Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Consumo de barrinhas de cereais e de frutas para incluir fibras na alimentação: o que dizem os rótulos ?




  
                               
           
  As barras de cereais foram lançadas com o apelo de servir como alternativas saudáveis de alimentação. Sabe-se que na busca por mudanças alimentares benéficas, é importante a inclusão de produtos ricos em elementos essenciais como vitaminas, proteínas, fibras alimentares, entre outros. De acordo com a legislação e análise dos rótulos de algumas barras de cereais e de frutas disponíveis no mercado que alegam ser "fonte de fibras" ou ter "alto teor de fibras", esses produtos seriam uma opção para a inclusão de fibras na alimentação ?

Descrição do produto

 As barras de cereais apresentam-se como lanches práticos e rápidos para pessoas que possuem interesse em dieta e saúde. Neste contexto, as barras de cereais são preparadas a partir da escolha de cereais, carboidratos e outros componentes, levando em consideração a busca por sabor e valor nutricional através de aporte energético, baixo teor de gorduras e alto conteúdo de fibras. As barras de cereais podem ser as de granola e as de cereais e esses produtos são coextrusados a partir de  uma massa cozida com adição de pasta de frutas, podendo ocorrer a  mistura dos cereais com outros produtos  como nozes, castanhas e frutas. As barras são formadas a partir da mistura com compostos ligantes e posteriormente são extrusadas a frio e embaladas.


 Fundamentos Bromatológicos

     As fibras alimentares são a denominação nutricional das porções comestíveis dos vegetais que não possuem a capacidade de serem digeridas e absorvidas pelo trato gastrointestinal, e passam de maneira intactas para o intestino grosso onde ocorre a fermentação completa.





Segundo a classificação da Comissão em Nutrição e Alimentos para  Usos Especiais na Dieta (CODEX) as fibras dietéticas têm a composição química constituídas por polímeros de carboidratos com dez ou mais unidades monoméricas, as quais são resistentes à hidrólise por enzimas endógenas no intestino de seres humanos.

    De acordo com a solubilidade, as fibras podem ser classificadas em dois grupos de acordo com a solubilidade: as fibras solúveis, que são presentes em frutas, verduras, aveia, cevada, centeio,  leguminosas (ex : pectinas, gomas, mucilagens) e as fibras insolúveis, presentes em verduras, farelo de trigo, cereais integrais (ex : celulose, hemiceluloses, ligninas) .

    No ponto de vista fisiológico, as fibras solúveis atuam na redução no esvaziamento gástrico (maior saciedade), no aumento do tempo de absorção dos nutrientes no intestino delgado, permitindo a proliferação de bactérias da flora intestinal, na manutenção dos níveis de minerais, diminuição dos níveis de colesterol sanguíneo e proteção contra o câncer de intestino. Já as fibras insolúveis possuem ação no aumento do volume e fluidez das fezes, estimulando o bom funcionamento intestinal e na prevenção de constipação intestinal pois atuam como laxantes naturais).

Para que sejam alcançados as ações fisiológicas benéficas da fibras,  a recomendação de ingestão de fibra alimentar total para adultos é de 20 a 30g/dia, o que demonstra que a informação nutricional contida nos rótulo deve atuar como uma ferramenta que auxilie o consumidor para que se alcance essa quantidade.

Legislação

    As barras de cereais são produtos embalados que possuem rótulos, que são qualquer  informação contida na embalagem referente ao produto. Nos rótulos a informação do perfil nutricional pode ser feita pela Informação Nutricional Complementar (INC) que utiliza denominações como “rico em fibras”, entre outras, nas regiões mais visíveis da embalagem de acordo com a Resolução Nº 54/2012. Já a outra maneira de informação nutricional é a obrigatória ou absoluta, localizada na parte posterior da embalagem e que contém dados quanto às calorias, carboidratos, proteínas, gorduras totais saturadas e trans, teor de fibras, sódio, entre outros nutrientes.

A RDC nº 54 de 12 de novembro de 2012 dispõe que um alimento sólido é considerado fonte de fibra quando possuir um mínimo de 2,5 g de fibra/porção  e como alto teor de fibra, quando contém,no mínimo, 5g de fibras/porção.

Discussão e análise
       
 Foram avaliados os rótulos de 3 marcas de barras de cereais disponíveis no mercado com a finalidade de verificar se a rotulagem está de acordo com o especificado na legislação.

Na tabela abaixo pode-se ver que nenhuma das barras esta de acordo com regulamento técnico sobre a informação nutricional complementar da ANVISA, 2012.  Segundo este regulamento, para que as barras 1 (Barra de frutas Supino - Banana Brasil) e 2 (Levittá Frutas - Banana Brasil) fossem consideradas com alto teor de fibras, como indica a sua INC nas partes da frente de suas embalagens, elas deveriam possuir  5g de fibra/porção, no mínimo. Já a barra 3 ( Banana Zero adição de açúcar - Ritter Alimentos), para poder ser considerada  como  fonte de fibras deveria apresentar no mínimo 2,5 g de fibras/porção.
 
Barra de cereal
Peso
Fibras
INC apresentada na embalagem
1- Supino Barra de frutas
27g
1,9 g
Alto teor de fibras
2- Levitá  Barra de mix de frutas
20g
1,5 g
Alto teor de fibras
3- Ritter banana
25g
3,2 g
Fonte de fibras
INC - informação nutricional complementar

O consumo de uma quantidade adequada de fibras alimentares é parâmetro de uma alimentação saudável, na qual a recomendação média de ingestão de fibra alimentar total para adultos corresponde a 25g/dia. Dessa forma, a comunicação realizada entre os rótulos e os consumidores é essencial e é necessária clareza e facilidade de compreensão das informações da rotulagem.


    Uma vez que as fibras alimentares constituem um importante componente das dietas e é indicada para condições clínicas como constipação, câncer de intestino, diabetes e hemorroidas, a adequação e formulação corretas da embalagens e rótulos dos produtos é necessária para que o consumidor seja beneficiado durante a compra de produtos como as barrinhas de cereais e de frutas, visto que nas amostras utilizadas nenhuma apresentou a quantidade necessária para as classificações alegadas.

O consumo de fibras é associado a uma alimentação equilibrada e, sendo assim, existem diversos alimentos que podem ser considerados como alternativa saudáveis e naturais na busca por maior ingestão de fibras, como maçãs (3,3 g de fibras/ unidade), goiaba (3,0 g de fibras/ unidade) e pinha (6,8 g de fibras/ unidade), que devem ter seu consumo estimulado junto a população.

Conclusão
    As informações disponíveis sobre o teor de fibras alimentares é de grande importância, pois atuam como ferramenta para que a quantidade seja calculada e consumida de maneira correta e com mais segurança.
Dessa maneira, o monitoramento da rotulagem e utilização de instrumentos legais para promover a fiscalização são necessárias para garantir que o produto esta de acordo com à descrição do rótulo.


Bibliografia



Resolução da Diretoria Colegiada - RDC no 54, de 12 de novembro de 2012. Regulamento Técnico sobre Informação Nutricional Complementar. Disponível em: <http://www.ivegetal.com.br/cvegetal/Legisla%C3%A7%C3%A3o%20Marca%C3%A7%C3%A3o%20ou%20Rotulagem/Resolu%C3%A7_o%20RDC%20n%C2%BA%2054%20de%2012%20de%20novembro%20de%202012%20INC.pdf> Acesso em 26 de dezembro de 2016.

ESTEVEZ, Ana Maria; VASQUEZ, E. Cereal and nut bars, nutricional quality and storage stability. Plant Foods for Human Nutrition, v. 47, n.4, p. 309-317, 1995.

GUTKOSKI, Luiz Carlos; BONAMIGO, Jane Maria de Almeida; TEIXEIRA, Débora Marli de Freitas e  PEDO, Ivone.Desenvolvimento de barras de cereais à base de aveia com alto teor de fibra alimentar. Ciênc. Tecnol. Aliment. [online]. 2007, vol.27, n.2, pp.355-363. ISSN 0101-2061.  http://dx.doi.org/10.1590/S0101-20612007000200025.

MELLO, Vanessa D.de e LAAKSONEN, David E..Fibras na dieta: tendências atuais e benefícios à saúde na síndrome metabólica e no diabetes melito tipo 2. Arq Bras Endocrinol Metab [online]. 2009, vol.53, n.5, pp.509-518. ISSN 1677-9487.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27302009000500004.
Nutribrinca. Os alimentos e os seus nutrientes - fibras alimentares. Disponível em : <http://www.esb.ucp.pt/nutribrinca/docs/Unidade_2.6_guia_fibras_alimentares.pdf> . Acesso em 26 de dezembro de 2016.

BEZERRAL, José Raniere Mazile Vidal; RIGO, Maurício; TEIXEIRA, Ângela Moraes  et al. Processamento de barras de cereais com adição de farinha de batata-doce (Ipomoea batatas L.) Ambiência - Revista do Setor de Ciências Agrárias e Ambientais V.11 N.1 Jan./Abr. 2015.



2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. As barras de cereais são alimentos práticos para o dia a dia e serem fonte de fibras ajudaria a alcançar o consumo mínimo diário. Entretanto, infelizmente, a propaganda feita nas embalagens nem sempre estão de acordo com o que de fato deveria conter no produto, exemplo os valores das rotulagens que não batem com a legislação, induzindo o consumidor a comprar. Por isso deveria existir uma fiscalização mais eficiente dessas indústrias para que essa propaganda enganosa não ocorra.

    ResponderExcluir