Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

O uso de capsulas de cafeína e o risco de toxicidade


O uso da cafeína em cápsulas para o emagrecimento pode oferecer riscos?

De acordo com a Nutrilatina, as cápsulas de LINOLEN® LINOLASER CAFFEINE contém 300 mg de cafeína livre e microencapsulada, agindo diretamente na queima da gordura acumulada no tecido adiposo, promovendo redução significativa da celulite e das medidas corporais, uma vez que a disfunção envolve o aumento das células de gordura. A tecnologia usada no processo físico-químico a qual a cafeína é obtida, proporciona a liberação gradual da substância ativa no corpo. Com isso, aumenta seu tempo de permanência no organismo e prolonga os efeitos da cafeína sobre a redução da celulite e das medidas corporais. Essas cápsulas possuem 300 mg de cafeína que, se combinada com o consumo de cafeína presente em outras bebidas consumidas normalmente no dia a dia como o café e a coca-cola, pode ultrapassar o limite máximo diário de 400 mg  e trazer efeitos tóxicos ao organismo.  A tecnologia utilizada nas cápsulas aumenta o tempo de permanência da cafeína no organismo, que apesar dos efeitos benéficos obtidos da termogênese da cafeína, aumento o risco de toxicidade, se não controlada a quantidade de cafeína diária.



Revisão da legislação:
De acordo com a RDC 18 de 2010 os suplementos de cafeína para atletas devem fornecer entre 210 e 420 mg de cafeína na porção. Nos rótulos de suplementos de cafeína para atletas deve constar a advertência em destaque e negrito: "Este produto não deve ser consumido por crianças, gestantes, idosos e portadores de enfermidades". A quantidade de cafeína na porção deve ser declarada no rótulo do produto. De acordo com o FDA o limite máximo diário de cafeína é de 400 mg.

Fundamentos bromatológicos anunciados e discussão














O LINOLEN® LINOLASER CAFFEINE possui 300 mg de cafeína declarados no rótulo, estando adequado a legislação. A Nutrilatina informa em seu site que o produto é útil para a redução de peso e de celulite devido às propriedades termogênicas da cafeína e da tecnologia utilizada nas cápsulas, que permite um maior tempo de permanência da cafeína no organismo. Porém, não alerta sobre os perigos da cafeína que, apesar de sua propriedade benéfica de termogênese, pode apresentar uma série de efeitos tóxicos que podem estar associados a um consumo elevado ou até a uma lenta metabolização pelo organismo. A cafeína está presente em muitas bebidas e alimentos consumidos diariamente, como o mate, a coca-cola e a própria xícara de café. Uma xícara de café expresso contém em torno de 80 mg de cafeína, se uma pessoa consumir uma cápsula de LINOLEN® LINOLASER CAFFEINE no dia, que possui 300 mg de cafeína, e duas xícaras de café, somando 460 mg, o limite máximo já teria sido ultrapassado. Além disso, o tempo de permanência da cafeína proveniente dessas capsulas no organismo é maior, podendo potencializar seus efeitos adversos.  Para que uma pessoa faça uso dessas cápsulas, a quantidade diária da cafeína consumida em cada alimento teria que ser calculada a fim de se evitar os efeitos tóxicos que ela pode causar. Entre esses efeitos estão: palpitações, convulsões, dores de cabeça e ansiedade. Além disso, deve ser levada em conta a sensibilidade á cafeína, que varia dependendo do indivíduo. A metabolização é mais lenta durante a gravidez, por isso mulheres grávidas devem ter cuidado e moderar o consumo dessa substância. Pessoas que são sensíveis à cafeína precisam evitar o consumo dessas cápsulas, já que possuem um maior risco de apresentarem os efeitos tóxicos dessa substância.

Conclusão
A necessidade de ingestão das cápsulas de cafeína deve ser bem analisada, já que a cafeína pode ser obtida de outros alimentos e bebidas, assim como a sua propriedade termogênica. Não é recomendada a ingestão dessas cápsulas por gestantes e pessoas sensíveis a essa substância, o que deveria ser alertado no rótulo e no site da Nutrilatina. O rótulo do produto também deveria alertar sobre os possíveis efeitos tóxicos da cafeína em dose elevada, orientando sobre o controle do seu consumo em cápsulas juntamente com outros alimentos e bebidas que contenham cafeína. A sua quantidade deve ser calculada e controlada, respeitando o limite máximo de 400 mg diminuindo os riscos de ocorrência de efeitos tóxicos.

Referências Bibliográficas
Disponível em <http://www.goiasagora.go.gov.br/vigilancia-sanitaria-orienta-sobre-o-uso-de-termogenicos/> Acesso em 22/12/2016
Disponível em <https://www.proteste.org.br/alimentacao/refrigerante-e-bebida/noticia/cafeina-nao-consuma-em-excesso> Acesso em 22/12/2016
Disponível em <http://www.nutrilatina.com.br/institucional/o-poder-da-cafeina-agora-em-capsulas/> Acesso em 22/12/2016
Disponível em < http://www.fda.gov/downloads/ForConsumers/ConsumerUpdates/UCM350740.pdf> Acesso em 22/12/2016
Disponível em < http://portal.anvisa.gov.br/documents/33916/394219/RDC%2B18_2010.pdf/d6815465-e99a-477f-bb35-48b1432b380e> Acesso em 22/12/2016.

Um comentário:

  1. Ana Gabriela de Almeida Silva19 de março de 2017 12:11

    Importante o texto do colega, principalmente nos dias de hoje, em que as pessoas buscam o "corpo perfeito" e tentam fazê-lo a qualquer custo, sem ajuda de um profissional devidamente qualificado, ignorando os riscos à saúde. Não só as cápsulas de cafeína, mas também outros termogênicos, como a L-carnitina, por exemplo e outros suplementos, como a própria proteína isolada, são utilizadas sem quaisquer orientação e, muitas vezes, a pessoa que utiliza esse tipo de suplementação acaba misturando vários produtos diferentes, o que acaba por aumentar o risco a saúde, tanto a curto quanto a longo prazos. A "auto-suplementação" juntamente com a facilidade de adquirir esse tipo de produto pode acarretar sérios problemas a quem se suplementa sem orientação. Dessa maneira, vale ressaltar que qualquer tipo de suplementação deve ser feita com a orientação de um nutricionista, nutrólogo, ou outro profissional habilitado, evitando danos à saúde do "usuário".

    ResponderExcluir