Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

domingo, 19 de julho de 2015

Pastilhas Valda com Fibras, seu benefício é real?








As pastilhas são utilizadas por uma boa parte da população, para diversos fins, inclusive medicinal. Sendo assim criou-se a necessidade de melhorar as formulações das pastilhas para que pudessem assim trazer um benefício para a saúde do consumidor. A Valda, uma empresa líder em fabricação de pastilhas criou então uma pastilha diet com adição de fibras solúveis.

As fibras solúveis absorvem a água e se transformam em uma substância gelatinosa que envolve a gordura e impede a sua absorção, possuindo assim um benefício para a diminuição de peso, pois saciam a fome e diminuem o tempo de esvaziamento gástrico.
A pastilha Valda Fibras possui um alto marketing para os benefícios que estas pastilhas possuem, mas a quantidade de fibra solúvel é suficiente para o benefício? E a ingestão para estes níveis terapêuticos são prejudiciais?




Descrição do produto:
A Valda é uma marca líder na produção de pastilhas. Esta empresa produz desde 1902 vários tipos de pastilhas e chicletes para diversos fins, como melhorar o hálito ou diminuir o desconforto de uma dor de garganta. Em uma de suas inovações a Valda lançou a pastilha Bala Valda Fibras, que são balas mastigáveis, diferente de sua linha de produtos, que em sua maioria são pastilhas refrescantes, as balas mastigáveis vierem para inovar e aumentar a linha de produtos desta marca líder.
Esta nova linha de pastilhas possui em sua composição: Goma acácia, edulcorante natural xarope de maltitol, aromatizantes, glaceante parafina, edulcorantes artificiais ciclamato de sódio, acesulfame de potássio e sucralose, corantes naturais cúrcuma e clorofila e umectante glicerina.
A Goma acácia presente em sua composição é responsável pelo teor de fibras solúveis presentes. As fibras solúveis absorvem a água e se transformam em uma substância gelatinosa que envolve a gordura e impede a sua absorção, possuindo assim um benefício para a diminuição de peso, pois saciam a fome e diminuem o tempo de esvaziamento gástrico.
Enquanto fibras provenientes de outras matrizes possuem em média 0,20 g de fibras solúveis e uma porcentagem de fibras não solúveis em 100g, a goma acácia possui 42,50g de fibras solúveis em 100g e não possui em sua composição fibras insolúveis, sendo assim uma boa matriz para o preparo destas pastilhas, uma vez que a goma acácia é maleável e de boa consistência.
Com essas informações é fácil acreditar que esta pastilha é uma revolução para o emagrecimento, além de auxiliar contra a prisão de ventre e ainda ajudar na diminuição do colesterol! mas será que esta informação é verdadeira? A análise bromatológica irá auxiliar na resposta dessa pergunta.

Fundamentos bromatológicos
As fibras solúveis estão presentes em vários produtos que possuem exclusivamente este tipo de fibras com destaque para: a goma acácia, a pectina e a goma xantana.
O primeiro aspecto importante das fibras solúveis é o aumento do tempo de exposição dos nutrientes no estômago, proporcionando uma melhora na digestão dos mesmos, em particular os açúcares e as gorduras. Este aspecto contribui na regularização do metabolismo energético para um melhor aproveitamento no desempenho de todas as atividades físicas.
As fibras solúveis, assim como as insolúveis, agem igualmente sobre a velocidade do trânsito intestinal, porém sem aumento da absorção de água, estas também provocam reações de fermentação, produzindo altas concentrações de substâncias específicas denominadas de ácidos graxos de cadeia curta (AGCC), que são os principais promotores da motilidade do conteúdo fecal e regularizam o trânsito intestinal de forma suave, prevenindo várias doenças como: diarréia, inflamações intestinais e do câncer de cólon.
Estudos já realizados comprovam também que a ingestão de fibras solúveis contribui na diminuição da taxa de colesterol. As fibras solúveis formam uma camada superficial suave ao longo da mucosa do intestino delgado e servem de barreira na absorção de alguns nutrientes, atrasando o metabolismo essencialmente dos açúcares e das gorduras. Isto contribui sobremaneira para a estabilização do metabolismo energético, controlando os aumentos bruscos da taxa de glicemia.
Outra característica é que estas não são digeridas no estômago, mas no intestino aonde são expostas à flora intestinal. A fermentação destas fibras pelas bactérias da flora permite abaixar o pH deste meio, o que é favorável à saúde do organismo sob vários aspectos.
As fibras fermentadas convertem-se em nutrientes necessários para um melhor desenvolvimento das bactérias biofidos e lactobacilos, aumentando favoravelmente a flora bacteriana. Um dos pontos mais positivos da formação desta superpopulação bacteriana benéfica é a inibição por competição do crescimento de bactérias patogênicas (malignas). Com isso, o sistema imunológico do órgão também se torna fortalecido, prevenindo casos de infecções gastro-intestinais e até mesmo de câncer de cólon.
Sabemos que a recomendação diária de fibras é de 20 a 35g por dia, sendo necessário a proporção entre fibras solúveis e insolúveis presentes na nossa dieta deve estar equilibrada. Com isso, podemos dizer que seja necessário a ingestão de 15g diárias de fibras insolúveis. Sendo assim, vamos avaliar o quadro de informação nutricional:

 INFORMAÇÃO NUTRICIONAL - Porção de 20g (20 balas)***
Quantidade por porção
%VD*
Valor energético
35 Kcal= 147 kJ
2%
Carboidratos
8,6g
Dos quais:
           Açúcares - 0g                                      **
           Polióis - 4,8g                                       **
3%
Gorduras Totais
Gorduras Saturadas
Fibra Alimentar
Sódio
0,8g
0,5g
7,7g
22mg
1%
2%
31%
1%
*Valores Diários de referência com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kJ. Seus valores diários
podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.
** VD não estabelecido
Elaborado com goma acácia natural, qualquer alteração na cor do produto não compromete a sua qualidade. Consumir preferencialmente sob supervisão de médico ou nutricionista. Este não é um alimento com valor energético reduzido.Conservar em local seco, fresco e ao abrigo da luz solar. Após aberto consumir preferencialmente em até 10 dias.
​​

Como podemos notar, 20 balas possuem 7,7g de fibras alimentares, que por ser proveniente de goma acácia podemos acreditar que são de fibras insolúveis. Com isso para a ingestão diária ser alcançada se faz necessário a ingestão de 40 balas, que é um número elevado. Ingerindo 40 balas, estaríamos ingerindo 70Kcal,44mg de sódio e 1,6g de gorduras totais, pois sabemos que quando um produto não tem adição de açúcar, faz-se necessário a complementação com gorduras para a busca de um sabor mais agradável e aceitável pelo consumidor.
Assim após a avaliação de seus componentes podemos responder à pergunta sobre as pastilhas Valda Diet, será que seu benefício é real?
Como podemos notar não é recomendado a ingestão somente das balas como fonte de fibras solúveis, pois seriam necessárias 40 balas para atingir a recomendação diária. Uma quantidade muito elevada. Sendo assim, é necessário ingerir outros alimentos como frutos, hortícolas, leguminosas e alimentos contendo aveia, cevada ou centeio. Alimentos como estes citados além de fibras solúveis irão conter vitaminas, minerais e outros componentes necessários para a dieta de uma pessoa saudável. Porém podemos dizer que a utilização das balas ajuda de alguma maneira na ingestão destas fibras solúveis, porém somente junto à uma dieta equilibrada e exercícios físicos poderá contribuir para o emagrecimento e ser notado algum resultado.

Referências

  •          http://mundodasmarcas.blogspot.com.br/2006/08/pastilhas-valda-uma-atitude.html
  •         NELSON, A. L. Higher fiber ingredients. St. Paul: American Association of Cereal Chemists, 2001.         [ Links ]
  •          TROWELL, H. C. Definition of dietary fibre. Lancet, p. 503-505, 1974.         [ Links ]
  •          Wisker E. & Feldheim W., (1992), Faecal bulking and energy value of dietary fibre, in "Dietary fibre-A component of food", T.F. Schweizer & G.A. Edwards eds, Springer-Velag, London, pp. 233-246. 
  •          Bourquin L.D., Titgemeyer E.C. & Fahey G.C., (1993), Fermentation   of                          dietary               fibre       by human colonic bacteria: disappearance of, short chain fatty                        acid production from, and potential water-holding capacity of various substrates. Scand                       J. Gastroenterol., 28, 249-255.

Por: Izobel Dias e Karolline Mota.

Nenhum comentário:

Postar um comentário