Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Glucerna: uma alternativa para a saúde ou para a estética?

Glucerna SR® é um produto desenvolvido inicialmente para tratar diabéticos, auxiliando no controle dos níveis de glicose no sangue por apresentar um sistema de carboidratos de absorção lenta. Contudo, além de não conter sacarose, também não contém nem glúten nem lactose, tornando-se elegível para os celíacos e intolerantes a lactose.
Conforme consta em seu rótulo, é um ‘’alimento para nutrição enteral ou oral em situações metabólicas especiais’’. O produto é llcomposto por carboidratos de lenta absorção, gorduras monoinsaturadas e rico em proteínas, bem como diferentes vitaminas e minerais. Em sua embalagem alega-se que há ‘’comprovação clínica na melhora da resposta glicêmica’’.
Estariam tais informações induzindo o consumidor diabético a uma utilização indiscriminada do produto? Em que situações foram feitos os estudos clínicos? Será esse um alimento funcional revolucionário e milagroso? Independente disso, a realidade é que os “consumidores de produtos estéticos de plantão” ou aqueles que “desejam perder uns quilinhos a mais” também ficam muito atraídos pelo produto. 
  
Descrição 

Glucerna SR® é um suplemento alimentar desenvolvido pelo Abbott para a nutrição enteral e para situações metabólicas especiais. Ele foi formulado para estados de tolerância anormal à glicose, auxiliando principalmente no tratamento de diabetes. Devido a sua composição por fibras e por carboidratos de absorção lenta (Fibersol), pode ajudar no controle da glicemia. Sendo isento de lactose e de glúten, intolerantes à lactose e celíacos podem consumi-lo sem os transtornos metabólicos peculiares à alimentação inadequada.
Imagem

Fundamentos Bromatológicos

A Distribuição Calórica da Glucerna SR acontece da seguinte maneira: Proteína: 20% Carboidrato: 47% Lipídeo: 33%. Sua fonte de proteína:  é 100% Caseinato de Ca, sua fonte de carboidrato se bi divide em 44% maltodextrina, 23% Frutose, 20% Maltitol e 7% Fibersol, sua fonte de Fibras se divide em 3%  Polissacarídeo de soja e 3% FOS, e sua fonte de Lipídeo: 93% Óleo de girassol de alto teor oléico e 7% Óleo de soja. Assim, o produto alega que fornece uma nutrição completa e balanceada segundo as recomendações da Associação Americana de Diabetes (ADA), já que esta preconiza dietas com gorduras fornecendo de 25 a 35% da energia e ricas em carboidratos complexos, fornecendo de 45 a 60% da energia.
Glucerna SR apresenta como carboidrato principal a maltodextrina, um carboidrato de lenta absorção. Como proteína de destaque tem-se o caseinato de cálcio, e como gordura monoinsaturada, o óleo de girassol. Também apresenta fibras (fibra de soja e frutooligossacarídeos), minerais (cálcio, ferro, fósforo, magnésio, zinco, manganês, selênio, iodo, potássio, cloreto, cobre, cromo e molibdênio) e vitaminas (A, D, E, K, C, complexo B, niacina, ácido pantotênico, ácido fólico, colina e biotina). 

Legislação

O registro do Glucerna SR na ANVISA se encontra na categoria de alimento para nutrição enteral e para situações metabólicas especiais.
De acordo com a Portaria SVS/MS nº 29, de 30 de março de 1998, que aprova o Regulamento Técnico referente a Alimentos para Fins Especiais, estes são definidos como ‘’alimentos especialmente formulados ou processados, nos quais se introduzem modificações no conteúdo de nutrientes, adequadas à utilização em dietas diferenciadas e/ou opcionais, atendendo às necessidades de pessoas em condições metabólicas e fisiológicas específicas.’’ 

Dentre dos alimentos para fins especiais está a categoria de alimentos para dietas de nutrição enteral que são ‘’alimentos com ingestão controlada de nutrientes, na forma isolada ou combinada, de composição definida, especialmente formulada e elaborada para uso por sondas ou via oral, industrializada, utilizada exclusiva ou parcialmente para substituir ou complementar a alimentação oral em pacientes desnutridos ou não, conforme suas necessidades nutricionais em regime hospitalar, ambulatorial ou domiciliar, visando a síntese ou manutenção dos tecidos, órgãos ou sistemas’’ (RDC 449/1999 - confirmar) 

De modo mais específico, define-se  como Alimento para Situações Metabólicas Especiais para Nutrição Enteral pela legislação? os  ‘’alimentos que apresentam redução, supressão ou incremento de um ou mais nutrientes, de forma a atender, total ou parcialmente, as necessidades nutricionais diárias de indivíduos com alterações ou doenças metabólicas específicas’’.
De acordo com o Codex Alimentarius, alimentos para fins médicos especiais são definidos como uma categoria de alimentos para usos dietéticos especiais, especialmente processados ou formulados e apresentados para o controle dietético de pacientes, podendo ser usados somente sob supervisão médica. 

Entretanto, o FDA (Food and Drug Administration) regula os alimentos funcionais baseado no uso do produto, na descrição presente nos rótulos ou nos ingredientes do produto, percebemos que o FDA classificou os alimentos funcionais em cinco categorias: alimento, suplementos alimentares, alimento para usos dietéticos especiais, alimento-medicamento ou medicamentos. Os alimentos-medicamentos são alimentos usados para fins dietéticos específicos em caso de uma doença ou condição para qual existam requisitos nutricionais distintos, baseados em princípios científicos, sob supervisão médica. Já os alimentos para fins dietéticos especiais são aqueles processados ou formulados para atender as necessidades de grupos específicos da população, devido a uma determinada condição fisiológica. Pela definição do FDA, Glucerna poderia ser melhor classificado como um alimento-medicamento, usados por pessoas com doenças ou condições particulares, no nosso caso, diabetes mellitus sob supervisão médica.
Já a ANVISA (ANVISA), regulamentou os Alimentos Funcionais através da Resolução n 18, de 03/12/1999 e da Resolução ANVISA/MS n 19, de 10/12/1999. Por definição, Alimento Funcional é todo alimento ou ingrediente que, além das funções nutricionais básicas, quando consumido como parte da dieta usual, produz efeitos metabólicos e/ou fisiológicos e/ou efeitos benéficos á saúde’’.
Legalmente falando, ao comparar O Codex, o FDA e a ANVISA nota-se que as classificações dos alimentos ficam muito confusas e cada agência regulamenta à sua maneira, dificultando uma definição e classificação correta, tanto do produto Glucerna SR como outros do gênero 

Discussão

Os carboidratos constituem nossa principal fonte de energia e correspondem a aproximadamente metade do valor energético total da alimentação. Andar, correr e trabalhar são atividades corriqueiras que normalmente recorrem a este "combustível". Eles podem ser simples ou complexos, e dependendo do tempo de digestão e da velocidade de absorção destes carboidratos, geram diferentes respostas fisiológicas.
A maltodextrina é um oligossacarídeo obtido a pela hidrólise parcial do amido, sendo sua estrutura semelhante à dele, porém, com menor peso molecular. Sua presença também é responsável por conferir maior viscosidade ao produto. Devido à necessidade de hidrólise posterior para serem absorvidos pelo sistema digestivo na forma de fragmentos menores, ela é considerada um carboidrato de lenta absorção.
O diabetes é uma síndrome metabólica de origem múltipla causada pela falta de insulina e/ou da incapacidade deste hormônio exercer adequadamente seus efeitos, levando um aumento da glicose no sangue. Isto ocorre porque o pâncreas não é capaz de produzi-lo em quantidade suficiente, ou porque o hormônio não age de maneira adequada, caracterizando a chamada resistência à insulina. O seu papel principal   é promover o aporte da glicose presente no sangue para dentro das células, reduzindo a glicemia.  Na falta ou deficiência do hormônio haverá aumento de glicose no sangue, podendo levar ao diabetes.
À medida que a glicemia aumenta as células β–pancreáticas secretam insulina, e no caso da maltodextrina, existe uma melhora da resposta glicêmica devida sua lenta hidrólise e absorção. Desta forma, a administração de um suplemento que contenha carboidratos de lenta absorção, no caso, a maltodexrina favorece a manutenção da glicemia sérica, pois a glicose é disponibilizada aos poucos, fazendo com que o índice glicêmico permaneça baixo, o que reduz o risco de uma hiperglicemia, que é a principal complicação do diabetes.
De modo semelhante, aqueles que possuem intolerância à lactose (devido a deficiência na produção da lactase, enzima que degrada a lactose) e os que possuem intolerância ao glúten (por causa genética ou orgânica, que leva a uma permeabilidade intestinal alterada), também podem se beneficiar por ter o suplemento como alternativa. Assim, o produto atende à necessidade dessas populações, que às vezes tem tanta dificuldade de se alimentar devido às restrições. 

Outros componentes presentes no produto que são bem atrativos para o “mundo nutricional” são as fibras alimentares que contribuem para um aumento da sensação de saciedade, já os lipídeos retardam o esvaziamento gástrico e assim tornam o processo de absorção mais lento ainda. Por este motivo, os ácidos graxos monoinsaturados presentes podem contribuir para a liberação lenta (slow release) de carboidratos, além de ter efeitos benéficos ao perfil lipídico. Devido essa sensação de saciedade muitos nutricionais e profissionais esportivos estão indicando Glucerna SR para dietas hipocalóricas como substituto de uma das principais refeições do dia. 

Por ser um produto dietético “bastante interessante”, “pessoas saudáveis”, que não apresentam situações metabólicas especiais, e que desejam “se livrar daqueles quilinhos extra” que tanto às incomodam, de uma maneira prática (e até lógica) poderiam se remediar com este suplemento, pela crença de ajudar na perda de peso. O problema disto é que muitas destas acabam substituindo uma refeição por um shake de Glucerna SR. Apesar de ser uma fórmula normocalórica e hiperproteica, será que de fato este alimento pode substituir uma refeição ou mesmo ajudar de forma relevante a perda de peso?
Conclusão
Glucerna SR é um suplemento alimentar relevante para pessoas diabéticas, intolerantes a lactose e celíacos, constituindo uma alternativa à “encruzilhada” de restrições que estes pacientes sofrem, sendo ainda bastante prático, uma vez que é facilmente preparado e/ou consumido.







4 comentários:

  1. Algo que podemos pensar é que a pessoa que não for diabética e ingerir esse produto com intuito de emagrecer poderá estar cometendo um erro, porque nas outras refeições podem estar acompanhadas de carboidratos de rápida absorção. Será que mesmo assim ela irá emagrecer mesmo assim?

    ResponderExcluir
  2. Tema muito interessante. Além das pessoas possívelmente consumirem este produto por motivos estéticos, a presença de caseína pode gerar dependência por conta da formação de opióides chamados de casomorfinas, que são gerados a partir da sua digesão. Superar esse vício é um desafio encarado por veganos, eles geralmente dizem sentir mais dificuldade de parar de comer queijo do que parar de comer carne.

    ResponderExcluir
  3. Thais Menezes dos Santos4 de abril de 2015 22:27

    Como dito pela Sara no comentário acima, é importante ressaltar que esse tipo de produto já possui muitos nutrientes e alto valor calórico. Para os consumidores que visam emagrecimento, deve-se avaliar a dieta diária dos mesmos para que excessos não sejam cometidos e que não haja um efeito contrário.
    Glucerna SR e produtos com a mesma proposta podem ser interessantes para pacientes diabéticos que passam por picos de hipoglicemia (principalmente diabetes tipo I, por conta da administração de insulina). A lenta absorção do carboidrato pode atenuar esse processo e proporcionar a eles um melhor trato com a doença.

    ResponderExcluir
  4. Estou tomando e me senti melhor .Só encuquei com de que País ele surgiu?Já vi Índia,Espanha e Holanda.Quem fabricou primeiro?

    ResponderExcluir