Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

domingo, 31 de julho de 2016

Vitamina C, suplemento essencial?



A vitamina C é utilizada contra resfriados e gripes, embora ainda não seja elucidado essa indicação utilizando as doses diárias. A vitamina C pode ser adquirida através de alimentos, como a laranja, ou com a suplementação medicamentosa, como as balinhas do Redoxitos. Pergunta-se, é necessário a suplementação medicamentosa?... Leia mais

Descrição
Redoxitos® é a Vitamina C da Bayer em forma de gominha, cada gominha possui 30 mg de vitamina C, e está presente em vários países da Europa, da América Latina e Ásia.  Redoxitos® ajuda a complementar as necessidades diárias da Vitamina C das crianças a partir de 4 anos. Como a vitamina C não é produzida naturalmente pelo organismo, é recomendada como complemento alimentar ao lado de frutas, legumes e verduras. 

Fundamentos Bromatológicos
O ácido ascórbico (vitamina C) é uma vitamina hidrossolúvel, essencial para a síntese de colágeno e reparação de tecidos. Desempenha papel significativo no metabolismo de tirosina, dos carboidratos, do ferro, na conversão de ácido fólico em ácido folínico, na síntese de lipídeos e proteínas, na resistência às infecções e na respiração celular. Oferece suporte ao sistema imunológico, em virtude da sua propriedade antioxidante, ajudando a neutralizar os radicais livres nas células. A eliminação das vitaminas hidrossolúveis ingeridas em quantidades fisiológicas ocorre por biotransformação e por excreção renal na sua forma ativa, em proporções variáveis para cada agente. O excesso proporcionado por doses farmacológicas é eliminado pelo rim na forma ativa.
A absorção do ácido ascórbico ocorre no jejuno e no íleo, que são porções distais do intestino delgado, sendo, para isto, necessária a presença de sódio na luz intestinal. Gugliel Mucci, Soto e Lowenstein citados por Soto, afirmam que o uso prolongado de salicilatos e barbitúricos afeta a absorção de ácido ascórbico.

Legislação
Segundo as Referências de Ingestão Dietética [Dietary Reference Intakes (DRIs)], de 2000, a Ingestão Dietética Recomendada [Recommended Dietary Allowance (RDA)] de ácido ascórbico diz respeito aos valores de referência para quantidades estimadas de ingestão de nutrientes (tabela 1), devendo ser utilizados para planejar e avaliar dietas para populações saudáveis. No Brasil, não há dados de base populacional disponível sobre a variabilidade do consumo por indivíduo. Portanto, a única alternativa, até o presente, é a utilização dos dados norte-americanos.
Tabela 1 - Tabela de informações nutricionais sobre vitamina C traduzida do Dietary Reference Intakes (DRIs) de 2000
Ácido ascórbico, carotenoides, pectina e compostos fenólicos são importantes componentes das frutas cítricas e todas as frutas e verduras contêm alguma quantidade de ácido ascórbico.
A Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, 4a. edição, produzida pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) estão listados os alimentos que possuem teores de ácido ascórbico acima de 50 mg/100 g de alimento (tabela 2).
Tabela 2 - Adaptação da Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, 4ª edição, produzida pela Unicamp.
Vale ressaltar que os alimentos industrializados poderão receber suplementação de vitamina C, com isso, a quantidade suplementada poderá ser visualizada no rótulo do respectivo alimento.

Análise e Discussão
Quando as pessoas pensam a respeito de suplementos, elas geralmente pensam em vitaminas, mas os minerais também são importantes. Indivíduos com dietas deficientes em muitas vitaminas, por alguma razão, provavelmente também estão deficientes em muitos minerais. Em alguns casos a suplementação pode ser apropriada.
Muitos dos sintomas como escorbuto podem ser atribuídos à degradação do colágeno, na ausência de vitamina C: perda de apetite, desaceleração do crescimento, sensibilidade ao toque, fraqueza, hemorragia na gengiva, perda dos dentes, tornozelo e pulso inchados, minúsculos pontos vermelhos na pele por onde o sangue tenha extravasado dos capilares. Um sintoma, anemia, reflete um importante papel que é o de auxiliar o organismo a absorver o ferro e utilizá-lo.
Indivíduos que precisam de suplementação podem ser divididos em vários grupos. Com a dieta, alguns indivíduos os expõe ao risco de desenvolver deficiências subclínicas ou marginais: estados de indisposição comum, desencadeiam deficiência de nutrientes. Em contraste com as deficiências clássicas, que são facilmente reconhecidas, deficiências subclínicas são sutis e facilmente passam despercebidas. A primeira solução é tentar melhorar a qualidade da dieta de forma que esta passe a fornecer as necessidades de nutrientes. A suplementação com nutrientes também pode ser apropriada em alguns casos especiais. Por exemplo, considerando uma mulher que perde bastante sangue durante a menstruação a cada mês e, por esse motivo, perde muito ferro e outros nutrientes construtores do sangue. Essa mulher poderá se alimentar de uma maneira que possa suprir todas as perdas de nutrientes, exceto de ferro; e para o ferro, ela pode precisar de um suplemento prescrito por um profissional de saúde.
O leite materno e fórmulas infantis fornecem vitamina C suficiente, mas crianças que se alimentam de leite de vaca e não recebem vitamina em sua fórmula, suco de fruta ou outra fonte externa, estão em risco. Baixa ingestão de frutas e vegetais e pouco apetite para alimentos, em geral, conduzem à baixa ingestão de vitamina C e não é incomum entre pessoas de 65 anos de idade ou mais.
Outros efeitos podem incluir náuseas, flatulências excessivas e diarréia. Muitos exemplos de intervenções com dietas medicinais são conhecidos. Grandes quantidades de vitamina C são excretadas na urina, o que pode mascarar os resultados de testes usados para o diagnóstico de diabetes.
Pessoas tomando medicamentos anticoagulantes podem, inconscientemente, inativar esse efeito se elas tomarem doses maciças de ácido ascórbico. O suplemento de vitamina C, em algumas doses, pode ser perigoso para pessoas com uma sobrecarga de ferro no sangue, porque a vitamina C aumenta a absorção no intestino e libera ferro em estoque.
A fácil disponibilidade de vitamina C na forma de pílulas efervescentes, gomas e em concomitância com publicações científicas e livros recomendado a vitamina como um tratamento nutracêutico para prevenir e curar resfriados, e câncer tem levado milhares de pessoas a tomar grandes doses de vitamina C. Esses sujeitos voluntários possibilitam pesquisadores a estudar os efeitos tóxico-potenciais de grandes doses de vitamina C.
Indivíduos que não conseguem ingerir as quantidades recomendadas de vitaminas e minerais a partir da dieta e pessoas com necessidades especiais, como mulheres gravidas ou idosas, podem apresentar risco de deficiência e poderiam se beneficiar do uso de um suplemento, como o Redoxitos. 

Conclusão     
            Uma dieta saudável contendo alimentos ricos em vitamina C deve ser mantida, pois este co-fator desempenha papel significativo no metabolismo de tirosina, dos carboidratos e do ferro; na conversão de ácido fólico em ácido folínico, na síntese de lipídeos e proteínas e na respiração celular, sendo indispensável para o bom funcionamento fisiológico do organismo humano.
As gomas dos Redoxitos podem ser utilizadas como suplementação, uma vez que a quantidade consumida por dia consumida não exceda, juntamente com a alimentação que contém vitamina C, o limite de ingestão.
As pesquisas publicadas sobre grandes doses de vitamina C mostram poucos exemplos de que um consumo maior que 100 a 300 mg por dia é benéfico. Adultos podem não correr riscos maiores, mesmo fazendo automedicação, tomando doses de um grama por dia, mas doses próximas a 10g podem significar um perigo. Em resumo, a variação segura de ingestão de vitamina C parece ser ampla. Entre o mínimo absoluto de 10 mg por dia e o máximo conservador de 1000 mg (1 grama), quase todos estariam capacitados a encontrar a própria ingestão. Pessoas que se aventuram fora destes limites fazem, então, seu próprio risco.
Quando as pessoas utilizam doses de suplementos por si mesmas, elas deixam o domínio da nutrição e ingressam no farmacológico. Como medicamentos, grandes doses de nutrientes podem apresentar sérios efeitos colaterais. 

Referências Bibliográficas

  •    Nutrição Conceitos e controvérsias – Frances Sizer; Eleanor Whitney – Editora Manole, 8ª edição, 2000.
  •   Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, 4a. edição, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Disponível em: http://www.unicamp.br/nepa/taco/contar/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf?arquivo=taco_4_versao_ampliada_e_revisada.pdf . Acesso em 24/07/2016 às 15:15
  • Centro de informação de informação sobre medicamentos (CEBRIM) - Uso Racional da Vitamina C (ácido ascórbico) - Edição: Marco Sant Anna e Alessandra Russo
  • Fuchs FD, Wannmacher L. Farmacologia Clínica: Fundamentos da Terapêutica Racional. 4ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2010.

  • GUILLAND JC, LEQUEU B. As vitaminas do nutriente ao medicamento. São Paulo: Santos,1995.

 Por Maria Carolina Peçanha

Um comentário:

  1. Ana Rosa Navegantes de Sousa28 de outubro de 2016 18:33

    Otimo trabalho!
    A vitamina C pode ser encontrada nas frutas, como acerola, laranja, limão, mamão, caju, goiaba, abacaxi, morango e melão entre outras. Também esta presente em folhas e legumes frescos, como agrião, salsa, alface, repolho,cenoura, e os mais diversos.
    Esta após ser ingerida e absorvida, irá participar de diversas reações bioquímicas vitais para o organismo. Além de auxiliar o organismo no combate às infecções, auxilia nos processos celulares, além de beneficiar os ossos, dentes, gengivas, ligamentos e vasos sanguíneos. Possui ação antioxidante e ajuda a combater os radicais livres. Além disso, estimula a absorção de ferro, ajudando a evitar a anemia, e participa na formação de colágeno. Por ser hidrossolúvel pode ser excretada pela urina. Crianças com dieta irregular ou com baixo consumo de vegetais e frutas na dieta podem carecer de seu uso, porém até mesmo para o uso de uma goma que parece ser inofensiva é importante sempre consultar o Médico (pediatra), nutricionista ou farmacêutico,afinal o consumo desta deve ser de 1 por dia, e para criança pode ser perigoso entender isso, afinal para ela é como se fosse um doce.
    Todos precisam ter a consciência de que medicamento não é bala e a medicalização das crianças da nossa sociedade é uma realidade preocupante, o qual farmacêuticos podem auxiliar nesse processo.

    Ana Rosa Navegantes de Sousa
    DRE:112191981

    ResponderExcluir