Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

domingo, 24 de julho de 2016

Por que é melhor emagrecer com Fit Belt?



                                         
  Muitas fórmulas emagrecedoras podem ser encontradas no mercado, havendo infinitas opções para eliminar gordura e diminuir medidas, então por que Fit Belt será sempre a melhor escolha? Quais vantagens ele oferece que o tornam objeto de destaque no grupo dos nutricosméticos? 

Descrição


   O Fit Belt (Nutricé Laboratories) foi o primeiro nutricosmético ultra concentrado a ser comercializado no Brasil, sendo apresentado sob a forma de Licaps que são as cápsulas de gelatina e água com tecnologia de liberação em duas fases,  imediata e gradual, simultaneamente, pois apresenta o Óleo de Sésame (Gergelim) em forma líquida e os microgrânulos de Cafeína Anidra (cada cápsula contém 140 g de cafeína anidra com tecnologia gradual release). O Fit Belt é uma substância emagrecedora termogênica que, portanto, contribui aumentando o gasto calórico, acelerando o metabolismo, potencializando a queima de gordura e a oxidação de células gordurosas; essas e outras características do composto torná-lo-ão a melhor opção acessível de emagrecimento saudável.[3]


Fundamentos Bromatológicos


    O consumo de uma cápsula ao dia durante o café da manhã ou, ainda, duas cápsulas ao dia sendo uma pela manhã e outra durante o almoço, é sugerido pela marca para quem deseja resultados rápidos e consistentes no que tange à perda de peso corporal e eliminação de medidas na circunferência da cintura. 
   O Óleo de Sésame (na forma líquida) começaria a agir imediatamente após a ingestão da cápsula, sendo responsável por aumentar a oxidação de gorduras com ação muito rápida, cujo teor poderá ser observado dentro de até 3 semanas e meia, quando já terá ocorrido sensível diminuição de medidas (considerando amplificação com uma rotina de vida ativa com exercícios e dieta balanceada).

   A presença dos microgrânulos de Cafeína Anidra concentrada será fundamental para a adequação do metabolismo a uma condição mais acelerada de modo constante, já que os grânulos possuem liberação gradual [3], o que indica que pequenas doses regulares de cafeína serão liberadas no organismo ao longo do dia para estimular o metabolismo, sendo verificados, contudo, poucos efeitos colaterais relacionados à ultra concentração de cafeína, já que sua liberação será gradual, assim não haveriam grandes alterações a nível de Sistema Nervoso Central.
   Esse mecanismo faz com que o Fit Belt seja um composto de referência, pois a maioria dos emagrecedores à base de cafeína existentes no mercado causam grandes problemas no organismo devido ao estímulo nervoso exacerbado causado pela liberação de altas doses de cafeína de uma única vez, sendo esses, portanto, de uso contra indicado na maioria dos casos.

Legislação


  De acordo com a RDC nº 27, de 6 de Agosto de 2010, que dispõe sobre as categorias de alimentos e embalagens isentos e com obrigatoriedade de registro sanitário, ANEXO I, o produto em questão (Fit Belt - Nutricosmético) fica dispensado de obrigatoriedade de registro sanitário no Ministério da Saúde. [1]
  Além disso, a Autoridade Européia de Segurança Alimentar - European Food Safety Authority, avalia que o consumo habitual da quantidade de até 400 g de cafeína diária por um indivíduo adulto (que não esteja grávida) não oferece riscos à saúde.[5]
  Segundo a RDC nº 18 de 27 de Abril de 2010, o Fit Belt não se enquadra na categoria de suplemento de cafeína para atletas, apresentando, consequentemente, dose diferenciada de cafeína por porção (cápsula).[4]


Análise e Discussão


   Ao adiquirir a caixa de Fit Belt com sessenta cápsulas (que é a quantidade máxima de cápsulas encontradas em uma caixa de Fit Belt) e ingerir duas cápsulas por dia, sabendo-se que cada cápsula apresenta a quantidade de 140 g de cafeína sob a forma de microgrânulos, tem-se a ingestão diária de no máximo 280 g de cafeína. [3]
  Assim, o Fit Belt não oferece riscos majoritários à saúde, mesmo atuando com termogenicidade (elevamento leve da temperatura corpórea enquanto realiza a queima de gorduras e aumento do metabolismo), já que suas altas taxas de cafeína liberadas diariamente enquadram-se nos padrões de segurança pré-definidos pela legislação e estando de acordo com as recomendações nutricionais aqui no Brasil (realizadas a partir de estudos) que também avaliam a quantidade de 400 g de cafeína como sendo o máximo de consumo adequado.
   Visto que é um produto seguro e de alta eficácia, vale ainda lembrar que esse produto não apresenta nenhuma quantidade de DMAA em sua composição; a DMAA seria a 4-METILHEXAN-2-AMINA- uma anfetamina capaz de provocar sérios efeitos colaterais e que foi banida pela ANVISA [6], de acordo com a RDC nº 37 de Julho de 2012, porém que ainda é encontrada para comércio em alguns produtos da mesma categoria (termogênicos) aqui no Brasil, com o intuito errôneo de 'aumentar o potencial emagrecedor'.
  É um produto livre de Glúten, de fácil administração, alta biodisponibilidade de seus principais componentes, seguro e acessível.


Conclusão

   Considerando as avaliações referentes a diversos aspectos fundamentais do Fit Belt que foram realizadas neste trabalho e suas implicações práticas para o controle de peso, emagrecimento e  melhora do desempenho físico, pode-se concluir que esse nutricosmético termogênico oferece as melhores chances de emagrecimento saudável quando comparado aos demais produtos em seu grupo.


Bibliografia:


1. RDC27 <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2010/res0027_06_08_2010.html> Último acesso em : 24/07/16
2. Portal do Ministério da Saúde <http://portalsaude.saude.gov.br/> Último acesso em: 24/07/16 Último acesso em : 24/07/16
3.Informe Técnico disponível em <https://s3.amazonaws.com/nutrice/fichas_tecnicas/3/ficha_tecnicas/ficha_tecnica.pdf?1342464127> Último acesso em: 24/07/16
4.RDC 18 <http://crn3.org.br/Areas/Admin/Content/upload/file-0711201565603.pdf> Último acesso em 24/07/16
5. Artigo: Opinião Científica sobre a segurança da Cafeína - EFSA -<https://www.efsa.europa.eu/en/efsajournal/pub/4102> Último acesso em 24/07/16
6.RDC37 <http://www.anvisa.gov.br/sngpc/Documentos2012/Resolu%C3%A7%C3%A3o%20RDC%20n%C2%BA%2037%20%202012.pdf> Último acesso em 24/07/16





Nenhum comentário:

Postar um comentário