Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

COM OU SEM AÇÚCAR?




É comum encontrarmos nas prateleiras de supermercados alimentos que indicam baixa ou nenhuma adição de açúcar. Tais produtos são, ou seriam, vantajosos ao público que possui restrições em sua alimentação e precisa ou deseja fazer ingestão de carboidratos menor em relação a população como um todo, porém o que chama a atenção é que alguns desses produtos tem sabor e apresentação de alimentos caracterizados justamente por seu alto teor de açúcares. 

A marca Lowçucar é especializada em produtos alimentícios com restrição de açúcar refinado. Entre seus produtos está um biscoito de chocolate cujo rótulo informa que não há açúcar presente em sua composição. No entendo, na análise dos ingredientes estão presentes diversos açúcares ou produtos da reação destes com outros compostos, como álcool, por exemplo. Tais ingredientes são chamados de adoçantes ou edulcorantes.

Diante disso, podemos dizer que realmente se trata de um produto com ZERO adição de AÇÚCAR?

Embora a Portaria 152, de 13 de Dezembro de 2013 define açúcar como "produto obtido a partir da cana-de-açúcar pertencente às cultivares provenientes da espécie Saccharum officinarum L. através de processos adequados" e todos os adoçantes utilizados no produto constam na lista de edulcorantes permitidos pela ANVISA, é preciso que se tenha muito cuidado com os rótulos que acompanham os alimentos, pois há presença sim se substâncias edulcorantes e adoçantes que usadas de forma indiscriminada resultam no aumento glicêmico, uma vez que o público pode consumir o biscoito em quantidade excessiva por tratar-de se um produto "sem açúcar", o que pode ser perigoso principalmente para crianças com restrição alimentar de carboidratos.

Tratando-se então de produtos dietéticos fica sempre a pergunta do que é considerado açúcar e se realmente podemos dizer que há ausência deles.


Fontes consultadas:
- Portaria 152, 13/12/2013 : http://www.lex.com.br/legis_25168439_PORTARIA_N_152_DE_6_DE_DEZEMBRO_DE_2013.aspx

- http://www.alimentosprocessados.com.br/arquivos/Ingredientes-e-aditivos/Adocantes-ABIAD.pdf

- http://www.scielo.br/pdf/%0D/abem/v46n3/10899.pdf

- http://lightsweet.com.br/lowcucar/

- Ficha Técnica do produto http://lightsweet.com.br/lowcucar/uploads/produtos/pdf/biscoito-recheado-sabor-chocolate-fichatecnica-1442344955.pdf

3 comentários:

  1. Bianca Soares da Silva16 de março de 2017 22:54

    Nome: Bianca Soares da Silva
    DRE: 112116884
    Turma: Bromatologia Integral - Farmácia UFRJ

    Os alimentos ditos como zero açúcar são produzidos com a exclusão total de algum componente, como no caso do produto Biscoito Recheado – sabor chocolate (Marca: lowcucar) a exclusão do açúcar. No caso desses produtos não há redução de gorduras e sais e sim, apenas a substituição por componentes não calóricos. Para existir a alegação de, por exemplo, “zero açúcar”, o produto pode apresentar no máximo 0,5 gramas de açúcar em 100 gramas do alimento pronto para o consumo. Entretanto, vale a pena ressaltar que apesar de descrito que o produto é Zero açúcar ele não é isento de gordura, conforme descrito no rótulo do produto (Gordura totais = 4,9g e gordura trans= 0,9g). Diante disso, a quantidade de calorias desse tipo de produto é mais baixa em comparação aos demais. É importante a leitura do rótulo como um todo e dos termos para a proteção e promoção da saúde do consumidor, principalmente porque são usados outros produtos na substituição do açúcar.
    No site da empresa eles mencionam: “Os produtos oferecidos pela Marca Lowçucar proporcionam aos consumidores a comodidade e praticidade em produtos Zero açúcares com qualidade e com o sabor do açúcar.” Apesar de mencionar que o mesmo é sem açúcar, são utilizados outros aditivos alimentares que são substâncias intencionalmente adicionadas aos alimentos com o objetivo de conservar, intensificar ou modificar suas propriedades, desde que não prejudiquem seu valor nutritivo. No rótulo do produto não é especificado qual tipo de aditivo foi utilizado no biscoito, o que também deveria ser mencionado visto que os mesmos também podem ser maléficos a saúde.

    ResponderExcluir
  2. O papel desse tipo de marketing ajuda a ludibriar os consumidores que muitas vezes são leigos em relação aos termos que são desconhecidos para a maior parte da população, é necessário que se indique que apesar do produto não ter açúcar, quando se tem por definição que açúcar é "um produto obtido a partir da cana-de-açúcar pertencente às cultivares provenientes da espécie Saccharum officinarum L. através de processos adequados", ele pode conter outros tipos de carboidratos que podem causar efeitos indesejados em pessoas com doenças como diabetes por exemplo. É importante que haja uma maior vigilância vinda dos órgãos fiscalizadores para que as industrias e empresas que tem esse tipo de produto e fazem propagandas enganosas sejam devidamente orientadas e obrigadas a informar exatamente o que o consumidor estará levando ao comprar o produto para que este não sofra nenhum tipo de prejuízo por achar que o produto realmente não apresenta nenhum tipo de agente hiperglicemiante.

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente a maioria dos alimentos vendidos como zero açúcar apresentam adição de gorduras e outros aditivos para se obter sabor e assim serem aceitos pelo público. O consumo desses alimentos por indivíduos que façam restrição como diabéticos, pode ser tão prejudicial quanto o uso do açúcar refinado, pois alguns aditivos como a maltodextrina é facilmente absorvida no trato gastrintestinal e rapidamente metabolizada em glicose, causando aumento exponencial de insulina.
    É de conhecimento geral que gorduras, principalmente as trans que são adicionadas aos alimentos industrializados, aumentam os níveis de LDL na corrente sanguínea, contribuindo com doenças coronarianas e obesidade que são doenças geralmente associadas à diabetes mellitus do tipo 2.
    Por fim, muitas das vezes esse alimentos não são bons substitutos à alimentação comum, e por isso se faz necessário o acompanhamento de um profissional competente para auxiliar no que tange a alimentação já que a legislação é falha nesse sentido.

    ResponderExcluir