Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

  PediaSure®: Completo... pra quem?



    Pediasure é um alimento infantil indicado como suplemento nutricional ou ainda para o suporte total da nutrição em substituição ao leite materno em crianças de 12 meses até três anos de idade. O rótulo diz ter docosa-hexaenóico (DHA) e ácido aracdônico (ARA) importantes no desenvolvimento do bebê. Em contrapartida, é isento de lactose principal carboidrato do leite materno. Sendo assim, será que esse produto pode realmente substituir o leite materno? 
     
DESCRIÇÃO DO PRODUTO

Pediasure® é um produto da empresa Abbott. Recomendado para crianças a partir de 1 ano até os 10 anos de idade. É classificado como suplemento nutricional para crianças com dificuldades alimentares e também como substituto do leite materno em crianças de 12 meses até 3 anos de idade. Diz oferecer as crianças uma nutrição completa e balanceada necessária para o crescimento saudável.
O rótulo destaca conter ácido docosa-hexaenóico (DHA) e ácido aracdônico (ARA), substâncias encontradas no leite materno.
Os ingredientes informados no rótulo são : amido de milho hidrolisado, açúcar, proteína concentrada do leite, óleo vegetal de soja, óleo de girassol altamente oléico, proteína concentrada do soro do leite, minerais, triglicerídeos de cadeia média (TCM), proteína isolada de soja, frutooligossacarídeo (FOS), vitaminas, ácido docosahexaenóico do óleo de C. cohnii, dextrose, ácido aracdônico do óleo de M. alpina, taurina, m-inositol, óleo vegetal de milho, tartarato de L-carnitina, Lactobacillus acidophilus, Bifidobacterium lactis, aromatizantes, corante natural vermelho de beterraba, acidulante ácido cítrico e regulador de acidez hidróxido de potássio. O rótulo informa ainda não conter glúten no produto.
Tais ingredientes foram encontrados no róulo do produto, em uma farmácia brasileira. E, na tabela 1, resumimos a composição nutricional mostrada pelo mesmo produto.
Em bulas, na internet, são encontradas ainda informações nutricionais variadas e que diferem em muitos nutrientes, dos informados no rótulo do produto no mercado. Mencionamos aqui somente as informações encontradas no rótulo original do produto encontrado no mercado brasileiro.  

FUNDAMENTOS BROMATOLÓGICOS

As fórmulas infantis caracterizadas como substitutos do leite materno, onde se enquadra o Pediasure, devem mostrar-se o mais semelhante possível ao leite materno, apresentando substâncias indispensáveis ao bebê.
O leite materno é composto de carboidratos, lactose em maior quantidade, e outros açúcares como galactose, frutose e oligossacarídeos com ação bifidogênica maior que o leite de vaca. Principal proteína presente é a lactoalbumina. Outra proteína presente no leite humano é a taurina, ausente no leite de gado. Também encontramos determinados lipídeos, vitaminas e sais minerais.
As proteínas do leite humano são estruturais e estão em quantidade diferentes do leite de vaca. No leite humano, 80% do conteúdo proteico é de lactoalbumina, que no leite de vaca é de caseína. A baixa concentração de caseína no leite humano resulta na formação de coalho gástrico mais leve de fácil digestão.
Para se assemelhar a essa composição, as alternativas empregadas por algumas indústrias são variadas. No caso da porção proteica, a partir do leite da vaca, é induzida a coagulação da caseína para obter as proteínas do soro, isoladamente. Nestas encontramos em maiores concentrações a lactoalbumina e a lactoglobulina. O ônus desse processo é que o leite de vaca contém mais de 25 frações proteicas alergênicas , o que inclui a lactoglobulina, não presente no leite materno.
O Pediasure apresenta como fonte proteica, em sua composição, proteínas concentradas do soro do leite, principalmente, que é apenas uma outra denominação empregada para proteínas do soro.
Como principal fonte de carboidratos, o Pediasure emprega o amido de milho (oligossacarídeo) hidrolisado e a sacarose (dissacarídeo). Em baixíssima porcentagem encontramos a lactose (~2% dos carboidratos totais). A lactose  é um dissacarídeo composto de glicose e galactose. Tem teor menos adocicado, e não favorece o aparecimento de cáries, como a sacarose. Excetuando-se casos patológicos, a lactase (enzima que reage com a lactose, permitindo sua absorção intestinal) é a enzima predominante inicialmente no intestino do bebê. Assim, a adição de amido e sacarose, ao invés de lactose na formulação pode interferir no funcionamento do intestino do bebê, por não estar “preparado enzimaticamente” para receber essas substâncias. Na tentativa de contornar esse problema, é empregado a hidrólise desse amido para facilitar a absorção.
Desse modo, é um desafio para qualquer fórmula infantil que se denomina de suporte nutricional total ao lactente, substituir o leite materno. Assim é permitida pelo Codex Alimentarius (comissão da OMS que estabelece normas de padrões alimentares) a adição de ingredientes de substâncias que normalmente estão presentes no leite humano, para garantir uma adequada fonte de nutrição do lactente.
Assim, o Pediasure adiciona em sua composição o ácido docosa-hexaenóico (DHA) e ácido aracdônico (ARA), encontrados no leite materno, e importantes no desenvolvimento do cérebro e retina, como também a taurina e próbióticos, que auxiliarão na formação da microbiota intestinal do lactente (Lactobacillus acidophilus, Bifidobacterium lactis - presentes no intestino do bebê em aleitamento materno exclusivo), na tentativa de se assemelhar  leite materno

LEGISLAÇÃO 

    O Codex Alimentarius estabelece ainda, que lactose e polímeros da glicose devam ser os carboidratos preferenciais nas fórmulas baseadas em leite de vaca e proteína hidrolisada. E apenas amidos pré-cozidos ou gelatinizados poderiam ser adicionados, respeitando a porcentagem de apenas até 30% do carboidrato total. Sacarose e frutose deveriam ser evitados como ingredientes, devido intolerância hereditária não reconhecida.
        Analisando, neste trabalho, esta diferença tão básica da fórmula do Pediasure em relação ao leite materno, encontramos a Portaria GM 2051 de 2001 que classifica as formulas infantis alteradas como fórmulas infantis para necessidades dietoterápicas específicas. Ou seja, fórmulas que não apresentam determinados componentes do leite materno para atender necessidades específicas vindas de alterações fisiológicas ou alterações patológicas do lactente. A partir desta classificação pode se entender que o simples fato de o Pediasure não ter a lactose como principal carboidrato, já o carterizaria como fórmula especializada, o que não é informado pela Abbott.

DISCUSSÃO

      Na gestação, o bebê recebe nutrientes através da placenta, enquanto o sistema digestivo está sendo formado. Após nascer seu sistema digestivo continua a se desenvolver, para absorver carboidratos, aminoácidos, sais e outras substâncias provenientes da alimentação, essenciais para o desenvolvimento.
        Amamentação é aconselhada mesmo após a introdução de novos alimentos na dieta do bebê, até que se complete dois anos de idade ou mais. Embora não seja explícitamente citado na legislação, o produto entitulado “substituto do leite materno” deveria conter mesma composição de carboidratos e proteínas do leite humano, substâncias de mesma natureza e biodisponibilidade,como também anticorpos e alguns aminoácidos essenciais, para que o produto tenha mesmo valor biológico. Assim como outras substâncias exclusivas do leite materno como DHA e ARA. Deste modo, o apelo no rótulo dizendo contê-las seria desnecessário. Pois se são substâncias indispensáveis ao bebê a inserção, não só destas mas como demais componentes do leite humano, devia ser compulsória em todos os produtos descritos como “substitutos do leite materno”. Ao invés desse apelo, seria mais válida a informação do baixo teor de lactose no rótulo.
      Além disso, é importante ressaltar que o leite bovino contém beta-lactoglobulina, proteína que não existe no leite materno. Proteína alergênica ao ser humano, por não termos as enzimas para digeri-la. O leite bovino possui também três vezes mais proteína e cálcio que o leite humano, o que sobrecarrega o rim e aumenta a excreção urinária de cálcio.

CONCLUSÃO

Para possuir uma nutrição completa e balanceada o produto deve possuir as mesmas quantidades de nutrientes destinados a faixa etária de crianças 1 a 10anos. Porém, o metabolismo e o requerimento nutricional variam bastante nessa longa faixa etária. Existe uma enorme diferença fisiológica do trato gastrointestinal de bebês e crianças mais velhas.
    Além disso, a substituição do carboidrato (lactose) mais básico do leite materno por açúcar e amido pode ser um problema para o correto desenvolvimento da criança, por sua lenta absorção intestinal (polímero de glicose), por alterar sua fisiologia intestinal, e consequente absorção de nutrientes.
    Provavelmente, deve ser por esse motivo que o maior apelo do produto, no site da Abbott Nutrition, seja para crianças mais velhas que se alimentam mal, o que causa certa confusão sobre a indicação do produto: para quem este produto seria “nutricionalmente completo”? Bebês ou crianças ?
A empresa abbott Brasil não disponibiliza no site bula para esse produto. Não informa explicitamente ser isento de lactose, principal carboidrato do leite materno. 

BIBLIOGRAFIA

MARTIN, Clayton Antunes et al. Ácidos graxos poliinsaturados ômega-3 e ômega-6: importância e ocorrência em alimentos. Rev. Nutr. [online]. 2006, vol.19, n.6, pp. 761-770. ISSN 1415-5273.
Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=s1415-52732006000600011&script=sci_arttext> Acesso em 3/10/14
                
Eduardo, L. DIAS, M. Amamentação – Bases Científicas” 2ª. edição, 2005 pela Ed. Guanabara Koogan

PORTARIA Nº 2.051, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2001 – Dispõe sobre comercialização de alimentos para lactentes e crianças de primeira Infância, Bicos, Chupetas e Mamadeiras.

Centralx – bulas.med.br. Bulário de Medicamentos: Pediasure. Disponível em: <http://www.bulas.med.br/bula/10778/pediasure.htm> Acesso em 3/10/2014

Abbott Brasil. Pediasure®. Disponível em: <https://www.abbottbrasil.com.br/abbott/Portugues/nutricionais.php?PHPSESSID=8ef5bq74iqm8kdno4shmokk9f0> Acesso em 3/10/14

CODEX ALIMENTARIUS. International Food Standars. Disponível em: <http://www.codexalimentarius.org/> Acesso em: 3/12/14


AUTORAS:

KAREN VENTURA PAIVA 
E
SUELY MENEZES

5 comentários:

  1. Oi, Karen e Suely, estava fazendo uma pesquisa sobre o Pediasure e encontrei esse artigo da pesquisa de voces. Sou mae e estava buscando mais informacoes sobre o produto, ja que a pediatra do meu filho (11 meses) indicou essa formula. Aida amamento, bem menos agora e entrei com essa formula ha 2 semanas. Mas estou mt insegura de usa-la por causa do acucar. Vi que eh o segundo ingrediente. Sou super cuidadosa com a alimentacao dele e nao gostaria de introduzir acucar, caso fosse um tipo/qtd diferente do que ele tem no leite materno. Li o texto mas algumas partes com infos mais especificas nao ficaram claras pra mim. Poderiam me ajudar a entender melhor pros e contras dessa formula e a questao do acucar. O meu email eh fjanone@hotmail.com. Muito obrigada! Fernanda

    ResponderExcluir
  2. Oi, Karen e Suely, estava fazendo uma pesquisa sobre o Pediasure e encontrei esse artigo da pesquisa de voces. Sou mae e estava buscando mais informacoes sobre o produto, ja que a pediatra do meu filho (11 meses) indicou essa formula. Aida amamento, bem menos agora e entrei com essa formula ha 2 semanas. Mas estou mt insegura de usa-la por causa do acucar. Vi que eh o segundo ingrediente. Sou super cuidadosa com a alimentacao dele e nao gostaria de introduzir acucar, caso fosse um tipo/qtd diferente do que ele tem no leite materno. Li o texto mas algumas partes com infos mais especificas nao ficaram claras pra mim. Poderiam me ajudar a entender melhor pros e contras dessa formula e a questao do acucar. O meu email eh fjanone@hotmail.com. Muito obrigada! Fernanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fernanda.Estou na mesma situação.Pediatra passou pediasure mas eu tenho medonde dar pois sou super regrada com alimentAÇÃO saudáveis meu bb.O que vc fez?deu o pediasure?Me ajude...

      Excluir
    2. Oi Fernanda.Estou na mesma situação.Pediatra passou pediasure mas eu tenho medonde dar pois sou super regrada com alimentAÇÃO saudáveis meu bb.O que vc fez?deu o pediasure?Me ajude...

      Excluir
  3. boa tarde,
    tenho um filho de 1 ano e meio e a baba estava dando o pediasure como leite, uma colher a cada 30ml, já tem uns dias e não sabia, ele esta fazendo coco umas seis a sete vezes ao dia e esta assado em carne viva, a fezes está muito acida, quais os efeitos colaterais disso? Devo me preocupar? precisa de exame de sangue?

    ResponderExcluir