Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

LEITE INFANTIL NAN SOY, VALE OU NÃO VALE A PENA?


É de conhecimento geral que não há nada comparável ao aleitamento com o leite materno, principalmente nos primeiros meses de vida. Mas como proceder nos casos onde a criança possui algum tipo de alergia ou intolerância a lactose ou a galactose contida no leite? Ou ainda se a família dessa criança pratica uma dieta vegetariana restrita? Para esses casos encontram-se disponíveis no mercado diversos leites infantis que tentam mimetizar o leite materno, só que ao invés de conter lactose, contém proteínas isoladas de soja que não serão agressivas ao trato gastrointestinal de crianças sensíveis. Nesse post falaremos do Leite Infantil NAN SOY, que é indicado para crianças menores de 1 ano. O Leite Infantil NAN SOY contém todas as vitaminas e minerais essenciais para o desenvolvimento normal do bebê e sua fórmula é enriquecida com ferro,
L-metionina, L-carnitina, vitaminas, minerais, ferro e outros oligoelementos. Ainda na dúvida sobre o que é melhor para seu filho? Nesta postagem falaremos das principais características desse leite e de como ele age no organismo, trazendo suas características e funcionalidades. 


DESCRIÇÃO DO PRODUTO

Nan Soy®  é uma fórmula infantil composta de proteína isolada de soja, isenta de lactose. Conforme descrito no  rótulo, é preparada integralmente de proteína hidrolisada de soja e indicada para crianças a partir de 06 meses de vida que possuem  alergia à proteína do leite de vaca. Ainda segundo o rótulo, Nan Soy® contém a dose recomendada de proteínas, complementadas com óleo vegetal e maltodextrina, enriquecida com vitaminas, minerais e outros oligoelementos. O Nan Soy® contém vitaminas e minerais que os diferem do leite materno, mas que se mostram fundamentais para o desenvolvimento do bebê. Porém, como em todas fórmulas infantis são ausentes de substâncias bioativas, como imunoglobulinas, presentes no leite materno e importantes para a formação do sistema imunológico do lactente. Por ser composto de proteína de soja e indicado para lactentes com restrições ao leite materno ou de vaca, o Nan Soy® deve ser utilizado somente após indicação de um médico ou nutricionista.



Ingredientes : Maltodextrina, proteína isolada de soja (fonte protéica), oleína de palma, óleo de soja, óleo de coco, sais minerais (fosfato de cálcio, citrato de cálcio, cloreto de potássio, fosfato de magnésio, citrato de potássio, cloreto de sódio, sulfato de zinco, sulfato ferroso, sulfato de cobre, iodeto de potássio), óleo de girassol, vitaminas (vitamina C, niacina, vitamina E, pantotenato de cálcio, vitamina A, vitamina B2, vitamina B6, vitamina B1, vitamina D, vitamina K, ácido fólico, biotina, vitamina B12), metionina, cloreto de colina, taurina, L-carnitina e regulador de acidez hidróxido de potássio. Não Contém Glúten. Não contém leite ou produtos lácteos.

FUNDAMENTOS BROMATOLÓGICOS 

O leite materno é composto de diversas substâncias, como anticorpos, hormônios  e enzimas ativas que auxiliam no desenvolvimento nutricional e imunológico do recém-nascido. O leite artificial, chamado de ‘fórmula infantil’  contém nutrientes necessários para o desenvolvimento do bebê e são fabricados de acordo com as necessidades dos mesmos, variando sua composição para cada faixa etária específica. As fórmulas infantis são diferentes para atender as necessidades nutricionais para cada fase do bebê ou necessidades especiais, como fórmulas sem lactose, anti-refluxo, hipoalergênicas ou à base de soja, por exemplo. Segundo o fabricante, Nan Soy® é uma fórmula infantil especial fabricada com 100% de proteína isolada da soja e indicado nos casos de bebês com alergia á  proteína do leite da vaca. Nesses casos, a indicação é que haja a substituição na proteína animal.
Proteínas e Carboidratos : Como é indicado para crianças com alergias à compostos do leite, sendo, segundo o rótulo, isento de leite ou produtos lácteos, não teremos em sua composição lactose ou caseína, carboidrato e proteína presente no leite, respectivamente. Nesse caso , a fonte de carboidratos  é a maltodextrina, um polímero de glicose resultado da hidrólise do amido, Já a proteína é isolada integralmente da soja, rica em aminoácidos, vitaminas do complexo A,B e C e minerais.


Buscando a similaridade com os ácidos graxos presentes no leite materno, A fórmula contém ainda óleo de soja ( ácido α linolênico ) e óleo de coco ( ácido linoleico ), fonte de ω3 e ω6,, envolvidos na formação de prostaglandinas, prostaciclinas e outros mediadores químicos.
O Nan Soy® é enriquecido com sais minerais, vitaminas como o ácido fólico ( necessário para formação de proteínas estruturais e hemoglobina).

LEGISLAÇÃO

A produção e  comercialização  de fórmulas infantis é regulada por diversas agências regulatórias, tanto a níveis nacionais , como a ANVISA, quanto a níveis internacionais, como a Codex. No Brasil, o  decreto-lei nº 986, de 21 de outubro de1969 institui as normas básicas sobre alimentos e, dispõem, entre outros aspectos, sobre os registros e controles, rotulagem, aditivos e fiscalização dos alimentos em geral, entre eles as fórmulas infantis. As normas brasileiras são baseadas em recomendações internacionais do CODEX, FAO e OMS.
Atualmente, as fórmulas infantis são regulamentadas pelas seguintes normas:
·         RDC 43/2011 - Regulamento Técnico para fórmulas infantis para lactentes. De acordo com o inciso I do artigo 6º desta Resolução, fórmula infantil para lactentes é o produto, em forma líquida ou em pó, utilizado sob prescrição, especialmente fabricado para satisfazer, por si só, as necessidades nutricionais dos lactentes sadios durante os primeiros seis meses de vida (5 meses e 29 dias).

·         RDC 44/2011- Regulamento Técnico para fórmulas infantis de seguimento para lactentes e crianças de primeira infância. De acordo com o inciso I do artigo 6º desta Resolução, fórmula infantil de seguimento para lactentes e crianças de primeira infância é o produto, em forma líquida ou em pó, utilizado quando indicado, para lactentes sadios a partir do sexto mês de vida até doze meses de idade incompletos (11 meses e 29 dias) e para crianças de primeira infância sadias (crianças de doze meses até três anos de idade, ou seja, até os 36 meses), constituindo-se o principal elemento líquido de uma dieta progressivamente diversificada

·         RDC 45/2011- Regulamento Técnico para fórmulas infantis para lactentes destinadas a necessidades dietoterápicas específicas e fórmulas infantis de seguimento para lactentes e crianças de primeira infância destinadas a necessidades dietoterápicas específicas. De acordo com o inciso I do artigo 6º desta Resolução, fórmula infantil para lactentes destinada a necessidades dietoterápicas específicas é aquela cuja composição foi alterada ou especialmente formulada para atender, por si só, às necessidades específicas decorrentes de alterações fisiológicas e/ou doenças temporárias ou permanentes e/ou para a redução de risco de alergias em indivíduos predispostos de lactentes até o sexto mês de vida (5 meses e 29 dias). Além disso, conforme estabelece o inciso II do artigo 6º desta Resolução, fórmula infantil de seguimento para lactentes e crianças de primeira infância destinada a necessidades dietoterápicas específicas é aquela cuja composição foi alterada ou especialmente formulada para atender às necessidades específicas decorrentes de alterações fisiológicas e/ou doenças temporárias ou permanentes e/ou para a redução de risco de alergias em indivíduos predispostos de lactentes a partir do sexto mês de vida até doze meses de idade incompletos (11 meses e 29 dias) e de crianças de primeira infância, constituindo-se o principal elemento líquido de uma dieta progressivamente diversificada.


As fórmulas a base de soja podem ser enquadradas como fórmulas infantis para lactentes e fórmulas infantis de seguimento, desde que atendam ao estabelecido no artigo 19 das Resoluções RDC43 e 44 de 2011 ou, caso a fórmula seja destinada a uma necessidade dietoterápica específica, deve ser enquadrada como fórmula infantil para necessidades dietoterápicas específicas, atendendo à Resolução RDC45/2011.

DISCUSSÃO E CONCLUSÃO

alimentação de lactentes, muitas das vezes promovendo esse tipo de alimentação em detrimento do aleitamento materno. A inclusão de fórmulas que incluem o leite de soja para lactentes é uma questão que desperta dúvidas e incerteza por parte dos pais. É importante ressaltar que a fórmula infantil composta de proteína de soja só deve ser utilizada em casos de restrição alimentar, como em casos de deficiência primária de lactase, galactosemia, alergia a proteína do leite de vaca, além de lactentes de famílias vegetarianas em que não se deseja o consumo de proteína animal. Deve ser recomendada por um profissional habilitado, como médico pediatra ou nutricionista. A substituição do leite materno pela infant fórmula a base de soja ajuda a resultar em um crescimento adequado doa lactentes, mas deve ser consumida com cuidado e nunca substituídas por bebidas de soja, que inclusive não são recomendadas para crianças abaixo de 2 anos de idade. A soja possui uma grande quantidade de fitoestrógenos e isoflavonas, que por serem muito semelhantes aos hormônios sexuais, podem causar puberdade precoce. Além disso o leite de soja pode diminuir a capacidade de absorção de alguns nutrientes, como zinco, magnésio, ferro e cobre, provavelmente devido a presença de fitatos.
Antes de qualquer decisão quanto a substituição do leite materno pelas fórmulas infantis, é importante consultar o pediatra. Só ele saberá a melhor fórmula para seu filho.

BIBLIOGRAFIA


2. CODEX ALIMENTARIUS. International Food Standards . Disponível em : http://www.codexalimentarius.org/ctf/en/

3. Fórmulas lácteas infantis e sua utilização em crianças menores de 12 meses. Disponível em : http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=463

4. IDENTIDADE E LEGISLAÇÃO DE ALIMENTOS INFANTIS. Disponivel em http://www.aleitamento.com/amamentacao/conteudo.asp?cod=1531

5.THE ELETROCNIC JOURNAL OF PEDIATRIC. Ácidos Graxos Polinsaturados de Cadeia Longa. Disponível em : http://www.e-gastroped.com.br/sep06/acidosgraxos.htm


Alunas : Jéssica Monteiro de Oliveira
              Nathália se Souza Barboza Gomes


9 comentários:

  1. Excelente texto! Este é um assunto muito importante de ser abordado, uma vez que em decorrência da correria diária, e até mesmo da falta de tempo, muitos pais interrompem prematuramente a alimentação com leite materno, substituindo-o por leites industrializados. E é claro, que isto na maioria das vezes ocorre sem a orientação de um médico pediatra ou nutricionista, e ainda, sem conhecimento das consequências para a saúde do bebê. O leite materno contém proteína, açúcar, gordura, vitamina e água que o bebê necessita para ser saudável. Além disso, contém determinados elementos que o leite industrializado não consegue incorporar, tais como anticorpos e glóbulos brancos. É por isso que o leite materno protege o bebê de certas doenças e infecções, como otites, amigdalites, bronquiolites, pneumonias, diarreias, infecções urinárias e sepse. As crianças alimentadas com leite artificial têm maior risco de desenvolver linfomas, Diabetes tipo 1, e ainda de sofrer de obesidade na vida adulta. Por isso, torna-se tão importante a relação de custo-benefício da troca do leite materno por leite industrializado, na alimentação de crianças saudáveis.



    PASSANHA, Adriana; CERVATO-MANCUSO, Ana Maria e SILVA, Maria Elisabeth Machado Pinto e. Protective elements of breast milk in the prevention of gastrointestinal and respiratory diseases. Rev. bras. crescimento desenvolv. hum. 2010, vol.20, n.2, pp. 351-360. ISSN 0104-1282.
    http://www.leitematerno.org/porque.htm
    http://www.unicef.org/brazil/pt/activities_10003.htm

    ResponderExcluir
  2. O leite materno deve ser a primeira escolha para a alimentação de crianças recém-nascidas. Nas situações em que não é indicado, deve ser substituído pelas fórmulas infantis, observando-se com critério as particularidades de cada usuário. Algumas fórmulas infantis contêm 60% de proteínas do soro e 40% de caseína, melhorando sua digestibilidade, sendo enriquecidas com ferro e vitaminas A, E, D, C e complexo B. A menor concentração de sódio, potássio e cloretos diminui a sobrecarga renal de solutos e a adição de ferro às fórmulas auxilia na prevenção de anemias. Entretanto, por mais próximas que sejam em relação à composição do leite materno, as fórmulas lácteas infantis jamais alcançarão o seu grau de perfeição e de adequação à nutrição do lactente. Além disso, não é acessível à boa parte da população brasileira, deve-se, portanto, antes de tudo, incentivar e promover o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida e sua manutenção até os dois anos de idade

    O aconselhamento médico e nutricional é fundamental para segurança e êxito no uso destas formulações. O farmacêutico também deve conhecer e estar qualificado a prestar orientações sobre o uso correto desses produtos disponíveis em farmácias de dispensação. Ele deve estar apto a construir o perfil farmacoterapêutico dos usuários das farmácias e que este registro cronológico, além de informações sobre o uso de fármacos, deverá incluir ainda informações sobre alimentação objetivando racionalizar e promover o êxito dos tratamentos medicamentosos.

    ResponderExcluir
  3. Ruan Dantas de Sá Santos DRE:110129954

    texto muito explicativo, já que há pouca informação dando um parecer, existem informações em separado. É interessante ressaltar que há muitas propagandas e anúncios que podem induzir a utilização desse produto para lactantes que tenham alergia ao leite de vaca. Muitos pais ficam receosos de dar esse tipo de NAN a seus filhos, por conta da falta de esclarecimento, surgem dúvidas como:se o NAN SOY causa diarreia ou ressecamento. É de suma importância que a utilização do NAN SOY seja feito por orientação do medico e/ou do nutricionista, já que existe alguns produtos que também possuem soja, mas diferem quanto a composição como o APATAMIL e o ISOMIL poder ser melhor aceito por um lactante e pelo outro não, lembrando que a alergia pode varias de uma criança para outra como também os produtos que cada um pode utilizar.É desaconselhável que os pais utilizem esses produtos sem a orientação devida , além do leite de cabra que alguns pais dão ao seus filhos achando que pode ter um efeito diferente da alergia ao leite de vaca, o que não ocorre porque a proteínas similares nos dois leites.

    ResponderExcluir
  4. Texto muito bom e tema de excelente escolha e grande importância. Já se sabe que o leite materno é fundamental nos primeiros meses de vida pois, além de conter todas as proteínas necessárias para a nutrição do bebê, contém substâncias bioativas que nenhum leite industrializado (em pó) contém. Entretanto, atualmente há uma grande quantidade de recém nascidos com tolerância a lactose, não dando escolha a mãe quanto à interrupção da amamentação e por isso esse tema é tão importante. Mesmo não contendo as substâncias bioativas, como anticorpos, na sua composição, o NAN SOY é uma boa escolha para amamentação desses bebês tolerantes a lactose, porque apresenta uma composição isenta de leite ou produtos lácteos porém que tenta mimetizar o valor nutricional dos componentes do leite materno como : Maltodextrina que é uma fonte de carboidrato, e contém a dose recomendada de proteínas, complementadas com óleo vegetal, enriquecida com vitaminas, minerais e outros oligoelementos. Esse trabalho é importante para a compreensão, escolha e aprendizado dos pais que estão nessa situação de ter que trocar a amamentação materna por uma industrializada, e também é importante para os pais que não sabem a importância da amamentação materna e deseja suspender.

    ResponderExcluir
  5. Texto muito bom e tema de excelente escolha e grande importância. Já se sabe que o leite materno é fundamental nos primeiros meses de vida pois, além de conter todas as proteínas necessárias para a nutrição do bebê, contém substâncias bioativas que nenhum leite industrializado (em pó) contém. Entretanto, atualmente há uma grande quantidade de recém nascidos com tolerância a lactose, não dando escolha a mãe quanto à interrupção da amamentação e por isso esse tema é tão importante. Mesmo não contendo as substâncias bioativas, como anticorpos, na sua composição, o NAN SOY é uma boa escolha para amamentação desses bebês tolerantes a lactose, porque apresenta uma composição isenta de leite ou produtos lácteos porém que tenta mimetizar o valor nutricional dos componentes do leite materno como : Maltodextrina que é uma fonte de carboidrato, e contém a dose recomendada de proteínas, complementadas com óleo vegetal, enriquecida com vitaminas, minerais e outros oligoelementos. Esse trabalho é importante para a compreensão, escolha e aprendizado dos pais que estão nessa situação de ter que trocar a amamentação materna por uma industrializada, e também é importante para os pais que não sabem a importância da amamentação materna e deseja suspender.

    ResponderExcluir
  6. Pessoal,
    Se alguém de vocês conhecerem quem precise do Leite Nan soy.
    No núcleo de alergia do HU (Hospital Universitário) existem várias latas pra vencer 
    Vamos divulgar pra chegarem nas mãos de quem precisa e assim evitar tal desperdício.
    Peço que repassem aos seus amigos e grupos.
    Desde já agradeço a atenção. NEIDE CÂNDIDO 9983-3445

    ResponderExcluir
  7. Texto útil as mães de bebês com alergia a lactose.

    ResponderExcluir
  8. Texto útil as mães de bebês com alergia a lactose.

    ResponderExcluir