Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Análise do prazo de validade de diferentes refrigerantes.

Dentre as bebidas mais consumidas no mundo estão os refrigerantes, comercializados em diferentes sabores e embalagens. Diversos fatores poderiam influenciar no prazo de validade destas bebidas. Será que este prazo é sempre o mesmo? 
Os refrigerantes são bebidas não alcoólicas, carbonatadas e de alto poder refrescante, encontrados em diversos sabores (LIMA, 2008).  O prazo de validade dos produtos é uma informação importante que garante sua qualidade por um período seguro para o consumo. No caso dos refrigerantes não é diferente e este dado é regulamentado pela legislação brasileira afim de garantir o fornecimento completo e adequado ao consumidor. Os principais fatores que levam a perda da qualidade do refrigerante estão ligados ao possível crescimento de microorganismos e a perda da gaseificação, podendo comprometer o sabor e o odor do produto. A embalagem e a composição do produto, que varia de acordo com o sabor empregado e com sua natureza dietética, geram influência na determinação do seu prazo de validade, bem como o local onde ele é comercializado.
De acordo com o Decreto nº 6871 de 2009, o prazo de validade é “o tempo em que os produtos mantêm suas propriedades, em condições adequadas de acondicionamento, armazenagem e utilização ou consumo”. Este prazo de alimentos e bebidas é determinado pelo próprio fabricante e fiscalizado pela ANVISA e deve estar indicado no produto. Para estabelecer uma data, são feitos testes de estabilidade do produto, observando-se quanto tempo decorre para que ocorram mudanças físico-químicas, microbiológicas e sensoriais. De acordo a RDC 259/2002, os fabricantes não são obrigados a informar a data de fabricação ou de embalagem dos produtos, impossibilitando algumas vezes a determinação do período pelo qual o produto permanece próprio para o consumo, ou seja, o próprio prazo de validade. Por esta razão, as bebidas que traziam apenas a data de validade, não permitiram calcular este prazo e foram excluídas deste trabalho. Todos os produtos utilizados foram analisados no Supermercado Prezunic de Realengo, no dia 02 de novembro.
Bebidas como os refrigerantes estão sujeitas ao crescimento de bactérias e fungos que são acidófilos ou ácido-tolerantes e conseguem resistir ao pH ácido característico dos refrigerantes. Esse risco inspira o cuidado da utilização de substâncias que atuam com função conservante na composição destas bebidas. Os conservantes mais usados são o benzoato de sódio e o sorbato de potássio que são derivados, respectivamente, do ácido benzóico e do ácido sórbico. Estes conservantes são mais solúveis na forma de sal e possuem boa atividade contra microorganismos, como bolores e leveduras, em pH ácido. Este incremento é, sem dúvida, uma alternativa que permite prolongar, com certa segurança, a validade do refrigerante.
Outro fator que pode influenciar no prazo de validade é sua apresentação quanto aos teores de carboidratos, sódio e açúcares, principal diferença entre refrigerantes regulares e os denominados zero. De acordo com a tabela 1, percebemos que, a exceção da Coca-Cola Zero, os produtos possuem prazo de validade bastante semelhantes.  Acredita-se que alguns fatores são importantes para este cenário e o primeiro deles, como já foi anteriormente citado, é a utilização de aditivos com função conservante, que tem como consequência o aumento de sódio. Esta capacidade se dá pois o sódio reduz a atividade de água, com isso, menos água permanece disponível para o crescimento microbiológico. O segundo fator é a concentração de açúcar presente nos refrigerantes regulares que também possui a capacidade de gerar um efeito conservante pela retenção de moléculas de água, de maneira semelhante ao sódio.

Tabela 1 – Concentração de sódio em porção de 200 ml (1 copo) de diferentes refrigerantes e o prazo de validade dos mesmos (lata/ alumínio)
Refrigerante
Classificação
Sódio*
Validade (dias)
(mg)
%VD

Coca-Cola
Regular
10
0
180
Zero
28
1
90

Fanta Laranja
Regular
17
1
180
Zero
42
2
178

Fanta Uva
Regular
24
1
180
Zero
45
2
178

Sprite
Regular
15
1
179
Zero
38
2
180

Guaraná Kuat
Regular
16
1
180
Zero
35
2
151
                *Fonte: site Coca-Cola Brasil.

Analisando a tabela 1, pode-se observar, que como dito anteriormente, a Coca-Cola Zero é a única que possui validade de 90 dias, enquanto os demais refrigerantes zero apresentam prazo de validade em torno de 6 meses (5 meses para o Guaraná Kuat Zero). Isso se deve pelo fato da Coca-Cola Zero possuir menor quantidade de benzoato de sódio em sua composição quando comparada aos outros refrigerantes “Zero”. Além disso, em todos os demais sabores, há em suas composições outro conservante, o sorbato de potássio, que também contribui para o prolongamento da validade dos mesmos. Já a Coca-Cola Zero não contém este conservante em sua formulação, o que contribui para explicar o seu prazo de validade reduzido frente aos demais.
Ainda de acordo com a tabela 1, percebemos que apesar de muito próximas, a duração da validade dos produtos não são exatamente iguais. Segundo o fabricante, são realizados estudos periodicamente para verificar a determinação do prazo de validade considerando, por exemplo, diferentes localidades, o que justificaria a existência de pequenas variações. De acordo com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), os dados obtidos foram colhidos no Rio de Janeiro e podem apresentar-se diferentes em outros estados do Brasil devido a influência exercida pelo clima sobre o produto e o tempo de prateleira. Ou seja, como o refrigerante é uma bebida refrescante, nos locais onde o clima é mais quente o tempo que o produto permanece exposto para venda e o período entre a compra e o consumo são menores em comparação aos locais com o clima mais frio. Além de tudo isso, o prazo de validade é alcançado após diversos testes e representa uma média dos resultados obtidos, considerando a margem de segurança. Um outro ponto importante é que este prazo de validade torna-se reduzido partir do momento que o refrigerante é aberto pois a vedação não será mais completa e ocorre a aceleração dos processos de oxidação, com perda de aroma e sabor, e aumento da perda do gás.


A embalagem utilizada para comercialização do produto também pode ter influência no seu prazo de validade. As principais embalagens usadas hoje são PET (politereftalado de etileno) e lata (alumínio). A garrafa PET possui baixo custo, é descartável e resistente, além de poder ser reciclada. No entanto para este modelo de embalagem faz-se necessário o ajuste nos níveis de carbonatação pois o material apresenta certo nível de porosidade que permite que o gás carbônico se perca lentamente. Já a lata de alumínio é resistente, leve e gela rapidamente e, diferente da PET, confere proteção contra a luz, reduzindo a frequência dos processos oxidativos. As latas fornecem, aproximadamente o dobro, ou até o triplo, do prazo de validade em comparação às garrafas PET, como podemos verificar na tabela 2.

Tabela 2 – Comparação entre prazos de validades de diferentes embalagens
Refrigerante
Embalagem
Validade (dias)

Coca-Cola
Pet/Plástico
60
Lata/Alumínio
180

Fanta Laranja
Pet/Plástico
90
Lata/Alumínio
180

Fanta Uva
Pet/Plástico
90
Lata/Alumínio
180

Sprite
Pet/Plástico
90
Lata/Alumínio
179

Guaraná Kuat
Pet/Plástico
90
Lata/Alumínio
180

                Por fim, temos que a determinação do prazo de validade de bebidas não alcoólicas, como os refrigerantes, depende de muitos fatores importantes e devem ser controlados e revisados sempre. As variações entre diferentes sabores, conteúdo dietético, embalagens e as localidades onde são comercializados alteram o prazo de validade dos refrigerantes e por isso é necessário estar sempre atento. É importante que esta informação seja clara e acessível, respeitando todas as especificações exigidas pela legislação correspondente, afim de que o consumidor possa adquirir um produto seguro e adequado para o consumo. Do lado oposto, a população deve ter sempre atenção aos prazos de validade indicados, adquirindo produtos com qualidade e exigindo a informação sempre que não for fornecida.



Referências bibliográficas
Coca-Cola Brasil, disponível em < http://www.cocacolabrasil.com.br/nossas-marcas/> Acesso em 28/10/2013
AFONSO, J.C., LIMA, A.C.S. A química do refrigerante, Química Nova na Escola, Vol. 31, N° 3, ago. 2009. Disponível em < http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc31_3/10-PEQ-0608.pdf> Acesso em 28/10/2013
DECRETO nº6871/ 2009, Regulamenta a Lei no 8.918, de 14 de julho de 1994, que dispõe sobre a padronização, a classificação, o registro, a inspeção, a produção e a fiscalização de bebidas. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Decreto/D6871.htm> Acesso em 02/11/2013
ANVISA, Resolução nº 259/ 2002, Aprova o Regulamento Técnico sobre Rotulagem de Alimentos Embalados  Disponível em <http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/36bf398047457db389d8dd3fbc4c6735/RDC_259.pdf?MOD=AJPERES> Acesso em 02/11/2013
MINISTÉRIO DA SAÚDE, Resolução nº 10/ 1984 Dispõe sobre instruções para conservação nas fases de transporte, comercialização e consumo dos alimentos perecíveis, industrializados ou beneficiados, acondicionados em embalagens. Disponível em <http://www.anvisa.gov.br/anvisalegis/resol/10_84.htm> Acesso em 02/11/2013
 

6 comentários:

  1. A agua é a materia prima mais abundante (aproximadamente 90%) nos refrigerantes, o que facilita a contaminação microbiana. Para ser utilizada, deve obedecer aos padrões de potabilidade do Ministério da Saúde. Os refrigerantes possuem também na sua composição açúcar, acidulante, gas carbônico, corantes, aromatizantes, antioxidantes e conservantes, sendo que este ultimo impede ou retarda a deterioração provocada por microrganismos, como leveduras, mofos e bactérias. São conservantes o ácido benzóico, o ácido sórbico e seus respectivos sais de sódio, cálcio e potássio.
    Os refrigerantes podem ser encontrados em embalagens de PET poli(tereftalato de etileno), garrafas de vidro ou latas. A embalagem de vidro apresenta vantagens, como o alto valor mercadológico de visualização, devido à transparência e perfeita impermeabilidade, mas como são mais frágeis e possuem maior peso e o preço elevado, as latas e garrafas PET são mais utilizadas. As embalagens PET têm como vantagens menor investimento do engarrafador com máquinas de lavar vasilhames, o fim do frete de retorno de vasilhames, o fato de serem descartáveis e a resistência a impactos, entre outras. Uma desvantagem na utilização das garrafas PET seria a poluição ambiental, mas este pode ser contornado com a reciclagem. As latas de alumínio têm como vantagens: o fato de serem leves e resistentes, gelar mais rapidamente a bebida, o que economiza energia, serem uma excelente barreira contra a luz e a água, e por seu tamanho reduzido, facilitar a estocagem e distribuição do produto. Além disso, as latas de alumínio podem ser recicladas indefinidamente.

    O prazo de validade pode variar com a embalagem, pois, por exemplo, o vidro retem melhor o CO2, o que aumenta a validade. Já as embalagens PET são mais porosas, o que diminui a validade devido a perda de CO2.

    O consumo dos produtos após o vencimento do prazo de validade pode trazer problemas a saúde. Os refrigerantes vencidos podem ter a embalagem danificada, facilitando a contaminação microbiológica. Além disso, o açúcar presente pode ter sofrido fermentação, o que pode levar a quadros de diarreia se consumido.
    Com o tempo há também perda do gas, o que leva a um processo de oxidação, alterando sabor e aroma.
    Nos refrigerantes light pode ainda adquirir um sabor amargo.
    Se uma lata de refrigerante estiver estufada na parte superior, inferior ou nas laterais, isso é um indicativo de produção de gas por microrganismos, logo, não deve ser consumido.

    O armazenamento adequado e essencial para manter o prazo de validade do produto. As quedas acidentais ou mesmo impactos podem afetar a integridade do produto, pois a vedação pode ser danificada, ocasionando a perda de gás e prováveis alterações no sabor ou na aparência, além de possíveis vazamentos. Temperaturas elevadas aceleram a perda de gás nas embalagens PET levando a perda de gas e frescor. Em temperaturas altas a pressão do gás também aumenta e tem maior tendência a escapar, ocorrendo a carbonatação.


    Fernanda Mendes Gomes

    ResponderExcluir
  2. Juliany B M Fernandes 1113969284 de abril de 2015 18:33

    O tema é interessante e que nos faz ter mais atenção em relação a validade dos refrigerante assim como temos com outros tipos de alimentos. Porque se este produto por ingerido após a data de validade pode causar problemas a saúde do consumidor.
    É bom saber ainda que o líquido terá perdido até 15% do gás e iniciado um processo de oxidação que lhe rouba parte do aroma e do sabor. As versões diet e light vem com validade ainda mais curta por causa do aspartame: ele não só perde sua capacidade de adoçar como deixa gosto margo na bebida.
    Observando a Tabela 1 podemos ver que apesar dos refrigerantes zero terem a validade menor eles possuem maior quantidade de sódio na sua composição. Esse aumento da quantidade de sódio se dá ao fato dele ser proveniente dos adoçantes artificiais que são utilizados para adoçar esse tipo de bebidas. Para a população em geral isso não indica problemas, nem para aqueles que bebem refrigerante em grandes quantidades. Porém, pessoas em dieta hipossódica devem levar em consideração as bebidas carbonatadas como uma fonte de sódio a ser controlada na alimentação, no intuito de minimizar possíveis problemas decorrentes de uma ingestão inadequada.
    Como dito pelo o autor é de grande importância que contenha a data de validade em todas as embalagens, mas que também o consumidor fique atento em relação a isso.
    O armazenamento adequado contribui para manter o prazo de validade do produto estipulado pelo fabricante.

    ResponderExcluir
  3. refrigerante com prazo de validade expirado por 2 a 3 meses pode causar vomitos e diarreias duas horas apos ingerido?

    ResponderExcluir
  4. A publicação feita é muito interessante, pois chama atenção para algo que não é muito reparado pelas pessoas que é a validade dos produtos. Mesmo que seja passado desapercebido pelas pessoas na hora de sua compra, a validade é primordial, pois esta dará primeiramente a integridade do produto, se este ainda está apto para o consumo. Depois deste prazo, recomenda-se que não se faça o consumo do produto, uma vez que facilita a proliferação por bactérias e no caso dos refrigerantes também tem a possibilidade do açúcar contido ter fermentado.
    O material na qual os refrigerantes estão armazenados altera a validade do produto, que foi mencionado na publicação feita, como também o armazenamento. Pois cada material tem uma maneira de que deve ser armazenada, que se não for seguida altera o tempo de validade destes.
    O plástico é mais poroso que o vidro, isso significa que o refrigerante vai perder o gás/a efervescência mais rápido em uma garrafa de plástico do que em uma de vidro porque o dióxido de carbono que a torna gasosa escapa mais facilmente.
    O vidro tem como vantagem ser um material inativo e impermeável, ou seja, não se mistura com o conteúdo, o que permite à bebida o sabor e cor natural, além de preservar o gás e ter uma durabilidade até duas vezes maior do que outros materiais.
    O outro tipo de material de armazenamento são as latas de alumínio, que assim como o vidro elas são relativamente impermeáveis, tornando-se ideais para armazenar. O mais interessante é que, por dentro, essas latas recebem uma camada de um polímero especial a fim de reduzir o risco do alumínio contaminar a bebida, o que a torna bem mais segura. Em qualquer situação, as latas de alumínio também têm como vantagem exclusiva serem totalmente opacas, o que protege melhor a bebida em relação a outras embalagens.

    ResponderExcluir
  5. Luciana Laversveiler24 de abril de 2016 15:52

    O benzoato de sódio presente na maiorias destes refrigerantes é um conhecido conservante, passível de ingestão e muito utilizado na indústria alimentícia. O benzoato necessita de um ambiente ácido para poder atuar como conservante. Sua forma ácida (ácido benzóico) é absorvida pela célula dos microrganismos, reduzindo o pH intracelular destes. Isso acarreta numa diminuição do processo de fermentação anaeróbica dos microrganismos, o que inibe o crescimento e sobrevivência destes seres que poderiam levar a deterioração do refrigerante. Assim, a presença deste composto nos refrigerantes é extremamente importante.

    Um aspecto interessante a ser mencionado é que alguns destes refrigerantes zero, como a Fanta Laranja Zero e o Sprite Zero também apresentavam em sua composição uma grande quantidade do composto acido ascórbico, um antioxidante. A forma ácida do benzoato na presença do ácido ascórbico pode sofrer uma descarbozilação levando a produção de benzeno, um agente tóxico e cancerígeno. Esta reação é acelerada por temperaturas elevadas e a presença de luz. Dessa forma, a maneira de armazenamento e manipulação destes produtos pode aumentar a concentração deste composto no produto. Assim, estes refrigerantes deveriam apresentar uma validade inferior aos produtos que não apresentam ambos os componentes em sua composição.

    Atualmente, alguns destes refrigerantes já encontraram substituintes para estes ingredientes, porém, algumas marcas ainda são produzidas com a utilização dos dois compostos. Isso torna necessária uma analise especifica para o processo de validade destes produtos, considerando o tempo de formação de benzeno, em quantidade suficiente para ser considerado tóxico.

    ResponderExcluir
  6. Onde está registrado o "prazo de validade" e ou "data de fabricação" do refrigerante KUAT, Coca-Cola, Fanta, etc ...?

    ResponderExcluir