Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

ARROZ BRANCO: O consumo frequente favorece o desenvolvimento de diabetes mellitus do tipo 2?

                 https://www.proteste.org.br/alimentacao/vegetais-frutas-hortalicas-e-graos


Especialistas de uma universidade americana analisaram dois estudos e dois com populações ocidentais . Eles constataram que os povos asiáticos tendem a ingerir mais arroz branco que o povo ocidental. O trabalho mostrou que os asiáticos tinham maior chance de desenvolver diabetes mellitus do tipo 2 devido à maior ingestão do arroz branco. Por que será?

INTRODUÇÃO
O arroz branco faz parte do tradicional cardápio de muitos países. Porém, atualmente, muitas pessoas têm se perguntado se este alimento pode ser prejudicial à saúde. E isto se deve ao fato de que, quando comparado ao arroz integral e ao parboilizado, apresenta diferenças significativas.  O arroz branco passa por um processo de polimento, que tem como objetivo melhor a cor, a textura e o sabor do grão, resultando assim, na retirada das demais camadas externas do grão, como: pericarpo, tegumento, camada de aleurona e embrião. Este processo acarreta na perda de nutrientes essenciais do arroz.

FUNDAMENTOS BROMATOLÓGICOS E LEGISLAÇÃO 

                      “Composição Mineral de Cultivares de Arroz Integral, Parboilizado e Branco” de autoria de Cristiane Casagrande Denardin, Leila Picolli da Silva, Cátia Regina Storck e José Laerte Nörnberg – elaborado com auxílio do IRGA, CAPES e CNPq.

Como foi dito anteriormente, ao passar pelo processo de polimento, o arroz branco perde muito dos seus nutrientes que são essenciais. Na tabela cima, percebe-se a diferença do teor de minerais presentes nos diferentes tipos de arroz com uma diminuição significativa no arroz branco. Outro fator, é que o arroz branco é rico em amido e caracterizado como um alimento de alto índice glicêmico(IG). Este componente irá influenciar diretamente a resposta glicêmica, aumentando a glicemia e tudo que não é utilizado para geração de energia é armazenado na forma de gordura. Alimentos com alto IG estão associados ao risco de desenvolver diabetes e doenças cardiovasculares.  Já os lipídeos estão presentes, principalmente, no arroz integral sendo os principais: os ácidos palmítico, oléico e linoléico. Essas gorduras têm papel muito importante na síntese de hormônios por exemplo. Apresentam um papel importante em vários processos fisiológicos e que, por não serem sintetizados pelo organismo humano, dependem da alimentação. Estas gorduras estão associadas à redução no colesterol total e ao aumento do colesterol HDL (colesterol “bom”), auxiliando a prevenção de doenças cardiovasculares. Vale ressaltar que o arroz integral tem quase o dobro do conteúdo de fibras quando comparado com o arroz branco, componente importante para favorecer o sistema digestivo e a ajudar a diminuir a velocidade da absorção de glicose e lipídios pelo organismo, o que promove sensação de saciedade por mais tempo e ajuda a evitar o acúmulo de gordura abdominal. O mesmo vale para a quantidade de vitaminas do complexo B e vitamina E que são encontradas em maior proporção no arroz integral e estão relacionadas à melhora da energia e ação antioxidante, assim como o teor de proteínas que estão presentes em maior quantidade no arroz integral.
Segundo o MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO (MAPA), o arroz integral ou descascado é caracterizado como: o produto do qual somente a casca foi retirada; arroz polido: o produto de que, ao ser beneficiado, se retiram o germe, o pericarpo e a maior parte da camada interna (aleurona);

CONCLUSÃO
Considerando-se todas as características citadas acima, percebe-se que o arroz integral apresenta-se como uma melhor oferta de nutrientes necessários para atingir as necessidades diárias, tais como: vitaminas e minerais, além de proporcionar efeitos benéficos a saúde. No entanto, é necessário um consumo balanceado e equilibrado.
  
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
http://www.agricultura.gov.br/
http://www.codapar.pr.gov.br/arquivos/File/pdf/ArrozInstrucaoNormativa06_09.pdf
http://alimentacaoesaude.org/comparando-arroz-integral-parboilizado-e-branco/
http://sistemasweb.agricultura.gov.br/sislegis/action/detalhaAto.do?method=visualizarAtoPortalMapa&chave=1687046295
https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/harvard-arroz-branco-poderia-causar-diabetes-tipo-2-4348565
https://www.proteste.org.br/alimentacao/vegetais-frutas-hortalicas-e-graos/noticia/arroz-branco-descubra-qual-e-a-melhor-marca-do-mercado

Nenhum comentário:

Postar um comentário