida ao supermercado, lembrar-se do mirtilo que, embora ainda seja bastante caro no nosso país, vai surpreendê-lo com o seu sabor e propriedades únicas.

Referências:
BRIOSA, F. (1998): Trabalho Agrícola, Tractores e Máquinas Agrícolas. DICT, Lisboa
MYERS, M. L. 64. Agricultura y Sectores Baseados en Recursos Naturales- Encicolpédia de salud Y Seguridad en el Trabajo - Bayas e Uva - Organización Internacional do Tabajo (OIT) 
Acesso ao endereço: http://www.todafruta.com.br/portal/icNoticiaAberta.asp?idNoticia=5570






3 comentários:

  1. Camille Nigri Cursino9 de setembro de 2013 08:53

    O mirtilo (blueberry) é uma pequena fruta originária da América do Norte, desde o sul dos EUA até o leste do Canadá. O fruto, também conhecido como uva-do-monte, ganhou destaque devido as suas propriedades medicinais. Os pesquisadores atribuíram esses benefícios aos compostos naturais encontrados no fruto, principalmente, às antocianinas. As antocianinas, que fazem parte da classe dos flavonóides, são pigmentos naturais. Devido ao elevado poder antioxidante, esses compostos exercem atividades biológicas e funções sobre a saúde, como, a prevenção de algumas doenças crônicas, incluindo o câncer, doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, aterosclerose e o diabetes. Porém, o cultivo de mirtilos ainda não é muito grande no país e os cultivares normalmente exploradas são do grupo rabbiteye, que estão mais bem adaptadas às condições climáticas, uma vez que são mais rústicas, porém as frutas são de qualidade inferior comparativamente às cultivares do grupo highbush, que são cultivadas principalmente nos Estados Unidos. Outro fruto, muito comum no Brasil é o fruto da Euterpe oleracea Mart., conhecido como açaí, que também contém quantidades significativas de flavonóides – as antocianinas, o que também atribui propriedades antioxidantes a esse fruto.

    Referências:
    BERNAUD, F.S.R.; FUNCHAL, C. Atividade antioxidante do açaí. Nutrição Brasil, v. 10, n. 5, 2011.
    RODRIGUES, E. Atividade antioxidante in vitro e perfil fenólico de cultivares de mirtilo (Vaccinium sp.) produzidas no Brasil. Dissertação em Ciência dos Alimentos (Pós-graduação em Ciência dos Alimentos, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2009.

    ResponderExcluir
  2. O mirtilo é uma fruta pouco conhecida no Brasil pertencente à família Ericaceae. Estudos sugerem que esta fruta apresenta propiedades antioxidantes, além de efeito anti-inflamatório, melhora da circulação e redução do colesterol LDL.
    Suas propriedades são atribuídas por ser um fruto rico em flavonoides, antocianidinas e resveratrol.
    Os Flavonoides são um grande grupo de metabólitos secundários da classe dos polifenóis, de baixo peso molecular encontrados em diversas espécies vegetais. Quimicamente ,os flavonóides são compostos tricíclicos possuindo dois anéis aromáticos.
    As Antocianidinas são parte de uma classe geral dos flavonoides. Elas são conhecidas por seus valores antioxidantes.
    O resveratrol é um polifenol. Estudos indicam que este pode ajudar a diminuir os níveis de lipoproteínas de baixa densidade,( LDL) e aumentar os níveis de lipoproteínas de alta densidade, (HDL).
    Esses três componentes tem aparente contribuição no combate os radicais livres, como sugerido no artigo acima. Além disso, em relação aos outros possíveis efeitos do mirtilo, um estudo publicado no Journal of Nutrition mostrou que o mirtilo protege contra a inflamação do tecido adiposo em ratos alimentados com uma dieta obesogênica. Esses efeitos do mirtilo foram atribuídos à habilidade das antocianidinas (presentes no mirtilo) ajudarem a regular genes inflamatórios. Esse estudo sugere a ação de proteção celular e anti-inflamatória do mirtilo.
    Outro estudo sobre mais uma propriedade benéfica do mirtilo foi publicado no periódico Circulation, que sugeriu que o consumo regular (3 vezes na semana) de mirtilos e morangos podem diminuir o risco de ataques cardíacos em mulheres. Essa propriedade foi sugerida pela presença de resveratrol (por prevenir processos oxidativos que levam a formação de aterosclerose), antocianidina (que também contribui para a redução da formação das placas de arterosclerose) e flavonoides (que possui propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias).
    As informações sobre os efeitos do mirtilo ainda não são muitasporém todas levam para descoberta de propriedades únicas na área de antienvelhecimento.

    ResponderExcluir
  3. Michelle Barcellar28 de maio de 2014 21:36

    O mirtilo é uma grande fonte de água, sendo assim, benéfico para processos metabólicos e reações químicas, além de apresentar uma porção considerável de cálcio, frente à outros frutos.
    Possui também elevada concentração de vitamina C, que possui ação antioxidante e alto teor de polifenóis, este, segundo estudos, possui maior atividade antioxidante ao fruto, fazendo com que ele esteja relacionado à longevidade. Os compostos fenólicos do mirtilo, inibem a formação do colesterol LDL e diminui a contração arterial em resposta a epinefrina. Assim, propicia o relaxamento arterial e regula a pressão do sangue.
    As antocioninas presentes no fruto integram a classe de flavonóides e relatou-se que elas promovem inibição de agregação plaquetária, possuem efeitos de vasoproteção, melhoram a função visual e também benefícios neurológicos.(GALLI, 2002)
    Outro componente que auxilia no efeito vasoprotetor, é o elevado índice de ácido gálico presente no mirtilo, promovendo inibição de tumores em ratos. O fruto é rico em vitaminas como a A, B, C e PP, possuindo ainda sais minerais, magnésio, potássio, cálcio, fósforo, ferro,manganês, açucares, pectina, tanino, ácidos cítrico, málico e tartárico

    Referências

    GALLI, R. L. Fruit polyphenolics and brain aging. Ann. N. Y. Acad. Sci., v. 959, p. 128-132, 2002.

    PORTLAND THE HEATOFNEWENGLAND. Wild blueberries may reduce risk fromcardiovasculardisease. 2006. Disponível em: Acesso em: 15 maio 2014.


    Por Michele Barcellar.

    ResponderExcluir