Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

OLEAGINOSAS: Sementes oleaginosas podem ser indicadas contra a prevenção de doenças cardiovasculares?


Sementes ricas de óleo, envolvidas por uma casca rígida e conhecidas por ser um grupo de alimentos muito saudável. Ricas em proteínas, gorduras insaturadas, vitaminas e minerais, as oleaginosas não podem ficar de fora da dieta. 

Os alimentos que fazem parte desse grupo são: amêndoas, macadâmias, pecãs, avelã, nozes e castanhas. Algumas delas se destacam por proteger ainda mais o sistema cardiovascular. Parte desses alimentos são especialmente ricos em gorduras mono e poli insaturadas, nutrientes que agem de forma positiva nos níveis de lipídios sanguíneos. Manter os níveis adequados desses lipídios é fundamental para reduzir o risco de desenvolver doenças cardiovasculares. O ômega 3 e 6, presente nelas, podem agir no organismo de várias formas, como por exemplo: ajudando a reduzir danos vasculares, evitando a formação de coágulos (trombose) e de depósitos de gordura (aterosclerose), reduzindo o colesterol total, e ainda, desempenhando importante papel em alergias e processos inflamatórios. Também são fontes significativas de resveratrol e arginina, componentes importantes para a inibição da agregação plaquetária.
A melhor forma de consumi-las é in natura (sem aquecer), em porções de aproximadamente 40 mg. Porém, mesmo com todos esses benefícios, é preciso cuidado na hora de consumi-las; por serem fontes de gordura, esses alimentos são altamente energéticos e, em grande quantidade, podem contribuir para o aumento da ingestão energética diária, ocasionando ganho de peso.
Em 2005, na RDC n° 272, a ANVISA reconheceu as oleaginosas como alimentos de origem vegetal; em 2008, segundo a RDC n°64, foram reconhecidas como snack, e de acordo com a resolução n° 19, de 30 de abril de 1999, se enquadram no quadro de alimentos que possuem propriedades funcionas e/ou de saúde.  
A CASTANHA DO BRASIL, produto aqui em destaque, produzido pela Miragina, trata-se de unidades de castanha do brasil fatiadas com sal, utilizadas como aperitivos e acompanhamento de molhos, saladas e risotos, por exemplo, como expresso no rótulo. A castanha-do-Brasil, é uma amêndoa oleaginosa de elevado valor energético. Seu principal constituinte é o selênio, elemento importante na proteção dos lipídios da membrana celular, impedindo a formação de radicais livres. Segundo estudos, deficiências evidentes de selênio no organismo estão associadas ao aumento de risco de doenças cardiovasculares, confirmando assim a propaganda expressa no site oficial da indústria produtora e na tabela nutricional expressa tanto no rótulo quanto no site oficial do produto.


Referências:
Adriana, D., & Barleta, V. C. N. (2017). Alimento funcional: uma nova abordagem terapêutica das dislipidemias como prevenção da doença aterosclerótica. Cadernos UniFOA, 2(3), 100-120.
Oleaginosas: benefícios e diferenças entre castanhas, nozes e amendôas. Acessado em 8 de Junho de 2017:https://www.jasminealimentos.com/wikinatural/oleaginosas-os-beneficios-e-diferencas-entre-castanhas-nozes-e-amendoas/
Vidal, A. M., Dias, D. O., Martins, E. S. M., Oliveira, R. S., Nascimento, R. M. S., & da Silva Correia, M. D. G. (2012). A ingestão de alimentos funcionais e sua contribuição para a diminuição da incidência de doenças. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-UNIT, 1(1), 43-52.
Zimmermann, A. M., & Kirsten, V. R. (2016). Alimentos com função antioxidante em doenças crônicas: uma abordagem clínica. Disciplinarum Scientia| Saúde, 8(1), 51-68.
Castanhas, amêndoas, frutas secas... Mix de nuts diminui o mau colesterol. Acessado em 8 Junho de 2017: http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/nutricao/noticia/2016/08/castanhas-amendoas-frutas-secas-mix-de-nuts-diminui-o-mau-colesterol.html
Castanha do Brasil, Miragina. Acessado em 20 de Junho de 2017: http://www.miragina.com.br/v2/index.php

Nenhum comentário:

Postar um comentário