Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

terça-feira, 17 de junho de 2014

A enganação comercial dos produtos normal, diet, light e zero: O caso da gelatina.



         Os conceitos de diet, light e zero nos alimentos estão cada vez mais difundidos na cultura do consumidor, agregados a uma imagem de saudáveis e coadjuvantes no processo de emagrecimento.
A busca cega do consumidor por saúde dentro de embalagens, induzidas por estratégias de marketing e apoiada pela leitura rápida do rótulo sem análise dos componentes pelo consumidor, muitas vezes levam à escolhas inadequadas do produto e a ingestão de produtos com características nutricionais diferentes da necessidade real do consumidor, que muitas vezes mal sabe que existem diferenças ou qual é sua necessidade nutricional.
É importante que as definições de diet, light e zero estejam claras na mente do consumidor para que essas escolhas sejam feitas de maneira coerente e benéfica para quem vai ingerir o alimento.
Um alimento diet, ou dietético, é aquele com fins especiais. São alimentos formulados ou processados com modificações nutricionais a fim de atender às necessidades nutricionais de indivíduos em condições metabólicas e fisiológicas específicas. O caso mais conhecido é a utilização do termo para produtos com redução de açúcares e destinados à diabéticos, porém o termo também é aplicável a alimentos com redução de sódio destinado a hipertensos ou alimentos sem lactose destinados a pessoas com intolerância à lactose.
Já o termo light é uma informação nutricional complementear de um alimento “normal”, ou seja, é uma informação opcional para o fabricante que permite a identificação de um alimento com teores reduzidos de deterinados nutrientes comparados com sua referência, também de mesma marca e fabricante.
O termo zero, por sua vez, compreende alimentos com a não adição de algum componente, que pode ser açúcar, glúten, ou outro.
Para exemplificar uma situação real em que as embalagem induzem a erros, será apresentada uma análise de gelatinas de duas marcas conhecidas, no sabor morango, nas versões normal, diet, light e zero da marca Dr. Oetker e nas versões normal e zero da marca Royal.
A tabela 1, abaixo, especifica os teores de diferentes componentes em cada uma das versões abordadas de gelatina.


Normal
Light
Diet
Zero

Royal
Dr. Oetker
Dr. Oetker
Dr. Oetker
Royal
Dr. Oetker

Morango
Morango
Morango Silvestre
Morango
Morango
Morango

35g
75g
30g
12g
12g
12g







Gelatina
Sim
Sim
Sim
Sim
Sim
Sim
Açucar
Sim
Sim
Sim
-
-
-
Maltodextrina
-
-
-
Sim
Sim
Sim
Sal
Sim
-
Sim
Sim
Sim
Sim
Regulador de acidez
Ácido fumárico
Ácido fumárico
Ácido fumárico
Ácido fumárico
Ácido fumárico
Ácido fumárico

Citrato de sódio
Citrato de sódio
Citrato de sódio
Citrato de sódio
Citrato de sódio
Citrato de sódio
Acidulante
Ácido fumarico
-
-
-
-
-
Aromatizante
Sim
Sim
Sim
Sim
Sim
Sim
Edulcorante artificial
Ciclamato de sódio
-
Ciclamato de sódio
Ciclamato de sódio
Ciclamato de sódio
Ciclamato de sódio

Aspartame

Aspartame
Aspartame
Aspartame
Aspartame

Sacarina sódica

Sacarina sódica
Sacarina sódica
Sacarina sódica
Sacarina sódica

Acessulfame de potássio

Acessulfame de potássio

Acessulfame de potássio

Corante artificial
Bordeaux S.
-
Bordeaux S.
Bordeaux S.
Bordeaux S.
Bordeaux S.

Amarelo crepúsculo

Amarelo crepúsculo
Amarelo crepúsculo
Amarelo crepúsculo
Amarelo crepúsculo
Fenilalanina
Sim
-
Sim
Sim
Sim
Sim
Vitaminas
C
A, D, B1, B2, B6
C
A, C, D
-
-
Outros
-
Polpa de morango
Polpa de morango
Sulfato de Zinco
-



Polpa de cenoura
-
Selenito de sódio (selênio)




Ferro






Zinco






Corante natural carmim e urucum





0,25
0,32
0,56
1,83
1,74
1,49







Porção
7.8g
16g
7g
3g
2.8g
3g
Valor energético
29kcal
60kcal
25kcal
9 kcal
9 kcal
9 kcal
Carboidratos
5.7g
13g
4.9g
0.8g
0.5g
0.8g
Açucares
5.5g
-
4.7g
0g
0g
0g
Proteínas
1.4g
1.3g
1.3g
1.4g
1.5g
1.4g
Sódio
95mg
34mg
90mg
90mg
91mg
90mg
Vitamina C
16mg
-
10mg
8.1mg
-
-
Vitamina A
-
108mcg RE
-
108mcg RE
-
-
Vitamina D
-
0.9 mcg
-
0.9mcg
-
-
Vitamina B1
-
0.22mg
-
-
-
-
Vitamina B2
-
0.23mg
-
-
-
-
Vitamina B6
-
0.23mg
-
-
-
-
Zinco
-
1.3mg
-
1.3mg
-
-
Selênio
-
Sem informação
-
6.1mcg
-
-
Ferro
-
2.5mg
-
-
-
-
Tabela 1. Informações para as marcas de gelatina pesquisadas.
A partir da tabela 1 é possível observar que as gelatinas diet e zero substituem o açúcar por maltodextrina. A maltodextrina é um carboidrato de alta absorção, ou seja, esses produtos trocam um carboidrato por outro, o que pode não ser nada benéfico para os diabéticos, por exemplo, como costuma ser a indicação popular para uso destes produtos.
Todas as gelatinas, com exceção da gelatina normal do Dr. Oetker, possuem edulcorantes artificiais como parte de seus ingredientes.
A adição desses edulcorantes seria compreensível no caso das gelatinas diet e zero, onde não há adição de “açúcar”, mas a presença deles na gelatina normal torna-se questionável. Além disso, para consumidores que não apresentam restrições alimentares específicas deve-se ponderar muito a utilização de produtos com adição desses edulcorantes artificiais, visto que alguns estudos indicam que estes componentes podem estar relacionados a danos à saúde, inclusive sendo apontados como promotores de câncer[1-2].
A fenilalanina, presente em quase todas as gelatinas, pode ser perigosa para pessoas que contém uma doença chamada de fenilcetonúria, em que o organismo não consegue degradar fenilalanina. Assim, ela se acumula e forma componentes tóxicos que causam diferentes sintomas. O aspartame é um componente que contem a fenilalanina, entretanto, em muitos casos a fenilalanina não é descrita como ingrediente na embalagem de produtos que contém aspartame. O consumidor leigo não tem a obrigação de saber esta informação, que não é trivial.
Além disso, outras substâncias são comumente adicionadas aos produtos, como corantes artificiais que causam muitas vezes alergia nos consumidores, como o caso do corante amarelo crepúsculo, presente em quase todas as opções de gelatinas apresentadas, que tem sido apontado como responsável por hiperatividade em crianças[3]. A única que não apresentou a adição deste corante foi a gelatina normal do Dr. Oetker.
Das gelatinas que se declaravam ricas ou fonte de vitaminas, devemos levar em consideração que estas vitaminas são adicionadas e não naturais dos componentes que compõe a gelatina, não contintuindo exatamente a forma mais saudável.
Em relação a informação nutricional, o consumidor deve ficar atento ao valor apresentado como a quantidade em uma porção, que muitas vezes difere entre as formas do produto (normal, diet, light ou zero) mesmo quando os produtos contém a mesma quantidade por embalagem.
A tabela 2, abaixo, mostra as informações nutricionais de cada produto comparativamente e a quantidade de cada porção, fazendo por proporção os cálculos para um valor comum de porção.

Característica
Normal
Light
Diet
Zero
Marca

Royal
Dr. Oetker
Dr. Oetker
Dr. Oetker
Royal
Dr. Oetker
Sabor

Morango
Morango
Morango Silvestre
Morango
Morango
Morango
Peso

35g
75g
30g
12g
12g
12g
Preço por 10g (R$)
0,25
0,32
0,56
1,83
1,74
1,49
Informação nutricional







Porção
10g
10g
10g
10g
10g
10g

Valor energético
37.1kcal
37.5kcal
35.7kcal
30kcal
32.1kcal
30kcal

Carboidratos
7.3g
8.1g
7g
2.67g
1.8g
2,7g

Açucares
7.05g
-
6.7g
0g
0g
0g

Proteínas
1.8g
0.8g
1,86g
4.67g
5.3g
4.7g

Sódio
121.8mg
21.25mg
128.6mg
300mg
325mg
300mg

Vitamina C
20.5mg
-
14.3mg
27mg
-
-

Vitamina A
-
67.5mcg RE
-
360mcg RE
-
-

Vitamina D
-
0.6mcg
-
3mcg
-
-

Vitamina B1
-
0,14mg
-
-
-
-

Vitamina B2
-
0,14mg
-
-
-
-

Vitamina B6
-
0,14mg
-
-
-
-

Zinco
-
0.8mg
-
4.3mg
-
-

Selênio
-
Sem informação
-
20.3mcg
-
-

Ferro
-
1.6mg
-
-
-
-
Tabela 2. Informação nutricional corrigida por porção.

Em relação a informação nutricional, quando corrigidas o valor de porção, podemos constatar que todas apresentam valor energético muito similar, sendo aqueles que possuem baixo teor de carboidratos, apresentam uma quantidade de sódio muito maior em sua composição. Sendo assim, uma gelatina zero, com 0g de açúcar, seria boa para um diabético, mas péssimo para um hipertenso. Entretanto, frequentemente a diabetes é uma comorbidade de hipertensos, e vice-versa.
Portanto, antes de consumir qualquer produto, é necessário verificar seus componentes e seu valor nutricional, pois os rótulos acabam disfarçando algumas informações, além de exacerbar outras. É importante primeiramente traçar seu perfil nutricional e em seguida, escolher o produto adequado.
Neste trabalho, foi possível concluir que há diferenças significativas em alguns parametros e não significativas em outros, comparando as gelatinas normal, light, diet e zero, pelos seus componentes e seus valores nutricionais, além de diferenças entre as marcas.
Como esperado, as gelatinas diet e zero não possuem açúcar em sua composição, mas apresentam maltodextrina, não sendo indicadas para consumidores diabéticos. E a gelatina light quando comparada com a normal possui praticamente o mesmo valor calórico, quando corrigido pela porção.
Entre as marcas Royal e Dr. Oetker, foi possível concluir que a gelatina normal da marca Dr. Oetker substitui corante artificial por corante natural, além de utilizar apenas açúcar em sua composição e nenhum edulcorante. Por esse ponto de vista, a a gelatina normal da marca Dr. Oetker é melhor para consumidores que não possuem nenhuma restrição alimentar e nenhuma alteração metabólica, pois é notório que edulcorantes e corantes artificiais são prejudiciais à saúde.

Referências Bibliográficas
1- Soffritti, M. et al. First experimental demonstration of the multipotential carcinogenic effects of aspartame administered in the feed to Sprague-Dawley rats. Environ Health Perspect. 2006 Mar;114(3):379-85.
2- Consumption of artificial sweetener- and sugar-containing soda and risk of lymphoma and leukemia in men and women. Am J Clin Nutr. 2012 Dec;96(6):1419-28.
3- McCann, D. et al. Food additives and hyperactive behaviour in 3-year-old and 8/9-year-old children in the community: a randomised, double-blinded, placebo-controlled trial. The Lancet, Volume 370, Issue 9598, Pages 1560 - 1567, 3 November 2007.
4- ANVISA. Consumo e Saúde. Alimentos Diet e Light. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/8aa13280428f1f79950ad71bb0036de1/Consumo+e+Sa%C3%BAde+n+33+Alimentos+diet+e+light+-+entenda+a+diferen%C3%A7a+REVISADO+%C3%81REA+T%C3%89CNICA+13-01.pdf?MOD=AJPERES>. Acesso em: 05 jun 2014.






 Aluna: Ana Clara B. Medina D. Souza





13 comentários:

  1. Leonardo Bittencourt dos Santos - Aluno do 8º período de Farmácia da UFRJ18 de outubro de 2014 13:55

    Uma pesquisa bastante relevante, tendo em vista que muitas pessoas ainda confundem diet, light e zero. Muitos acham que diet e light são a mesma coisa e que ZERO significa, por exemplo, que o produto não tem açúcar como é o caso da Coca-Cola Zero. Um alimento diet1 ou dietético é aquele alimento que apresenta ausência de determinados nutrientes e que é indicado para determinadas patologias, como hipertensão, diabétes e outros disturbios do metabolismo de cada um. Ou seja, são criados para indivíduos que devem seguir uma dieta baseada na restrição de um determinado nutriente. Por isso. costumam ser confundidos com alimentos light, que apresentam níveis reduzidos de componentes, mas que apresentam os componentes. este último caso seria mais para a prevenção da patologia. Voltando ao caso da Coca-Cola ZERO, muitas pessoas, a mídia mesmo passa essa idéia, acham que o refrigerante não possui açucar. Mas, assim como mostrado na pesquisa, qualquer produto zero está erroneamento sendo denomidado de zero, pois contem açucar e todos os outros componentes. A quantidade de açúcar na coca-cola zero é a mesma que em qualquer outro refrigerante ou produto que contém corantes artificiais. O açúcar está presente em todos os produtos industrializados. A pesquisa faz o levantamento adequado de todos os pontos de comparação entre esses tipos de produtos e mostra bem a diferença, ou similaridade, de cada um deles.

    ResponderExcluir
  2. Uma pesquisa bastante relevante, tendo em vista que muitas pessoas ainda confundem diet, light e zero. Muitos acham que diet e light são a mesma coisa e que ZERO significa, por exemplo, que o produto não tem açúcar como é o caso da Coca-Cola Zero. Um alimento diet1 ou dietético é aquele alimento que apresenta ausência de determinados nutrientes e que é indicado para determinadas patologias, como hipertensão, diabétes e outros disturbios do metabolismo de cada um. Ou seja, são criados para indivíduos que devem seguir uma dieta baseada na restrição de um determinado nutriente. Por isso. costumam ser confundidos com alimentos light, que apresentam níveis reduzidos de componentes, mas que apresentam os componentes. este último caso seria mais para a prevenção da patologia. Voltando ao caso da Coca-Cola ZERO, muitas pessoas, a mídia mesmo passa essa idéia, acham que o refrigerante não possui açucar. Mas, assim como mostrado na pesquisa, qualquer produto zero está erroneamento sendo denomidado de zero, pois contem açucar e todos os outros componentes. A quantidade de açúcar na coca-cola zero é a mesma que em qualquer outro refrigerante ou produto que contém corantes artificiais. O açúcar está presente em todos os produtos industrializados. A pesquisa faz o levantamento adequado de todos os pontos de comparação entre esses tipos de produtos e mostra bem a diferença, ou similaridade, de cada um deles.

    Leonardo Bittencourt
    DRE 111318637

    ResponderExcluir
  3. Marcella Chaves Flores - aluna Farmácia UFRJ23 de outubro de 2014 09:06

    Pesquisa muito interessante, ainda mais para o dias de hoje, em que somos bombardeados com lançamentos de novos produtos da linha light, zero e diet, sem nenhuma explicação de composição e mecanismo de ação.
    Como uma consumidora ativa dos produtos light e zero, começo a repensar algumas escolhas e atitudes.
    Marcella Chaves Flores dre:110083043

    ResponderExcluir
  4. Clarissa Pellegrini Souza - DRE:11136379727 de outubro de 2014 10:59

    A pesquisa tem grande relevância haja vista a crescente preocupação com a imagem física, que está levando grande parte da população à busca de alimentos mais "saudáveis". Os consumidores recorrem aos produtos ditos "diets", "lights" e "zero" acreditando fazer a melhor escolha. Os conceitos destes tipos de alimentos são mal esclarecidos, o que prejudica na hora de escolher o produto correto para determinado fim nutricional. Além disso, o marketing e a rotulagem errônea prejudicam ainda mais o caso. Por fim, a pesquisa alerta sobre a importância de sempre verificar os componentes e o valor nutricional do alimento. Já que, muitas vezes, os rótulos acabam disfarçando algumas informações, além de exacerbar outras.

    ResponderExcluir
  5. Esther Faria Braga - aluna oitavo período Farmácia UFRJ30 de outubro de 2014 22:57

    Este artigo foi muito esclarecedor sobre as conclusões a que se chega quando somos cercados por produtos do tipo zero, light ou diet, as quais normalmente são enganosas já que não há de fato a diferenciação destes, quando, na verdade, cada um deve atender um propósito nutricional. No entanto, é preciso tomar muito cuidado ao examinar somente uma parcela dos componentes, como no caso de pessoas diabéticas, as quais devem não somente evitar produtos que não contenham (zero) ou sejam vendidos como adequados a este público (diet) por apresentar baixos/nenhum traços de açúcar, trocando-o por ingredientes ricos em sódio, aumentando ainda mais os riscos desta pessoa vir a apresentar problemas renais e cardiovasculares.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este artigo foi muito interessante, pois trata de um tema que sempre está sendo comentando, mas que gera muitas duvidas. As indústrias alimentícias procuram enganar seus consumidores instigando-os a comprar seus produtos com rótulos discriminando serem zero, light ou diet. O consumidor adquire o produto e muitas vezes não tem o interesse ou a instrução para procurar as respostas nas fontes corretas e acabam caindo na enganação dessas industrias. Os conceitos e definições de light, zero e diet devem ser mais abordados na nossa sociedade afim de prestar uma assistência a nossa sociedade.
      10° período - DRE:110083027

      Excluir
  6. Victor Max décimo período30 de outubro de 2014 23:48

    Este artigo foi muito interessante, pois trata de um tema que sempre está sendo comentando, mas que gera muitas duvidas. As indústrias alimentícias procuram enganar seus consumidores instigando-os a comprar seus produtos com rótulos discriminando serem zero, light ou diet. O consumidor adquire o produto e muitas vezes não tem o interesse ou a instrução para procurar as respostas nas fontes corretas e acabam caindo na enganação dessas industrias. Os conceitos e definições de light, zero e diet devem ser mais abordados na nossa sociedade afim de prestar uma assistência a nossa sociedade.
    10° período - DRE:110083027

    ResponderExcluir
  7. Bruno Cuzzoni DRE:11119790031 de outubro de 2014 00:18

    É importante lembrar que as indústrias alimentícias possuem única e exclusivamente o objetivo de obter "lucro".Dito isso, é comum por parte fazer apelo midiático para a "vaidade"(leia-se "insegurança") do consumidor com relação ao próprio corpo e à própria saúde.Logo,cabe ao próprio consumidor buscar o devido discernimento pelo qual vai aprender a questionar se os dados fornecidos a ele,ainda que verdadeiros, não são acompanhados por outras informações para as quais chama-se menos sua atenção que compensariam negativamente os efeitos desejados.

    ResponderExcluir
  8. Esse artigo é bem necessário para os dias atuais aonde existe uma grande ignorância a cerca dos diferentes tipos de alimentos. Entre light, diet e zero, os conceitos se perdem e diversas pessoas são enganadas esperando comprar algo que em sua cabeça tem um significado não muito claro e esse post ajuda a desmascarar isso. É muito importante distinguir todas os tipos e obedecer o conceito de cada um, pois o risco de consumir um produto que tem um label enganoso pode ser bem drástico e irreversível. Sabemos que as industrias alimentícias buscam o lucro, mas há um limite para isso.

    ResponderExcluir
  9. Jéssica Borsoi Maia do Carmo DRE 1090537921 de novembro de 2014 00:43

    O assunto diet/light/zero sempre levantou muitas discussões, principalmente sobre o que realmente estamos ingerindo. A definição correta dos termos empregados esclarece mais o consumidor e o leva a questionador a necessidade do produto. Como o mercado para estes produtos é grande e há uma abrangência de mercadoria, o conhecimento dos termos empregados e o que isso reflete de fato na composição nutricional do produto, auxilia o consumidor tornando-o mais crítico. Ótimo assunto abordado .

    ResponderExcluir
  10. Karen Ventura Paiva DRE: 110083069

    A diferença entre produtos normais e dietéticos sempre causou muitas dúvidas ao consumidor. Isso porque o fabricante não deixa claro e visível as diferenças entre os produtos. Este trabalhoé importante para ajudar a esclarecer mais sobre as diferenças diet/light/zero. Com frequência escuto as pessoas dizerem "pode consumir esse produto light, ele não tem açúcar". Para diabéticos e outras pessoas que possuem restrições alimentares é muito perigoso que as informações sobre os nutrientes não estejam bem visíveis e legíveis no rótulo. Uma vez meu pai, que é diabético, comprou um refrigerante com a informação no rótulo "ZERO" e disse pra mim que ele podia tomar. Quando analisei o rótulo, em letras miúdas dizia: zero de sódio. Primeiro de tudo as indústrias alimentícias precisam entender que o alimento vendido pode se tornar um veneno para seus clientes, se eles não fornecerem as informações de forma adequada no rótulo e se o produto não for produzido corretamente e com qualidade.

    ResponderExcluir
  11. Ótimo artigo para esclarecimentos. A preocupação com o peso faz centenas de pessoas se tornarem obcecadas em olhar os rótulos dos produtos, que se dizem lights, diets ou mesmo zero, para verem os seus nutrientes e a quantidade de calorias que estão consumindo. E é justamente nesses momentos, que podemos conferir a quantidade de erros presentes nessas embalagens.

    Um erro bem corriqueiro entre os produtos industrializados diz respeito à tabela nutricional. A tabela nutricional, por exemplo, pode esconder uma armadilha em produtos voltados para crianças. Isso porque o percentual de valores diários (% VD) – ou seja, as quantidades de nutrientes que devem consumir para se ter uma alimentação saudável – é baseado em uma dieta de 2.000 calorias. Mas crianças com menos de seis anos devem ter uma dieta de até 1.800 calorias, o que significa que as porcentagens seriam mais altas para elas.

    O caso da gelatina é bastante interessante, visto que esse alimento está incluso em grande parte das dietas recomendadas pelos nutricionistas. Em tese, a gelatina é tida como um alimento que não contém gorduras e é composto basicamente por água, por isso possui baixo valor calórico. No entanto, algumas gelatinas disponíveis no mercado possuem uma grande quantidade de açúcar, o que pode prejudicar a dieta. Por isso e por tudo que foi comentado no artigo, é importante que se tome cuidado ao ler e interpretar a tabela nutricional. É importante também deixar bem estabelecido para os consumidores a diferença entre os produtos citados, para que não haja risco de danos à saúde, como o caso dos diabético citado no artigo.

    Nathalia Meireles
    DRE: 110180235

    ResponderExcluir