Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

terça-feira, 7 de julho de 2015

Souvenaid: Iogurte pra memória?

Desde 2012 um iogurte da Danone esta no mercado discretamente, com a promessa de prevenção e tratamento da fase leve de Alzheimer. Para isso, Souvenaid® tem uma série de nutrientes: ômega 3 (DHA - ácido docosahexaenóico e EPA - ácido eicosapentaenóico), uridina, colina, micronutrientes e antioxidantes (B6, B12, Ácido Fólico, E, C, Zinco e Selênio), como descreve a fabricante. Levanta-se a questão: um iogurte terá mesmo eficácia na Doença de Alzheimer?



A Doença de Alzheimer (DA) é definida como “um transtorno neurodegenerativo

progressivo e fatal, que se manifesta por deterioração cognitiva e da memória,

comprometimento progressivo das atividades de vida diária e uma variedade de sintomas neuropsiquiátricos e de alterações comportamentais”. Embora seja de etiologia ainda não esclarecida, alguns fenômenos fisiopatológicos já foram identificados como degeneração da membrana nervosa com perda de neurônios e sinapses e estresse oxidativo. Atualmente, além de uma abordagem multidisciplinar, que envolva os diversos sinais e sintomas da doença, o tratamento medicamentoso é composto por inibidores da acetilcolinesterase como principal linha de tratamento da DA leve a moderada.



Estudos observacionais relatam que dietas ricas em peixes, frutas e hortaliças, que apresentam maior aporte de antioxidantes e ácidos graxos poliinsaturados, estão associadas a uma menor incidência de DA. Valendo-se deste princípio a Danone afirma que a combinação de nutrientes presente em Souvenaid® neutraliza a perda sináptica, estimulando a formação das membranas dos neurônios, reduzindo assim o processo patológico (desestruturação e perda de membranas neuronais) relacionados à Doença de Alzheimer. O alimento não possui indicação de uso e propriedade aprovada para Doença de Alzheimer na ANVISA, estando registrado apenas como “Alimento para suplementação de nutrição enteral ou oral”.
Como é de se esperar, as maravilhas propostas por Souvenaid® tem alto custo: cada embalagem custa torno de R$11,00, proporcionando um custo mental em torno de R$330,00, visto que a recomendação da fabricante é de uma unidade ao dia.  Em fevereiro de 2014 Souvenaid® teve sua incorporação no SUS negada, pois a comissão avaliadora alega que as evidencias de eficácia e segurança são fracas, inexistentes ou de e de questionável relevância clínica. (CONITEC 118- 2014). A evidência atualmente disponível sobre eficácia e segurança do Souvenaid® para melhora de memória em pacientes com Doença de Alzheimer na fase leve é baseada em ensaios clínicos controlados por placebo conduzidos pela empresa fabricante.
Levando em consideração que a idade é fator de risco para desenvolvimento de DA, a população alvo da fabricante seria a população idosa. Com alto custo agregado, fica então a questão de até que ponto a incorporação deste produto na dieta da população alvo se mostra conveniente.

Referencia: http://conitec.gov.br/images/Incorporados/Souvenaid-final.pdf  

Alunas: Gabriela Amaral
             Rayssa Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário