Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

domingo, 18 de junho de 2017

Pró-Biótico e seu uso crescente sem prescrição médica, quais os riscos e benefícios?



     Nos dias atuais é comum ver pessoas substituindo a alimentação natural (hotaliças, cereais, proteínas ...) por produtos industrializados que vem com a promessa de suprimir as necessidades básicas de cada perfil de ser humano (way, pró-bioticos, hipertônicos, vitaminas e pré-bioticos).

       Nos últimos anos o uso de pró-bioticos vem aumentando, no lugar de uma alimentação rica em hortaliças e fibras em geral. Esse aumento é devido à facilidade do uso desses nutracêuticos frente às problemáticas do uso da culinária tradicional (aceitação por cor, cheiro e sabor) e sua aparente baixa eficácia frente aos problemas intestinais. O que nos leva a perceber que estamos com uma geração dependente de laxante em geral. 

Introdução

      Nos dias atuais é comum ver pessoas substituindo a alimentação natural (hotaliças, cereais, proteínas ...) por produtos industrializados que vem com a promessa de suprimir as necessidades básicas de cada perfil de ser humano (way, pró-bioticos, hipertônicos, vitaminas e pré-bioticos).
      Nos últimos anos o uso de pró-bioticos vem aumentando, no lugar de uma alimentação rica em hortaliças e fibras em geral. Esse aumento é devido à facilidade do uso desses nutracêuticos frente às problemáticas do uso da culinária tradicional (aceitação por cor, cheiro e sabor) e sua aparente baixa eficácia frente aos problemas intestinais. O que nos leva a perceber que estamos com uma geração dependente de laxante em geral.      O que nos leva a pensar se: O uso de pró- bióticos substitui a alimentação com hortaliças, fibras e cereais? O uso de pró-bióticos realmente ajuda na regulagem do sistema digestório? E quais as variantes dessa pesquisa "O elemento variante dessa pesquisa é o próprio individuo onde cada indivíduo terá sua microbiota própria e sua própria variedade em concentração."

Fundamentos Bromatológicos e Discussão

Nutracêuticos:

      Esse termo vem da junção de “NUTRIENTES” com “FARMACÊUTICOS” classificando assim os suplementos alimentares que contem uma maior concentração de algum composto bioativo de alimento que vem melhorar o organismo.
      Esses nutrientes são compostos encontrados nos alimentos em gerais que são essenciais ao corpo humano como vitaminas, minerais, enzimas e gorduras. Sendo fundamentais para a prevenção e tratamento de doenças.

Saúde Intestinal:

      A microbiota intestinal é formada por micro-organismos que habitam nosso intestino. Essas bactérias participam ativamente do nosso metabolismo regulando varias funções do organismo, como movimento peristáltico, digestão, proteção contra patógenos, produção de vitamina, estimulação do sistema imunológico e absorção de nutrientes.
      A flora intestinal é composta por bactérias que são potencialmente nocivas e benéficas ao nosso organismo quando estão em equilíbrio. Contudo, com o advento da vida moderna (sedentarismo, alimentação desbalanceada, tabagismos, alcoolismo, automedicação e prescrições errôneas) a desordem do ambiente intestinal ficou mais frequente gerando constipação e diarreias, a disbiose.
      A disbiose é associada a diversas doenças e desordens metabólicas entre elas estão intolerância alimentar, diabete, obesidade, transito alimentar, intoxicação metabólica, câncer coloretal, infecção, doenças cardiovascular e odontológica. E para se evitar a disbiose é necessário manter hábitos de vida saudável (exercícios físicos, alimentação balanceada e beber água).

Legislação

O que são pró-bióticos?:

     Os pró-bioticos são nutracêuticos compostos por micro-organismos vivos, que quando administrados corretamente, agem de forma benéfica equilibrando a flora intestinal, quando associada a um pré-biotico ou uma alimentação saudável. Segundo a ANVISA produtos lácteos e aqueles que contem os seguintes micro-organismos: Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus casei shirota, Lactobacillus casei var rhamnosus, Lactobacillus casei var.defensis, Lastobacillus paracasei, Lactococcus lactis, Bifidobacterium bifidum, Bifidobacterium animallis (inclusive a subespécie B. Lactis), Bifidobacterium longum e a Enterococcus faeciu.

Conclusão

     Visto que o pró-biotico é composto principalmente por bactérias da nossa flora intestinal e que sua manutenção é feita através de pré-bióticos e/ou alimentação saudável. Podemos concluir que a substituição da alimentação rica em fibras e cereias pelo pró-bioticos não tem sua eficácia garantida. Porém eles possuem um papel fundamental para a regulação do sistema digestório, promovendo a entrega das cepas adequadas para o equilíbrio da flora intestinal como um todo.

Referências

1. Ciorba MA. A gastroenterologits guide to probiotics. Clinical Gastroenterology and hepatology 2012;1 0: 960-968

2. Patel R et al.New Approacher for Bacteriotherapy: Prebiotics, New – Generation Probiotics, and Synbiotics. Clinical Infectious Diseases. 2015;60 (S2):s108-121.

3. Moraes F. P e Colla L. M. Alimentos funcionais e nutracêuticos:definições, legislação e benefícios à saúde. Revista Eletrônica de Farmácia 2006;3(2):99-112.

4. Cozzolino S Nutracêuticos: Oque significa? ABESO:2012;55(5)

5. Associação Nacional de Atenção aos Diabéticos. As diferenças entre alimentos funcionais e nutracêuticos.2015.

6. Guarner F et al. Probióticos e prebióticos. Diretrizes Mundiais da Organização Mundial da Gastroenterologia 2011:2-22.

7. Saad SMI. Probioticos e prebioticos: o estado da arte. Revista Brasileira de Ciência Farmacêutica. 2006;42(1)

8. Fortes RC et al. Efeitos da suplementação dietética com frutooligossacarideos e inulina no organismos humano: estudo baseado em evidencias. Com. Ciência Saúde. 2009;20(3):241-252.

9. Hauly MCO et al. Insulina e Oligofrutoses: uma revisão sobre propriedades funcionais, efeito prebioticos e importância na industria de alimento. Semina: Ciência Exatas e Tecnologica.2002;23(1):105-108.

3 comentários:

  1. Acredito que o ideal na hora de dosar o uso de nutracêuticos x uma alimentação rica é sempre um equilíbrio! Não tenho dúvidas que os nutracêuticos são importantes e podem ajudar bastante como foi mostrado no texto, porém eles não excluem a necessidade de ingerir o nutriente na alimentação (nesse caso, as fibras). Pra mim, o desafio está em mostrar isso para quem os consome, pois no geral buscam apenas a facilidade do "comprimido"/"pó" pronto para uso e sem gosto característico.

    ResponderExcluir
  2. Pâmella Rodrigues do Carmo8 de agosto de 2017 21:37

    O uso de pró-bióticos em substituição a uma dieta balanceada rica em hortaliças, cereais e fibras não é de grande valia, visto que os micro-organismos contidos nesse nutracêutico necessitam ser ingeridos juntamente com compostos pré-bióticos, encontrados justamente em uma dieta balanceada, para promoverem os benefícios esperados do produto. O ideal seria associar o consumo dos nutracêuticos com uma dieta equilibrada e um estilo de vida mais saudável. Por outro lado, seria interessante que propagandas de produtos nesta natureza fossem menos "milagreiras" e mais informativas ao consumidor com o objetivo de esclarecer a maneira mais correta de consumo destes produtos.

    ResponderExcluir
  3. Sabe-se que há um importante papel da microbiota intestinal na manutenção da saúde e prevenção de doenças. O uso indiscriminado dos pro-bióticos se deve ao fato de uma estratégia de marketing, que muitas vezes omite a informação que estes produtos são realmente benéficos apenas quando administrados corretamente e que precisam estar associados à uma dieta balanceada. Outro fator importante a ser considerado é a praticidade de uso que eles oferecem, onde a substituição destes pelo preparo de uma refeição é favorecida. Cabe aos farmacêuticos e nutricionistas o papel de conscientização, para que o uso dos alimentos nutracêuticos seja realizado de forma correta e, com isso, resulte em benefício para saúde da população.

    ResponderExcluir